Saiba como educar uma criança indiscreta

30 de junho de 2018
As crianças, normalmente, são indiscretas. Às vezes é inevitável. Mas há formas de prevenir essas situações constrangedoras. Descubra, neste artigo, como educar uma criança indiscreta.

Ser uma criança indiscreta é comum e se tornou algo normal, que acontece com frequência. Isso se dá por causa de sua inocência, pois os pequenos não têm conhecimento do alcance das suas palavras. Uma vez que já foi indiscreto não há muito o que fazer. Mas é algo que pode ser prevenido com uma boa educação.


Não podemos afirmar que as crianças nascem com tanta impertinência. No entanto, algumas podem ter uma propensão maior especialmente quando um dos pais ou alguém próximo age dessa forma. De igual maneira, é muito comum em crianças que não foram educadas para não se envolver em conversas de adultos ou evitar contar os segredos da família.

Os episódios de indiscrição das crianças são geralmente situações muito embaraçosas. Elas podem nos fazer passar vergonha diante de algum deficiente físico ou fazer perguntas que não vêm ao caso. Mas é normal que isso aconteça. Por isso, os adultos se acostumaram a ouvir as indiscrições das crianças.

No entanto, embora seja mais ou menos normal, não podemos deixar isso continuar acontecendo. Pode ser que fique cada vez pior. É uma atitude que devemos corrigir sempre que pudermos para que não saia do nosso controle, porque isso também poderia representar um problema em potencial nas relações sociais dos adultos.

criança indiscreta

Como educar uma criança indiscreta?

Para começar, é essencial que se eduque de forma positiva, sem gritos ou violência. Da mesma forma, é muito relevante que nos interessemos em melhorar essa situação, que valorizemos a sua importância e que ensinemos aos filhos o que não é apropriado.

Quando esses casos acontecem, por outro lado, é uma oportunidade de aprendizado tanto por parte da criança quanto dos pais. Por esse motivo, é conveniente usar esses eventos para educá-las sobre o respeito, a sinceridade e os direitos dos outros.

É aconselhável educar as crianças a fim de evitar esses contratempos. Porém, é preciso ter muita habilidade para integrar a verdade que há geralmente implícita nos casos de indiscrição. Nesse sentido, é comum que a criança diga algo que é verdade, mas seria melhor não dizer em público. Para isso você pode começar a implementar essas recomendações:

  • É essencial que haja uma boa comunicação. A criança deve saber desde pequena que o que é falado em casa não deve ser dito fora dela.
  • Rir da indiscrição da criança pode fazer com que ela repita. Porém, repreendê-la publicamente poderia confundi-la, principalmente se for algo que parece óbvio. Por exemplo, quando ela fala que uma pessoa tem a pele negra ou está acima do peso.
  • Também não é aconselhável ignorar o problema porque lidar com a situação é uma oportunidade de aprender. Por exemplo, se falamos algo negativo sobre alguém e a criança conta a essa pessoa, nos fará passar vergonha. Então não se pode deixar passar em branco a oportunidade de pedir desculpas.
  • Se estamos na presença de crianças, é aconselhável evitar ter conversas de adultos ou nos expressar negativamente sobre as pessoas. No entanto, é muito importante que fique claro para elas que não devem repetir o que ouvem em casa em nenhum outro lugar.
criança indiscreta

  • Recomenda-se criar as crianças com valores sólidos, focados no respeito pelos outros, independentemente das características particulares, da aparência física e da personalidade.
  • Se ficamos bravos pela indiscrição da criança, é necessário explicar a razão da nossa raiva. Devemos dizer que apesar de sabermos que é verdade, talvez essa pessoa não goste do comentário.
  • Reconhecer o motivo do comentário também é importante uma vez que na maioria dos casos elas não fazem por maldade. É apenas uma maneira de dizer o que vem às suas cabeças. Se nós sabemos o motivo da atitude, podemos aproveitar para explicar que não devemos sempre dizer o que pensamos.
  • Ensinar com o exemplo e com a capacidade de ilustrar com precisão o que percebemos, permite que a criança tenha mais tato na hora de se expressar. Podemos usar um modelo para explicar, dando exemplo de uma situação na qual não gostaria que acontecesse com ela. Dessa forma o seu filho poderá entender como a outra pessoa se sente quando ele diz algo que não é legal.
Recomendados para você