21ª semana de gestação

· 31 de dezembro de 2017
Na vigésima primeira semana de gestação, o crescimento do útero fica evidente. Os músculos abdominais da mãe se adaptam ao bebê que se desenvolve em seu interior

Na 21ª semana, a maioria das gestantes nota os movimentos do bebê. Ele já mede vinte cinco centímetros e pesa trezentos gramas. Além disso, conforme apontam estudos médicos, o bebê já é muito ativo, movimentando-se cinquenta vezes a cada hora. Esses movimentos, ainda que sejam reflexos, servem para estimular o desenvolvimento físico e mental.

Além disso, o cérebro em desenvolvimento vai começar a captar sinais elétricos do seu corpo. Esses sinais vão estar, principalmente, relacionados com sensações como pressão, dor, luz ou temperatura.

Evolução do bebê na 21ª semana de gravidez

Nessa semana, o sistema digestório está amadurecendo. Ele já possibilita que o bebê ingira líquido amniótico e absorva alguns dos nutrientes no intestino delgado. O restante do conteúdo vai passar para o intestino grosso. No entanto, o bebê vai continuar obtendo a maior parte dos nutrientes do líquido que o rodeia.

Além disso, a medula óssea começa a produzir glóbulos vermelhos. Essa função era realizada até o momento pelo fígado e pelo baço. As unhas começam a crescer, embora ainda não tenham se enrijecido. Esse fato unido à presença do vérnix – uma substância cerosa que recobre o bebê – evita que ele se arranhe.

Nos meninos, os testículos descem da pélvis para o escroto, ao passo que nas meninas a vagina começa a se formar. A partir dessa semana, é possível averiguar o sexo do bebê se, com sorte, ele estiver bem posicionado na hora da ultrassonografia.

feto no útero

Alterações na mãe

Temos boas notícias: nesse período, a gestante costuma se sentir melhor. O organismo já se adaptou às bruscas alterações hormonais e os incômodos típicos do primeiro trimestre terão desaparecido.

Na 21ª semana, o útero continua crescendo, e mede aproximadamente vinte centímetros. Isso pode trazer consigo certas mudanças, que não afetam todas as grávidas igualmente:

  • Os músculos do abdômen (reto abdominal) podem se separar e produzir diástase do reto, aparecendo um inchaço grande no centro do abdômen.
  • Podem aparecer estrias, já que a pele está se esticando para acomodar o crescimento do útero.
  • Além disso, é possível que o umbigo saia para fora. Costuma ser temporário e voltar à sua posição original depois do parto.

Além disso, nesse período acontece uma maior retenção de líquidos e costumam haver mais secreções vaginais do que o normal. Elas costumam ser claras e não devem apresentar um odor forte. Fora essas secreções, pode haver incontinência urinária ao tossir ou rir, por exemplo.

Conselhos e cuidados para a 21ª semana

Uma das melhores formas de reduzir os incômodos e o estresse e para dormir melhor é curtir uma massagem

Esse é um bom momento para começar a tomar vitaminas. Seguindo o conselho do médico, você pode ingerir suplementos e vitaminas, como a C, a D, ou o ferro. Combinados com uma dieta equilibrada e variada, vão proporcionar os nutrientes necessários para fortalecer tanto a futura mãe quanto o bebê.

Se o aparecimento de estrias for uma preocupação, é possível tentar evitá-lo. Para isso, aconselha-se manter a pele hidratada e consumir alimentos ricos em vitaminas A, C e E. Esses nutrientes são necessários para a síntese do colágeno da pele.

mulher tomando vitaminas

Por último, uma das melhores formas de reduzir os incômodos e o estresse e para dormir melhor é curtir uma massagem. Além de relaxar e aliviar os incômodos da gravidez, vai estimular a circulação.

Monitoramento da gravidez: ultrassom morfológico

Se você não tiver feito antes, na 21ª semana é o momento certo para realizar o ultrassom morfológico. Nesse processo, além de tirar as medidas do bebê, realiza-se um exame detalhado de sua morfologia.

Através dessa ultrassonografia, é possível observar se há alguma anomalia no desenvolvimento do feto. Assim, é possível diagnosticar potenciais malformações e verificar se é necessário realizar mais exames. Eles podem incluir ultrassonografias analíticas, amniocentese, ou ressonâncias magnéticas, por exemplo.

O ultrassom morfológico acaba tendo grande importância porque oferece a possibilidade de uma detecção muito rápida de anomalias. Graças aos avanços da medicina, é possível tratar e, até mesmo, solucionar alguns desses problemas. Em alguns casos, a solução passa por mudanças na dieta ou por tomar medicamentos e suplementos nutritivos. No entanto, em outros casos será preciso recorrer à cirurgia fetal, na qual o diagnóstico da ultrassonografia vai acabar sendo fundamental.