Os efeitos do tabaco nas crianças

19 de novembro de 2019
De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o tabaco é a principal causa de doença, invalidez e morte evitável no mundo.

Atualmente, mais de 10% das crianças com menos de 14 anos são expostas diariamente à fumaça do tabaco em suas casas. Este é um problema sério, uma vez que elas são especialmente vulneráveis, muito mais do que os adultos. Vejamos quais são os efeitos do tabaco nas crianças.

Tabaco na gravidez

O consumo de tabaco é muito prejudicial durante a gravidez. Embora a exposição da mãe à fumaça em ambientes com fumantes também seja prejudicial, o consumo direto é muito mais. Por um lado, o tabaco afeta as mulheres, diminuindo a sua fertilidade e aumentando o risco de aborto.

Por outro lado, o consumo de tabaco durante a gravidez está associado a bebês com baixo peso ao nascer, partos prematuros, maior risco de malformações, risco de morte súbita etc. Em resumo, fumar durante a gravidez é um risco desnecessário e evitável para o embrião.

Portanto, a mulher fumante deve abandonar esse hábito antes de engravidar ou assim que for possível. Também é recomendável que o pai faça o mesmo, pois isso favorecerá espaços livres de fumo e ajudará a mãe a não voltar ao hábito.

No caso das mães que estiverem amamentando, vale ressaltar que a nicotina do tabaco também pode passar para a criança através do leite materno, expondo, assim, a criança aos seus efeitos tóxicos.

efeitos do tabaco

Os efeitos do tabaco nas crianças

O tabagismo passivo é a exposição à fumaça do tabaco por pessoas não fumantes. Ambientes com fumaça nos fazem inalar continuamente substâncias tóxicas altamente nocivas à saúde, que são liberadas no ar pela fumaça do tabaco.

Nas crianças, o tabagismo passivo tem sido associado principalmente a um aumento de doenças respiratórias, tais como asma ou pneumonia, bem como a um aumento na incidência de otite.

Mais especificamente, podemos dizer que o tabagismo passivo pode causar:

  • Doenças respiratórias agudas. A fumaça do tabaco pode causar até 30% mais infecções, tais como pneumonia, bronquite e bronquiolite.
  • Aumento dos sintomas respiratórios, tais como dor de garganta e ouvido, tosse, etc. A exposição à fumaça do tabaco irrita as mucosas. Também pode causar desconforto nos olhos e no nariz.
  • Asma e agravamento dos sintomas asmáticos. A fumaça do tabaco aumenta a frequência de ataques asmáticos em até 20%.
  • Aumento do risco de câncer de pulmão.
  • Aumento do risco de problemas cardíacos.

As crianças são especialmente vulneráveis à fumaça do tabaco. O seu corpo ainda não está totalmente maduro e, por isso, não consegue combater os danos dos agentes tóxicos do tabaco da mesma forma que o corpo de um adulto. Além disso, o número de respirações por minuto é maior do que o dos adultos.

Como impedir que as crianças se tornem fumantes?

O risco de uma criança se tornar fumante no futuro aumenta se os seus pais forem fumantes. Se uma criança sempre tiver visto o hábito de fumar como um padrão de referência em casa, é mais provável que ela se torne um fumante ativo no futuro.

De fato, a idade de início do hábito de fumar está se tornando cada vez mais precoce. Nesses casos, o tabaco tem efeitos muito mais graves do que nos adultos:

  • Pode causar atrasos no crescimento e desenvolvimento.
  • Aumenta o risco de diabetes e obesidade.
  • Predispõe a alterações no comportamento, tais como hiperatividade ou déficit de atenção.

O tabagismo passivo tem sido associado principalmente a um aumento de doenças respiratórias.

Alguns estudos também garantem que os adolescentes fumantes têm maior probabilidade de consumir álcool e outras drogas e se envolver em comportamentos sexuais de risco.

Além disso, outro fato importante a ser observado é que, quanto mais cedo uma pessoa começa a fumar, maior o risco para a sua saúde e mais difícil é parar com esse hábito.

Conclusão sobre os efeitos do tabaco nas crianças

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o tabaco é a principal causa de doença, invalidez e morte evitável no mundo. É prejudicial à nossa saúde, mas também à dos nossos filhos, que são especialmente vulneráveis às substâncias nocivas.

Portanto, devemos evitar que a nossa casa e o nosso entorno sejam espaços cheios de fumaça e substâncias tóxicas. Atualmente, existem muitas formas de assistência para ajudar a parar de fumar. Então, você também pode conseguir!

  • Flores, A., Iglesias, V., & Oyarzún, M. (2011). Exposición a humo de tabaco ambiental: efectos sobre la salud respiratoria infantil. Neumol pediátr6, 16-21.
  • Bertrand, P. (2011). Efectos clínicos de la exposición directa e indirecta a tabaco en los niños. Neumología Pediatrica8.
  • Sánchez-Zamorano, L. M., Téllez-Rojo, M. M., & Hernández-Avila, M. (2004). Efecto del tabaquismo durante el embarazo sobre la antropometría al nacimiento. salud pública de méxico46, 529-533.