Quando se deve negociar com os filhos?

· 9 de abril de 2018
É possível negociar com os filhos desde que prevaleçam o respeito e a autoridade dos pais. Hoje vamos compartilhar com você alguns conselhos adequados para lidar com esse momento.

Você sente que passa o dia todo dando ordens e discutindo em casa? Muitos pais passam o tempo todo dizendo “você tem que ir dormir!”, “você tem que jantar agora!”. As crianças e os adolescentes não demoram para começar a responder. Quando se deve negociar com os filhos? Até que ponto se pode ceder?

Tanto a falta quanto o excesso de autoridade trazem consequências negativas para o convívio familiar. Encontrar o equilíbrio é a chave para educar os filhos e ter um ambiente saudável em casa.

Negociar é uma experiência de aprendizagem para as crianças. Com ela, aprendem a trabalhar em grupo e perceber o ponto de vista dos demais.

Em que situação é possível negociar com os filhos?

Em muitos momentos, as crianças e os adolescentes tentam contrariar as suas decisões. Eles irão testar a firmeza daquilo que está sendo pedido e vão tentar fazer com que você mude de ideia de qualquer maneira. Em muitos casos, aparecem as birras, as lágrimas e a chantagem emocional.

Sob estas circunstâncias, é importante que você faça respeitar seus limites e justifique suas razões. Demonstrar empatia e entendimento faz com que as pessoas tenham uma reação positiva, mesmo que não concordem totalmente com você.

Entretanto, há outros momentos em que seus filhos mostrarão suas preferências e você perceberá que pode ceder um pouco. Se o aspecto a ser negociado não é relevante (em um sentido negativo) e se, com a negociação, ambas as partes saírem beneficiadas, você pode negociar.

Na família, assim como na vida, é importante estabelecer associações positivas com aqueles com que convivemos.

O segredo está em encontrar uma solução que não diminua a sua autoridade e que faça com que as crianças sintam que foram levadas em consideração. Vale ressaltar que muitas outras situações não estão abertas a negociação e que isso não deve causar conflitos familiares.

Como parte de seu trabalho como pai ou mãe, você deve aprender a lidar com as insatisfações dos filhos.

Estratégias úteis para negociar com seus filhos

Negociar com os filhos é aceitável em algumas situações.

Estratégias úteis para negociar com os filhos

Diminua o tamanho do conflito

Em primeiro lugar, você deve identificar os pontos em relação aos quais pais e filhos estão de acordo. Às vezes, os pontos de discórdia podem ser menores do que você imagina; nem sempre se trata de uma oposição total.

Ao concordar nos aspectos positivos da situação, um vínculo afetivo se estabelece. Esta estratégia é especialmente útil quando se trata de adolescentes.

Explique seu ponto de vista

Quando tomar uma decisão da qual seus filhos não gostem, explique com segurança quais são os seus argumentos. Ainda que eles não aceitem de bom grado, saberão que você age de forma justificada, não apenas para impor sua autoridade.

“Muitas vezes se critica a frouxidão dos pais, mas educar não é uma tarefa fácil. Alguns pecam pela falta, outros pelo excesso e pedem que seus filhos sejam obedientes, educados, inteligentes, perfeitos! É conveniente exigir tanto?”

-Mayte Rius-

Tome o tempo necessário para pensar e dar uma resposta

As crianças pequenas, principalmente, podem te pedir dez coisas em poucos minutos. Ocasionalmente, a resposta natural pode ser dizer que não, mas é melhor analisar e responder com coerência. Respire, pense nos prós e contras de cada situação e, com base neles, decida.

Evite ceder por causa de comportamentos inaceitáveis

Algumas crianças tentam pressionar através de maus comportamentos. Quando começarem a fazer birra, xingar, gritar e chorar, não ceda.

Caso seja necessário, as punições acordadas para este tipo de atitude também devem ser aplicadas. Se você permitir que as crianças saiam impunes fazendo birra, elas sempre irão se utilizar deste método para te convencer.

negociar com os filhos

Lembre-se de que é você quem está no comando

Como pai ou mãe, você está na posição de resolver os conflitos e tomar as decisões que considere convenientes. É você quem deve tomar conta da segurança e da formação das crianças. Não há nenhuma razão para sentir culpa por não agradá-las em tudo.

“Se o aspecto a ser negociado não é relevante (em um sentido negativo) e se, negociando, ambas as partes saírem beneficiadas, você pode negociar.”

As negociações com os filhos os ajudam a avaliar os fatos e a aprender a tomar decisões. Também lhes mostra que é possível resolver as diferenças sem brigar com aqueles que mais os amam. Com isto, aprenderão a respeitar e a confiar nas alternativas e soluções que você oferece.