Até quando você deve esperar para se separar por causa dos seus filhos

3 de dezembro de 2016
Se o nosso casamento não dá certo, no final das contas, encontrar o momento certo para se separar de forma saudável pelos seus filhos, talvez não pareça fácil, aqui estão algumas recomendações para como lidar com esse momento

As relações do casal podem apresentar problemas de vez em quando, muitas das razões se concentram na dificuldade de comunicação, mas para pensar em divórcio deve-se pensar em mais de um inconveniente isolado, as razões devem ser múltiplas e de caráter importante.

Até quando você deve esperar para se separar, pensando nos seus filhos: Se você já tentou diversos métodos, como terapia de casal, se colocar no lugar do outro, ter paciência quando necessário ou reconquistar o amor do outro, você deve esperar e reconhecer o momento para se separar levando em consideração os seus filhos.

Viver em constante inconformidade, amargura, intranquilidade, brigas ou aos gritos faz do ambiente familiar um lugar danoso para todos os integrantes da família, quanto mais habitual for o ambiente hostil mais negativo será o estilo de vida na casa.

Os problemas de casal devem ser resolvidos o mais discretamente possível, já que as crianças são sensíveis aos conflitos e podem adotar atitudes negativas, como pouco controle sobre a ira, angústia e preocupação. 

Esperar ou terminar

shutterstock_262442345-500x334

A única razão pela qual podemos prolongar a decisão de nos divorciamos ou não, é no caso de podermos recuperar o matrimônio. Caso contrário, se o casal não consegue evitar as brigas toda vez que um entra em contato com outro, perde o sentido continuar as tensões por causa dos filhos.

É inútil viver em um ambiente familiar saudável sob essas circunstâncias, até porque poderá influir no desenvolvimento das crianças de forma negativa, só vale a pena esperar caso ainda exista amor e a prática dos valores morais.

Aceitação

A forma ideal de ter filhos é com um casamento consolidado, mas, muitas vezes, o carinho e o amor vão se perdendo devido os conflitos recorrentes. Aceitar que nem sempre as coisas saem como planejamos é o primeiro passo que devemos internalizar. 

As relações familiares saudáveis quando se trata de filhos, constrói-se sob as amarras do respeito, tolerância e constância. Se como casal não foi possível alcançar esses conceitos, de forma separada você terá que colocá-los em prática para o desenvolvimento da criança.

shutterstock_182376875-500x334

Qual é a idade conveniente?

Algumas dúvidas sobre que idades os filhos devem ter para que as mães possam se separar, mas quanto menos forem, mais capacidade terão de se adaptarem a outro estilo de vida devido à memória limitada e à carente conscientização do que significa o divórcio.

Nenhuma idade determina nas crianças o momento certo para o divórcio, cada etapa da infância é diferente e cada criança tem uma personalidade diferente, mas quanto maior for a criança, mais complicado poderá ser para você explicar para ela porque é uma boa opção para elas.

O divórcio afeta as crianças

O divórcio afeta as crianças sejam quais forem as razões e as proporções, mas os pais têm a responsabilidade de diminuir esse sofrimento. Toda vez que a criança chorar tenha em mente que a situação é para o bem de todos.

Secar as lágrimas com sorrisos, acalmar frustrações com paciência e substituir o seu estresse com o entendimento que você estará oferecendo, irá demonstrar à criança que ela poderá contar com ambos, além de que a construção do divórcio poderá desenvolver uma bela amizade.

A divórcio se constrói

Apesar de o divórcio, em essência, tratar-se de uma separação conjugal e carecer de um sentido de estar junto matrimonialmente pelos seus filhos, não significa que uma vez divorciados nunca mais terão contato um com o outro.

Um divórcio se constrói e essa opção está veiculada diretamente aos filhos, a construção de um divórcio deve ser levada adiante indefinidamente para oferecer-lhes um ambiente familiar normal como as crianças merecem. A paternidade e a maternidade no divórcio devem ser empregadas da seguinte forma:

  • O respeito pela figura materna e paterna deve ser oferecido à criança por ambos os pais.
  • Os pais não devem se desautorizar entre si.
  • Deve existir a comunicação e os responsáveis não devem perder os eventos importantes para a criança.
  • Apesar do fracasso matrimonial é recomendável que a criança perceba uma relação de empatia.

O divórcio deve ser levado a cabo com naturalidade e demonstrado que de uma certa forma as coisas irão funcionar perfeitamente desse modo até alcançar o objetivo. Você nunca deve esperar para se separar só por causa dos seus filhos, pelo contrário, deve se separar pelo seu bem-estar caso a situação não tenha mais volta.