Quando se deve cortar o cordão umbilical após o nascimento?

· 27 de maio de 2018
A espera para cortar o cordão umbilical após o nascimento do bebê pode ser benéfica para a criança. Esses breves momentos proporcionam um fornecimento extra de sangue, assim como de ferro e hemoglobina. Então, como se deve proceder?

Em um parto, o mais comum é que o cordão umbilical seja cortado após o nascimento do bebê. Até há alguns anos, esse procedimento era realizado imediatamente depois do nascimento. No entanto, com o tempo essa prática foi mudando devido a vários motivos.

Na atualidade, muitos estudos médicos determinaram que é melhor esperar alguns minutos para cortar o cordão ou, até mesmo, que pare de receber fluxo sanguíneo para fazer isso. Por quê?

O que é o cordão umbilical

Durante a gravidez, o bebê está unido à placenta por meio do cordão umbilical. Esse cordão é constituído por duas artérias e uma veia, protegidos por um tecido esbranquiçado.

Os vasos sanguíneos têm uma forma em espiral bastante particular. Sua função é fornecer ao bebê os nutrientes e o oxigênio necessários à sua vida dentro do ventre materno.

O comprimento do cordão deve ser adequado. No nono mês de gravidez, deve medir entre 50 e 60 centímetros de comprimento e 2 centímetros de largura. Um cordão maior pode obstruir o canal do parto e impedir a saída do bebê.

cortar o cordão umbilical após o nascimento

Por outro lado, um cordão mais curto pode evitar a descida do bebê, o que causa sofrimento fetal. Em ambos os casos, é preciso recorrer à cesárea.

O sangue do cordão umbilical contém células-tronco, cuja função é regenerar as células sanguíneas. Por essa razão, em alguns hospitais, o sangue é colhido e congelado para tratar doenças no sangue.

Depois que o bebê nasce, o cordão continua batendo por alguns minutos. Normalmente, cortava-se o cordão para que o bebê começasse a respirar sozinho.

No entanto, recentemente descobriu-se que é melhor deixar o cordão parar de bater sozinho ou esperar alguns minutos para cortar. Vamos ver qual o motivo dessa nova recomendação.

Por que esperar para cortar o cordão umbilical após o nascimento?

A razão pela qual os obstetras cortavam o cordão umbilical imediatamente após o nascimento era evitar que o bebê sofresse de icterícia e a mãe de hemorragias pós-parto.

O sangue extra que a mãe passa pelo cordão umbilical durante esses poucos minutos produz um aumento de glóbulos vermelhos nos bebês. O pigmento dessas células confere à pele a característica coloração amarelada.

Por essas razões, esperar para cortar o cordão umbilical após o nascimento é benéfico para o bebê. Precisamente, esse fornecimento de sangue extra gera um aumento também de ferro e hemoglobina, que são armazenados no organismo.

Dessa forma, evita-se a anemia, pelo menos no primeiro ano de vida. Inclusive percebeu-se que o índice de hemorragias pós-parto não aumentou significativamente.

Embora os bebês que têm o cordão umbilical cortado alguns minutos depois do nascimento apresentem essa pigmentação amarelada da pele, o risco de sofrer de icterícia não aumenta. O breve adiamento do corte também não afeta o resultado do teste de Apgar, que é feito no bebê cinco minutos após o nascimento.

No entanto, quando a mãe tiver sido sedada durante o parto, o corte do cordão umbilical deve ser feito imediatamente após o nascimento. Isso se deve ao fato de que o medicamento poderia passar para o organismo do bebê.

cortar o cordão umbilical após o nascimento

Quanto tempo se deve esperar para cortar o cordão umbilical?

Recomenda-se esperar de dois a três minutos para cortar o cordão umbilical após o nascimento do bebê. Dessa forma, ele pode receber aproximadamente 100 mililitros extras de sangue, o que significa maiores níveis de ferro e hemoglobina. Esses níveis são mantidos até os seis meses de vida ou mais.

Após esses minutos, o cordão vai parando de bater pouco a pouco, mas o sangue continua sendo transferido ao bebê, o que significa maior risco de icterícia. Por isso, também não se deve esperar até que o cordão pare de bater completamente, o que acontece cinco minutos após o nascimento.

“O sangue extra que a mãe passa pelo cordão umbilical durante esses poucos minutos produz um aumento de glóbulos vermelhos, ferro e hemoglobina nos bebês.”

Para realizar esse corte, o obstetra posiciona uma pinça a dois centímetros do umbigo do bebê e outra a quatro centímetros. O corte é realizado nesse espaço entre as pinças. O pedaço que fica ligado ao umbigo do bebê é fechado e é mantido com curativo até cair sozinho, geralmente sete dias após o nascimento. Em alguns hospitais, permite-se que o pai faça o corte.

O corte do cordão umbilical do bebê, portanto, é uma assunto que deve ser conversado com o médico obstetra para saber a maneira de proceder. Caso se prefira esperar para cortar, é preciso que essa escolha seja registrada previamente no prontuário da mãe.