Qual é a idade para começar a ir à escola?

22 de maio de 2018
Chega o momento em que a criança começa a frequentar a escola. Dar esse passo é difícil para alguns pais e gera várias dúvidas. De acordo com a legislação brasileira, qual é a idade em que as crianças devem começar a frequentar a escola?

Talvez sejam momentos de angústia e incerteza. É um passo necessário, mas difícil de dar. Qual é a idade para começar a ir à escola? A resposta é motivo de angústia para os pais, ainda mais se for o primeiro filho.

As decisões certas vão garantir um futuro compatível com as capacidades da criança e as exigências do processo que vai começar.

Os pais são os responsáveis pela aprendizagem dos filhos nos primeiros anos de vida. A casa é o lugar mais seguro em que a criança começa a desenvolver e dominar suas funções biológicas; beber água, se alimentar, andar e se comunicar são algumas delas.

Com o início das aulas e a escola, começa o processo de adaptação e aprendizagem da criança. Para isso, ela precisa se sentir feliz, amada, segura e estimulada.

Quando surge a questão: com que idade devo colocar meu filho na escola, as dúvidas fazem com que a preocupação apareça. A criança vai começar a ficar muitas horas fora de casa. Ao mesmo tempo, as obrigações profissionais dos pais muitas vezes impulsionam essa decisão. Mas também é preciso considerar as capacidades da criança.

Dois anos, a idade ideal para colocar as crianças na escola

Entre os 18 e os 24 meses, a criança começa a ter mais autonomia. Ela já está familiarizada com a prática de andar e emite palavras. Além disso, geralmente já brincou com outras crianças e é capaz de ficar longe da mãe por algum tempo. A creche ajuda a aumentar essa autonomia e prepara os pequenos para a educação formal.

Quando a criança completa a idade para ir à escola, começa outra fase da sua vida. Ela deve se integrar ao ambiente escolar, além de se adaptar a novos horários, amigos, professores, desafios e aprendizagens. É o momento da formação acadêmica, dos valores, das atividades educacionais e extracurriculares. É preciso certa maturidade para enfrentar essas mudanças.

“A educação é o nosso passaporte para o futuro, pois o amanhã pertence às pessoas que se preparam hoje”
—Malcolm X—

Ensino obrigatório a partir dos quatro anos

Recentemente, no Brasil o ensino se tornou obrigatório entre os 4 e os 17 anos. Anteriormente, o ensino obrigatório começava apenas aos 6 anos de idade. No entanto, é preciso que haja vagas para todas as crianças. Portanto, os municípios e os estados tiveram até o ano de 2016 para garantir a inclusão dessas crianças nas escolas públicas.

No Brasil, a educação escolar se divide em três estágios: a educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio.

 ir à escola

A escolarização é um direito de crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos. É obrigatória e é um dever do Estado oferecer vagas em escolas públicas.

Três estágios

A educação básica, portanto, é dividida em três estágios como já foi dito anteriormente. Dos 4 aos 5 anos, as crianças frequentam o ensino infantil.

O ensino fundamental compreende a faixa etária entre 6 e 14 anos. E no ensino médio, temos jovens entre 15 e 17 anos.

Ensino superior

O ensino superior não é obrigatório no Brasil. É oferecido por universidades, faculdades, institutos superiores e centros de educação tecnológica, tanto públicas quanto privadas. Atualmente, existem três tipos de formação: bacharelado, licenciatura e formação tecnológica. O acesso ocorre por meio de vestibulares ou pelo ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio).

Entretanto, infelizmente, dados atuais revelam que grande parte da população não consegue ter acesso ao ensino superior, seja pela ineficiência do sistema educacional obrigatório – que não proporciona às crianças os meios para passar nas provas de ingresso – seja pela escassez de vagas, ou ainda pela situação econômica do país que obriga muitos jovens a buscar o primeiro emprego em detrimento da continuidade dos estudos.

O desenvolvimento da educação formal de uma criança depende em grande parte das decisões em relação à idade em que deve começar a ir à escola. Por isso, o acompanhamento da trajetória escolar por parte dos pais é indispensável para obter os resultados esperados.