O tédio estimula a criatividade infantil

26 Dezembro, 2019
Devemos permitir que as crianças fiquem entediadas para que possam desenvolver a sua capacidade inata de serem criativas.
 

Certamente, podemos afirmar que o tédio estimula a criatividade infantil. Cada vez mais, na sociedade atual, nos deparamos com obstáculos culturais que nos fazem crer que as crianças devem estar constantemente ativas e entretidas. Mas, isso poderia atrapalhar o desenvolvimento da sua imaginação, segundo especialistas em educação e psicólogos.

Se elas ficarem entediadas, serão capazes de começar a criar as suas próprias diversões criativas e poderão ver as coisas de uma forma diferente. Ou seja, no futuro, a capacidade de pensar livremente, de ter tempo para se sentirem entediadas, pode gerar artistas e cientistas que contribuam com grandes novidades para a ciência.

Evidentemente, é natural que os pais queiram minimizar o tédio dos seus filhos, mas temos que começar a olhar para o tédio de outra forma, já que é algo que estimula a criatividade. A fome faz com que as crianças comam. O cansaço faz com que as crianças durmam. O tédio faz com que as crianças usem a sua imaginação procurando uma maneira para se entreter.

O tédio estimula a criatividade nas crianças: alguns estudos

Dra. Sandi Mann

Em 2013, a Dra. Sandi Mann, psicóloga da University of Central Lancashire na Grã-Bretanha, publicou os resultados de um estudo sobre o tédio.

No estudo, Mann pediu para que os participantes imaginassem formas inventivas de utilizar dois copos de espuma. A Dra. descobriu dessa forma que as pessoas que tinham acabado de passar um tempo copiando números de uma lista telefônica tinham ideias mais originais do que os seus colegas que não haviam passado por essa experiência entediante.

 
O tédio estimula a criatividade infantil

Mann concluiu que o subconsciente poderia explicar esses saltos imaginativos. Quando os indivíduos do estudo estavam copiando as páginas da lista telefônica, as suas mentes conscientes começaram a procurar estímulo em suas mentes subconscientes. Sem dúvida, no subconsciente se produz um pensamento inovador.

Dra. Teresa Belton

A Dra. Teresa Belton, pesquisadora de educação da Universidade de East Anglia, entrevistou cientistas e artistas para averiguar como o tédio infantil afetava as suas vidas e carreiras. Muitos sentiram que o tédio era o segredo para o seu posterior sucesso.

Por exemplo, ela falou com a escritora e comediante Meera Syal e com a artista Grayson Perry. Meera Syal cresceu em uma pequena aldeia de mineradores na qual não havia muita coisa para fazer.

“A falta de coisas para fazer a impulsionou a falar com pessoas com as quais, de outro modo, ela não teria se envolvido, e a experimentar atividades que, em outras circunstâncias, não teria experimentado, coisas como falar com os vizinhos idosos e aprender a assar bolos.”

-Teresa Belton-

Mas o mais importante é que o tédio a fez escrever. Syal escreveu um diário desde muito jovem, enchendo-o de observações, contos, poemas e falações. Portanto, atribui esses começos precoces ao fato de hoje ser uma escritora. Disse que para ela “a solidão forçada, como uma página em branco, foi um estímulo maravilhoso”.

 

Por sua vez, Grayson Perry também assegurou que acredita que o tédio é benéfico para adultos e crianças: “aprecio a reflexão e o tédio. O tédio é um estado muito criativo”.

O tédio estimula a criatividade infantil: refletir

Sem dúvida, ficar entediado é algo que as crianças precisam aprender a administrar, experimentando com o tempo livre, sem que recebam indicações. É assim que um escritor enfrenta uma folha em branco ou um pintor enfrenta uma nova tela.

criatividade infantil

Acontece que a arte da reflexão faz parte de aprender a gerir o tédio. A maioria das crianças do nosso tempo não sabe ficar entediada, elas são estimuladas em excesso com muitas atividades. Elas têm tanto para fazer a cada dia que, como resultado, não têm tempo livre para não fazer nada.

Normalmente, os adultos são os responsáveis pelo fato de que as crianças estejam o tempo todo ocupadas. Elas têm brinquedos demais, atividades extracurriculares demais e planos para que nunca fiquem entediadas.

Mas a realidade nos indica que é necessário que as crianças fiquem entediadas para que comecem a buscar, por si mesmas, uma forma de não deixar isso acontecer, para encontrar novas atividades que as divirtam e para descobrir coisas de que elas gostem. Não devemos dar a elas tudo pronto, senão essa necessidade nunca vai aparecer.

 

Conclusão sobre o tédio e a criatividade

Assim, na próxima vez que uma criança se queixar de que está entediada, o melhor a fazer é mandar ela brincar lá fora ou dar um caderno e uma caixa de lápis de cor para ela e, inclusive, alguns objetos aleatórios, como cola ou fita adesiva. Sobretudo, sem instruções. O que elas podem acabar criando provavelmente será uma surpresa.

  • Dr. Sandi Mann. (2013). Being bored at work can make us more creative. British Psychological Society (BPS).
  • Dra. Teresa Belton. (2016). How kids can benefit from boredom. The Conversation.