Como NÃO criar um filho arrogante

29 de agosto de 2017

Muitos pensam que as crianças mimadas já nascem assim, mas esse pensamento é fora da realidade. As crianças mimadas se tornam assim, e os pais são os grandes responsáveis por isso. Não é fácil ser pai ou mãe, é preciso tomar decisões o tempo todo, e que podem afetar nossos filhos tanto a curto quanto a longo prazo, e estas nem sempre são tomadas de forma mais acertadas na hora de educar nossos filhos.

De jeito nenhum você tem que se sentir culpada se tomou uma decisão errada, pensando que era o melhor para o seu filho. Você tomou essa decisão, porque achava que era o melhor, achava que ia ser bom para ele. No entanto, você tem que levar em consideração as possíveis consequências a longo prazo da tomada de uma decisão, com algo relacionado aos seus filhos e no que pode acarretar no futuro.

Hoje em dia, muitas crianças se mostram materialistas demais, e os pais se sentem culpados porque passam muitas horas no trabalho e não podem ficar muito tempo com os seus filhos (às vezes não importa a quantidade de tempo, mas sim a qualidade), por conta disso compram bens materiais para os filhos. De algum modo, os pais acabam se sentindo melhor consigo mesmos depois desse gesto.

Mas, o que acontece quando a criança vai se desenvolvendo e seu comportamento passa a ser de uma criança mimada e arrogante? Nesse caso, os pais podem colocar a mão na consciência, se perguntando o que fizeram de errado. A solução não se encontra em encontrar culpados, mas sim em buscar formas de NÃO criar uma criança arrogante e que saiba valorizar das coisas. Mas como conseguir isso?

Como NÃO criar uma criança arrogante

Reserve um tempo de qualidade para passar junto com o seu filho: sem desculpas

As crianças de hoje têm, de acordo com estudos, uma menor capacidade de recuperação diante de uma frustração. Por outro lado, houve um aumento do nível de ansiedade, depressão e egoísmo. Tudo isso faz com que as crianças, atualmente, vivam em um mundo distante da realidade, achando que as coisas materiais ou superficiais são importantes, ao mesmo tempo em que desenvolvem dentro de si um forte sentimento de insegurança e descontrole emocional.

As brincadeiras livres são algo necessário para as crianças, quer dizer, brincar sem o uso de máquinas nem novas tecnologias. Somente a presença da brincadeira e da imaginação. As crianças precisam se sentir livres para brincar, e também precisam de você. Elas precisam passar um tempo de qualidade com seus pais para serem capazes de se sentirem seguras, e para criarem uma base sólida para o desenvolvimento da sua personalidade. Isso lhes ajudará a crescerem felizes e a se tornarem pessoas íntegras e equilibradas.

É por meio da brincadeira que as pessoas e, sobretudo, as crianças aprendem as habilidades necessárias para a vida. As crianças aprender a sentir empatia através da brincadeira, a compartilhar, a expressar suas emoções, a controlar os sentimentos mais intensos, como a ira ou a raiva. A brincadeira, definitivamente, lhes ajuda a se preparar para a vida quotidiana, uma prática conduzida e moldada pelos pais.

Você deve ensinar valores aos seus filhos

Muitas vezes os pais abusam do “não” e do castigo, pensando que dessa maneira estão educando bem os seus filhos, mas isso não adianta nada. As crianças não aprendem com os próprios erros quando são submetidas à essas técnicas abusivas de poder. Se você quer educar o seu filho tem que seguir a disciplina positiva, e respeitar os sentimentos e interesses dele. Quando o seu filho fizer as coisas direito, elogie-o sempre.

Os valores são transmitidos através do exemplo e do carinho, sem medo e pressões. Você deve ajudar o seu filho a ter controle sobre a sua própria vida, mesmo que seja você o guia dele. Você deve colocá-lo para fazer as coisas por conta própria, levando em consideração a capacidade de discernimento dele, e, depois, trate de transmitir-lhe os seus valores e de ser o melhor exemplo para ele.

As crianças que sentem que tem controle sobre suas próprias decisões e de sua vida se sentirão mais responsáveis por suas ações, e conseguirão interiorizar os valores mais cedo, e da melhor maneira. Se você for o seu guia, seu filho aprenderá a não ser uma pessoa arrogante graças ao controle sobre as próprias ações e também à noção de responsabilidade. Isso lhes ajudará a entender o valor das coisas, e também dos gestos e das pessoas.