Quando o pudor aparece nas crianças?

7 de maio de 2019
Uma das responsabilidades dos pais é a educação da criança sobre as questões de natureza sexual, orientar como controlar o pudor, etc. A simplicidade e a naturalidade devem a chave na hora de lidar com essas situações.

Uma responsabilidade importante dos pais é educar as crianças sobre o conhecimento do seu próprio corpo e sobre ter consciência sobre a sua privacidade. Quando o pudor aparece nas crianças, a tarefa é reforçar a aprendizagem naturalmente.

O pudor nas crianças é uma indicação de que elas estão se tornando conscientes do próprio corpo e das diferenças entre os sexos. Também mostra que a criança quer ter controle e tomar decisões, o que pode se manifestar em uma mistura de autonomia e vergonha. Começa a aparecer entre os três e quatro anos.

A tarefa dos pais

A reação dos pais diante dessas manifestações deve ser natural, espontânea e de apoio ao pequeno. É essencial que ambos os pais sejam capazes de responder às dúvidas do filho.

Nesse momento as crianças começam a entender como o seu corpo é. Assim, os pais têm uma das tarefas mais importantes para o futuro dos seus filhos. O conhecimento e a consciência das diferenças do corpo e ensinar os limites vai fazer com que eles aprendam a cuidar de si mesmos, a ser respeitados, além de promover a autoestima.

Independência com prudência

O controle do pudor ajudará as crianças a desenvolver a sua independência. Esse passo deve ser dado quando existir a certeza de que elas podem lidar com determinadas situações sozinhas.

Entre as primeiras ações pode-se permitir às crianças ir ao banheiro sozinhas, mas é claro, sem descuidar. Se soubermos que já conseguem se limpar bem e que não correm risco, podemos dar um voto de confiança.

No entanto, as crianças nunca devem ficar sozinhas na hora do banho. Podemos deixar a cortina entreaberta e permitir que ela se ensaboe, lave e seque, se ela já tiver demonstrado que sabe fazer tudo isso.

Outra tarefa que a criança também pode realizar, é se vestir, sempre com supervisão. Deixar que ela coloque as roupas íntimas sozinha enquanto você faz outras tarefas no quarto é um grande passo para a sua independência. Na piscina ou na praia, devemos respeitar o desejo da criança de se trocar em lugares fechados ou cobertos com uma toalha.

Quando o pudor aparece nas crianças?

Com a família ou na escola

Quando a criança estiver na casa de parentes e quiser privacidade para ir ao banheiro, tomar banho ou se vestir, é preciso conceder. Portanto, é recomendável conversar com os avós, tios ou primos sobre o estágio pelo qual ela está passando.

Como sempre, é prioridade dos pais tomar as medidas necessárias para proteger a criança, tentando não afetar a sua privacidade. Uma conversa entre os pais e as pessoas que serão temporariamente responsáveis pelos seus cuidados é a melhor opção para que não se crie pudor nas crianças de forma excessiva.

No caso de parentes da mesma idade ou com colegas da escola também é preciso tomar algumas providências. Provavelmente, a criança vai querer ficar sozinha na hora de se trocar. Se isso não for possível, procure separar as crianças por sexo para que elas não fiquem com tanta vergonha.

Nesse momento, procure não olhar para as áreas que elas querem esconder. O melhor a se fazer é agir com naturalidade para que a criança entenda que é um processo normal.

Um processo, várias etapas

A curiosidade sobre sexologia começa depois dos dois anos. De onde os bebês vêm é uma pergunta que as crianças costumam fazer com frequência. Isso até mesmo antes do pudor.

As diferenças entre meninos e meninas começarão a ser notadas depois dos três anos. Nesse estágio, a criança vai começar a perceber que o corpo de um homem não é igual ao de uma mulher. Ela começa a se identificar com o pai ou a mãe e já sabe nomear os genitais.

O pudor já existe

Aos quatro anos, o pudor na criança já existe. Ela começa a sentir vergonha, e isso é misturado com seu desejo de autonomia. Ela não quer ser vista por estranhos. Também não se sente confortável com exames físicos ou perguntas sobre a sua sexualidade.

Existem vários estágios no surgimento do pudor nas crianças.

Se em casa existir o hábito de tomar banho com a família, esse é o momento de começar a parar de fazer isso. A ideia é estabelecer limites e, ao mesmo tempo, preservar a sua privacidade. A mensagem de familiaridade e naturalidade pode se tornar distorcida.

Após os seis anos, a criança provavelmente não aceitará a presença dos pais no banheiro. Ela já entende os papéis que correspondem aos homens e às mulheres. Aos nove anos, ela tem amigos do mesmo sexo e quase não se relaciona com os colegas do sexo oposto.

O surgimento do pudor nas crianças é um processo normal, que passa por diferentes etapas, avançando de acordo com a idade. Para a tranquilidade dos pequenos, é fundamental lidar como algo natural e demonstrar que sempre terão o apoio dos pais.