Tudo sobre o hímen

7 de maio de 2019
A relação entre o hímen e a virgindade não é mais do que um mito, assim como outros que, por desconhecimento, continuam sendo temas controversos e até mesmo tabus. A seguir, vamos eliminar alguns deles.

A sexualidade, e acima de tudo a sexualidade feminina, está cheia de desinformação. O estigma sobre o assunto que vem sendo mantido há anos forçou as mulheres a desconhecer o próprio corpo, o que as leva a acreditar em certos mitos como, por exemplo, aqueles que giram em torno do hímen.

O tabu gerado em relação à sexualidade faz com que essa membrana ainda hoje seja considerada por muitas culturas como a prova da virgindade de uma mulher. A partir disso, por consequência, até mesmo se torna um símbolo de pureza.

No entanto, além de ser um símbolo errôneo de pureza para algumas pessoas, ele faz parte do sistema reprodutor feminino, cujas características muitas vezes permanecem pouco conhecidas.

O que é e qual é a função do hímen?

O hímen é uma membrana de tecido que fica dentro da vagina e que cobre parcialmente o seu orifício externo. Está presente desde os primeiros anos de vida da mulher, durante os quais acredita-se que ele proteja a área vaginal de infecções, uma função que desaparece assim que o organismo cria os seus próprios mecanismos de defesa.

Pode se apresentar de diversas formas, seja dividido em dois por um tecido extra – hímen septado – ou com um pequeno orifício – hímen microperfurado. No entanto, em geral, mesmo que ele esteja intacto, não cobre toda a abertura vaginal, porque isso impossibilitaria a menstruação.

De qualquer forma, uma pequena porcentagem da população pode ter um hímen sem abertura alguma – hímen imperfurado, o qual é considerado uma anormalidade e pode causar problemas de saúde. Hoje em dia, no entanto, pode ser corrigido com uma cirurgia muito simples.

Qual é a função do hímen

Quando o hímen é rompido?

Embora o rompimento do hímen tenha sido historicamente associado à perda da virgindade, ele não se rompe apenas com a primeira relação sexual. O hímen pode ser rompido sem penetração? A resposta é: claro que sim!

A elasticidade e fragilidade da membrana, além de sua consistência e forma, variam em cada pessoa. Algumas pessoas podem até mesmo ter nascido com uma pequena quantidade dele. Esse tecido também muda com o tempo, tornando-se cada vez mais fino à medida que vamos crescendo.

Por esse motivo, o hímen pode se desgastar e romper antes de chegar à adolescência. Atividades como, por exemplo, a prática de esportes, o uso de absorventes internos, a masturbação ou pancadas na área podem causar o seu rompimento sem ter havido interação sexual.

Inclusive, há mulheres que, apesar de já terem tido relações sexuais, mantêm essa membrana intacta porque ela é mais elástica do que o normal. Isso impede que ela seja rompida, mesmo após a manipulação ou penetração, o que se denomina como ‘hímen complacente’.

O rompimento do hímen causa dor e sangramento?

Nem sempre haverá a presença de sangramento quando o hímen for rompido. Isso dependerá de fatores como a sua forma ou consistência, o que também influenciará para que a dor seja sentida de forma mais ou menos intensa.

Quanto mais resistente o tecido dessa membrana for, mais desconfortável pode ser o seu rompimento. No entanto, o mais provável é que ela seja muito fina e frágil durante a adolescência, de tal forma que não haverá dor se ela for rompida.

“Embora o rompimento do hímen tenha sido historicamente associado à perda da virgindade, ele não se rompe apenas com a primeira relação sexual.”

Quanto à dor que pode ser experimentada durante a primeira vez em que há relações sexuais, o hímen desempenha um papel muito pequeno. Normalmente, como já foi mencionado, essa membrana já está bastante desgastada quando isso acontece.

A causa real está no fato de que a maioria das mulheres não está totalmente preparada no momento da sua primeira experiência sexual. Além disso, se o casal também for inexperiente, o nervosismo pode levá-los a contrair os músculos e a ficarem tensos.

A vagina, exceto no caso de algumas condições médicas adversas, é projetada para o sexo sem dor, mas a lubrificação antes da penetração é primordial para isso.

O rompimento do hímen causa dor e sangramento

O que devemos ter em mente

É importante aprender mais sobre o funcionamento real do nosso corpo e eliminar o peso dos mitos ou das crenças que impedem o desenvolvimento de uma vida sexual saudável e satisfatória.

As mudanças hormonais que acompanham a adolescência e o despertar da sexualidade nos jovens transformam os temas relacionados ao hímen e à virgindade em uma preocupação cercada de crenças falsas.

Por essa razão, não devemos continuar a cultivar a crença de que a perda da virgindade ocorre no momento em que o hímen é rompido. Essa é uma condição não apenas física, mas também emocional, que vai muito além do rompimento ou não de um tecido.

A conservação ou não dessa membrana não é garantia de virgindade e não deve ser motivo de preocupação. Vamos conhecer melhor o nosso corpo e educar os nossos filhos com informações verdadeiras e verificáveis.