Tudo sobre inseminação artificial

A inseminação artificial representa uma possibilidade muito importante para muitos casais com problemas de fertilidade. É um procedimento que consiste em introduzir no útero da mulher uma amostra de sêmen preparada em laboratório depois da ovulação ter sido induzida.

Trata-se de um procedimento simples, pouco invasivo e de baixo risco para a mulher. Não se utiliza anestesia e, na verdade, as doses de medicação empregadas são muito baixas. A inseminação artificial homóloga (IAH) é aquela em que o sêmen provem do companheiro da paciente.

Em quais casos é necessário a inseminação artificial homóloga?

Segundo o Instituto Valenciano de Infertilidade, um dos mais respeitados no mundo, quando falamos de medicina reprodutiva esses são os casos em que se realiza o IAH:

  • Mulheres que tem ao menos uma trompa permeável.
  • Mulheres com disfunções ovulatórias.
  • Casais em que o homem tem defeitos leves na qualidade do sêmen.
  • Casais com dificuldades sexuais.
  • Casais com esterilidade de origem desconhecida e idade feminina menor de 38 anos.

Em outras ocasiões, é necessário um doador voluntário de sêmen para permitir que uma mulher engravide através desse procedimento. Essa técnica é chamada de inseminação artificial heteróloga. Esses são os casos mais frequentes:

  • Casais com fator masculino grave, como azoospérmico (ausência de espermatozoides no sêmen).
  • Doenças genéticas no homem com herança dominante sem possibilidade de diagnóstico genético pré-implantacional.
  • Casais serodiscordantes.
  • Mulheres sem um companheiro homem.

Custo e taxa de sucesso

Como comentamos anteriormente, por se tratar de um processo simples em comparação com outras técnicas de reprodução assistida, a inseminação artificial tem um preço relativamente baixo.

A inseminação artificial: no que consiste e acessibilidade

Na Europa, seu custo geralmente está na faixa dos 600 e 1.400 euros (2.300 a 5.300 reais, aproximadamente). Na Argentina, seu preço oscila entre 1.100 e 3.800 pesos (200 a 800 reais, aproximadamente). Se for preciso um doador de sêmen, o preço pode aumentar. O lugar de realização do procedimento também pode influenciar no preço final.

Por outro lado, no México pode custar entre 3.000 e 13.000 pesos (500 a 2.300 reais, aproximadamente). No caso da inseminação artificial do doador, é preciso acrescentar ao preço anterior aproximadamente 2.500 pesos (500 reais aproximadamente).

Finalmente, e para ter um preço que sirva como referência para leitores de outros países, nos Estados Unidos a inseminação artificial tem um preço entre 1.000 e 4.000 dólares (3.000 e 12.000 reais, aproximadamente), dependendo também do tipo de doador, do Estado e da instituição que o realize.

Fatores que influenciam numa inseminação artificial eficiente

Em relação à taxa de sucesso, existem vários fatores que influenciam na probabilidade de que a inseminação artificial seja eficiente. Alguns deles são:

  • Idade da mulher: dos 35 aos 37 anos, as possibilidades de que esse método seja eficaz começam a dimuir devido à redução da qualidade dos óvulos.
  • Tratamento de estimulação ovárica: é importante analisar o organismo de cada mulher para poder personalizar o tratamento hormonal que ela vai receber para induzir a ovulação. Um estímulo muito forte ou muito fraco pode ser prejudicial.
  • Espessura do endométrio: a capa do útero onde é produzido a implantação do embrião (endométrio) deve estar em boas condições para receber o embrião.
  • Obtenção e preparação do sêmen: o sêmen deve ser colhido mediante masturbação. Recomenda-se um período de abstinência de três dias. Logo, armazena-se num recipiente de cristal e se realizam vários procedimentos para selecionar os espermatozoides com maiores chances de sucesso.
A inseminação artificial: no que consiste e acessibilidade

Para concluir, os resultados globais indicam que a efetividade atinge aproximadamente 15% em casos de infertilidade feminina mais severas, ao passo que pode alcançar 70% em casais onde os problemas não foram tão significativos.

No entanto, em casos de infertilidade masculina a porcentagem é de entre 9,5% e 43%

Depois da inseminação artificial

Uma vez realizado o procedimento por um ginecologista, em que a mulher se coloca em postura de consulta e o médico introduz o líquido seminal no fundo uterino inserindo um pequeno tubo através da vagina, recomenda-se repouso de aproximadamente 30 minutos.

“A inseminação artificial homóloga (IAH) é aquela em que o sêmen provem do companheiro da paciente”

Depois disso, e ao contrário do que muitos acreditam, a paciente pode deixar a clínica e voltar a sua rotina normal, a menos que exista um expressa recomendação do profissional que indique o contrário.

Se você sentir incômodos, inchaços, dor ou mal-estar generalizado depois da inseminação artificial, não se preocupe. Pode ser devido ao estresse que esse processo gera, a irritação que pode causar o tubo ao ser introduzido ou a medicação aplicada para realizar a hiperestimulação ovárica controlada.

Recomendados para você