Promover o otimismo para educar crianças capazes

28 de janeiro de 2020
O otimismo está intimamente relacionado à resiliência. Por isso, criar filhos otimistas é sinônimo de educar pessoas capazes de chegar à frente.

Como pais, o nosso trabalho não consiste apenas em fornecer comida, segurança e carinho às crianças. Também temos que formá-las em valores e ajudá-las a adquirir as ferramentas para que possam se desenvolver na vida. Sem dúvida, o otimismo é uma das habilidades mais necessárias e esquecidas na educação das crianças.  

Muitas vezes consideramos esse valor como algo secundário, de pouca importância. Associamos o otimismo às frases motivacionais típicas, do estilo: “acredite em si mesmo” ou “lute pelos seus sonhos”. No entanto, as implicações psicológicas desse conceito vão muito além e podem ajudar as crianças a terem uma existência mais feliz e bem-sucedida.       

Otimismo como base da resiliência

A resiliência é a capacidade humana mais importante para lidar com as adversidades, superá-las e até mesmo ser fortalecido por elas. Uma vez que todas as pessoas, mais cedo ou mais tarde, vão passar por dificuldades, ter essa capacidade pode nos poupar de muito sofrimento em nossas vidas.   

Desde perder uma prova até sermos traídos por uma amizade ou termos que enfrentar uma separação ou perda, todas essas situações cotidianas podem gerar altos níveis de mal-estar para quem não possui as ferramentas emocionais para lidar com elas. Por isso, nos esforçarmos para ajudar os nossos filhos a desenvolver a resiliência é uma tarefa que todos devemos realizar.  

Promover o otimismo para educar crianças capazes

No entanto, essa capacidade está associada a outros valores que devemos promover para construí-la. De todos eles, o otimismo pode ser um bom ponto de partida, porque está fortemente relacionado com os outros. Ou seja, se incutirmos uma atitude otimista nas crianças, também as aproximaremos de outras habilidades importantes.

O que é o otimismo?

Otimismo é a tendência de encontrar, em cada situação, os aspectos positivos e favoráveis. Dessa forma, a pessoa pode enfrentar os obstáculos com disposição e perseverança, consciente do que dando certo e trabalhando para melhorar o que não for tão benéfico.

Pessoas otimistas têm inúmeras vantagens no seu dia a dia. Elas geralmente mantêm a esperança e têm uma melhor autoestima e um sistema imunológico mais forte. Além disso, realizam ações mais bem-sucedidas e são mais ativas diante das dificuldades, adotando as medidas necessárias para ter uma rede de apoio emocional.

Pelo contrário, as pessoas pessimistas têm baixa autoestima, perdem a esperança e se dão por vencidas mais facilmente. Diante das adversidades, elas geralmente ficam deprimidas, deixam de agir e veem a sua saúde mais comprometida. Além disso, geralmente experimentam sentimentos de raiva com mais frequência.

Portanto, o otimismo vai muito além de uma tendência ingênua ou frase motivacional. É um excelente recurso psicológico para confiar nas próprias habilidades de alcançar o sucesso e superar as dificuldades. Portanto, embora às vezes seja tentador focar mais na educação intelectual, a educação emocional não deve ser deixada de lado.

Promover o otimismo para educar crianças capazes

Como educar crianças capazes?

O otimismo é essencial para poder enfrentar a vida com confiança e autonomia. Portanto, é importante seguir algumas diretrizes para incuti-lo nos pequenos:  

  • Dê o exemplo: seja um modelo de atitude ativa e perseverante. Deixe o seu filho observar a sua atitude positiva, confiante e esperançosa diante da adversidade e aprender com ela.  
  • Transmitir o valor da gratidão. Agradecer todo o bem que nos rodeia nos ajuda a sempre ter em mente que temos sorte e podemos esperar o melhor.
  • Quando enfrentar uma dificuldade, oriente a criança para que ela encontre os aspectos positivos e as possíveis soluções. Incentive-a agir, em vez de ficar presa à passividade e ao sofrimento.
  • Reforce suas conquistas e recompense o seu esforço. É essencial que o otimismo nos proporcione uma sensação de controle interno. Não é muito útil acreditar que situações positivas ocorram por sorte ou por acaso. Ajude-a a ver que ela tem a capacidade de influenciar as próprias circunstâncias, que as suas ações podem levá-la a melhorar e alcançar o sucesso, e que ela é capaz de fazer isso, se quiser.
  • Ame-a e demonstre o seu amor. Sentir-se amada promoverá a sua autoestima, a sua autoimagem positiva e a sua autoconfiança. Além disso, ter suporte incondicional pode ser a rede de segurança de que ela precisa para sair e explorar o mundo sem medo.
  • Bragagnolo, G., Rinaudo, A., Cravero, N., Fomía, S., Martínez, G., & Vergara, S. (2002). Optimismo, esperanza, autoestima y depresión en estudiantes de Psicología. Recuperado de http://www.fpsico.unr.edu.ar/congreso/mesas/Mesa_15/bragagnolo_optimismo. pdf
  • Martínez-Correa, A., Del Paso, G. A. R., García-León, A., & González-Jareño, M. I. (2006). Optimismo/pesimismo disposicional y estrategias de afrontamiento del estrés. Psicothema18(1), 66-72.