Sua memória não é a mesma durante a gravidez

3 de agosto de 2018
Muito se fala sobre a possibilidade de que a memória não seja a mesma durante a gravidez. Descubra mais sobre esse assunto aqui!

Para muitas mães é um fato que, durante o período de gestação aconteceram mudanças na sua função normal da memória de curto prazo de modo que certas experiências se mostraram confusas.

Entende-se que essa situação é comum até o terceiro trimestre. Às vezes, as mulheres se sentem muito distraídas, melancólicas e um pouco desajeitadas. No entanto, não há muito fundamento teórico sobre este assunto. Por isso, é necessário determinar se, de fato, essa é uma condição real ou é parte da transformação emocional pela qual a mulher grávida passa.

Em grande parte, é uma afirmação que as próprias mães fazem. Elas percebem mudanças notáveis na sua capacidade de retenção em termos de eventos diários sem maior importância. Aparentemente, essa é uma redução em termos de concentração, especialmente relacionada com a ansiedade e a emoção do momento.

Como fica a memória durante a gravidez?

Para especialistas e mães experientes, é bastante compreensível que mudanças aconteçam na memória das mulheres grávidas. Especialmente porque é um acontecimento que ocupa a maior parte da concentração das mulheres. Todas essas mudanças experimentadas pela mulher quando ela fica grávida se referem a um tema específico. Por isso, é comum que durante os primeiros meses o mundo inteiro se transforme.

Certamente, os primeiros meses de gravidez estão carregados de emoção, ansiedade em relação ao que está por vir, alterações hormonais e mudanças do ritmo de vida. Essa nova vida é condicionada por vários fatores. Mas todos estão ligados por um fato comum: a espera do bebê.

memória durante a gravidez

Muitas vezes, a fadiga e os sintomas da gravidez impedem a futura mãe de se focar e prestar atenção suficiente. Essa é uma razão pela qual algumas coisas não chegam a ficar na sua memória. Como o bebê ocupa a maior parte de seu interesse, talvez seja mais difícil pensar claramente ou dar importância a coisas que não são uma prioridade para ela no momento.

A perda de memória durante a gravidez tem fundamento?

Existem poucos dados científicos sobre esse assunto porque houve pouca investigação a respeito disso. Os especialistas não podem garantir que seja um caso genuíno e generalizado em mulheres grávidas. No entanto, as próprias mães afirmam se sentir, pelo menos, mais distraídas. Fato que alguns estudos conseguiram comprovar, mas outros o têm recusado.

De acordo com um estudo realizado com mais de um milhão de mulheres na Austrália em 2007, determinou-se que, de fato, existem problemas de memória relacionados à gravidez. No entanto, enfatizou-se que esses problemas foram associados com a realização de várias tarefas ao mesmo tempo e com a prática de novas atividades para as mulheres.

De acordo com as investigações, a mudança na memória das grávidas poderia se estender até um ano após o nascimento do bebê. Mas essas mudanças têm a ver com o fardo de tarefas da rotina, a fadiga e a falta de tempo para realizar muitas coisas pendentes.

Estudos posteriores não conseguiram explicar com exatidão se é um fato particular da gravidez. Isso porque alguns resultados indicaram que não houve muitas diferenças cognitivas em mulheres não grávidas ou antes do período de gravidez. Por enquanto, várias pesquisas permanecem ativas sobre a questão.

memória durante a gravidez

A falta de memória nessa fase pode ser perigosa?

Você pode dizer que há muitas razões para se preocupar se estamos começando a perder a memória. Especialmente se compromete o nosso bem-estar, o do bebê ou outras pessoas. No entanto, quando se trata de pequenos lapsos que não afetam ninguém, não deveria ser causa de grande preocupação. Principalmente quando sabemos que pode ser resultado de todas as mudanças pelas quais estamos passando.

No entanto, se você considerar que a dificuldade está ficando mais profunda e que, além disso, começaram a surgir sensações como desinteresse, tristeza, falta de motivação ou falta de clareza para pensar, talvez possa ser um caso de depressão. Nesse caso, é muito importante consultar um especialista. Ele vai poder ajudar você a melhorar de acordo com as condições em que você se encontra.