Sonambulismo infantil: um transtorno muito frequente

· 5 de fevereiro de 2018
O sonambulismo infantil é um dos distúrbios do sono mais frequentes. Embora não seja perigoso, é aconselhável conhecer os sintomas e as possíveis consequências para lidar da melhor maneira possível com esse problema.

A exaustão, o estresse, a ansiedade, os estados febris e as mudanças de hábito podem provocar transtornos do sono. Um dos transtornos do sono mais frequentes é o sonambulismo infantil. Ele ocorre entre 4 e 6 anos de idade e tem maior incidência nos meninos do que nas meninas. Com algumas exceções, o sonambulismo infantil costuma desaparecer na adolescência.

Apesar do que se vê em desenhos animados, uma criança com sonambulismo não caminha como um zumbi, com os braços estendidos. No entanto, mesmo se estiver dormindo, a criança pode caminhar, sentar, se vestir, conversar, abrir gavetas e até mesmo sair de casa. Durante o episódio de sonambulismo os olhos da criança vão ficar abertos, mas ela vai manter um olhar vago, como se estivesse desconectada.

Alguns cientistas associam esse transtorno à imaturidade do sistema nervoso central, no entanto essa teoria não foi comprovada. A única certeza é que o sonambulismo infantil não está relacionado a problemas mentais ou emocionais. Na verdade, os únicos riscos são os acidentes que poderiam acontecer ao perambular enquanto dorme.

Quando acontece e quanto tempo dura um episódio de sonambulismo?

Geralmente, os episódios de sonambulismo se manifestam como uma imitação inconsciente das ações executadas durante o dia. Por exemplo, pegar a mochila para ir à escola ou abrir a geladeira para pegar de leite são ações bastante comuns. Quando a criança termina de fazer o que pretendia, ela volta para cama ou continua a dormir em outro lugar.

sonambulismo infantil é bastante comum

Como o chamados terror noturno ou pânico noturno, o sonambulismo também ocorre durante a fase IV do sono não REM. Ou seja, acontece no estágio de maior profundidade, no qual a atividade cerebral é mais lenta e o tônus muscular é reduzido. Portanto, as ações são imperturbáveis e a visão não processa as impressões sensoriais.

A duração dos eventos variam. Pode durar apenas alguns segundos ou, até mesmo, de 30 a 60 minutos. Enquanto a criança está no estado de sonambulismo, ela vai agir como um “robô”. Pode ser que ela murmure ou fale algumas frases isoladas. A única ordem que talvez atenda é a de voltar ao quarto. O mais irônico é que, quando a criança acordar, não se lembrará de suas aventuras noturnas.

Como o sonambulismo infantil é detectado?

Ao falar sobre as causas do sonambulismo infantil, os médicos apontam aspectos como a privação do sono e a fadiga. Eles também mencionam a hereditariedade, condições clínicas (como convulsões), e estímulos como a cafeína.

O que acontece durante o sonambulismo é que o corpo acorda enquanto o cérebro continua dormindo. Por esse motivo a pessoa realiza determinados movimentos sem ação cerebral. No entanto, não existem estudos de diagnósticos específicos. Não é muito difícil detectar o sonambulismo infantil já que é bem indicativo por si só.

Os episódios de sonambulismo tendem a ser uma imitação inconsciente dos comportamentos realizados durante o dia

Qual é o tratamento ideal?

O sonambulismo infantil geralmente não traz outras consequências e vai melhorando com o tempo. É preciso tentar melhorar a qualidade do sono para garantir que a criança consiga realmente descansar. Além disso, é recomendável tomar certas medidas de segurança para evitar que a criança caia ou se machuque durante um dos episódios.

Se o sonambulismo infantil persistir durante a adolescência, talvez seja necessário recorrer a um especialista. O tratamento costuma ser baseado em exercícios ou tratamentos com medicamento. Lembre-se de que fatores como o álcool e o tabaco podem piorar o distúrbio.

sonambulismo infantil

Sugestões para lidar com o sonambulismo infantil

A principal recomendação feita pelos especialistas é não acordar a criança durante os primeiros 5 a 15 minutos do episódio de sonambulismo. Isso pode desencadear um ataque de angústia ou de pânico. O ideal é levar a criança para o quarto com cuidado para que não se machuque.

Algumas precauções que você pode tomar são:

  • Tirar os móveis e outros obstáculos do caminho para que a criança não tropece nem se machuque.
  • Fechar as janelas e as portas. Procure não colocar a chave no mesmo lugar para que ela não ache enquanto estiver dormindo.
  • Não dar nenhum tipo de medicamento, a menos que o médico indique. É preciso levar em consideração que o sonambulismo infantil não é uma doença.
  • Acostume a criança com hábitos de sono e de descanso desde pequena. Pratique técnicas de respiração e relaxamento, principalmente antes da hora de dormir.
  • Evite alimentos que possam manter a criança acordada.
  • Fale com a criança sobre a condição dela para que ele não se assuste. Dessa forma ela também pode tentar controlar o seu comportamento durante o seu crescimento.

O sonambulismo infantil é bastante comum, mas não é perigoso. A grande maioria das crianças supera esse problema com uma pequena ajuda dos pais. Se for uma coisa recorrente, você pode fazer anotações sobre os episódios e tentar despertar a criança 15 minutos antes. Dessa forma vai reduzir os ciclos. O segredo é manter a calma.