Desde que você chegou na minha vida durmo menos, mas sorrio mais

· 9 de dezembro de 2018
Você conseguiu: desde que chegou, você virou minha vida ao avesso, fazendo meu coração dar um giro de 180º em direção à felicidade mais intensa, mais enriquecedora.

Você me tirou horas de sono, disso não tenho dúvidas, mas também me presenteou com um futuro cheio de esperança. Agora eu sorrio mais, agora não apenas respiro, eu vivo de uma maneira muito mais intensa, mais lúcida e mais colorida.

Temos certeza de que muitas mamães e muitos papais estreantes no mundo da paternidade sentem o que acabamos de descrever.

É como se alguém guardasse em segredo essas pequenas sutilezas que acompanham a chegada de um filho, esse momento em que a falta de sono, os medos, a amamentação, as cólicas e os choros do bebê são como se fossem aquelas pequenas letras de um contrato que se assume quando se decide ter um filho.

“A criança reconhece a mãe pelo seu sorriso”

-León Tolstói-

Entretanto, nada disso importa. Na realidade, trata-se apenas de assumir que nem tudo é fácil de entender, que haverá dias mais fáceis e outros mais complexos.

Então, o que importa?

O importante é saber ler as necessidades do recém-nascido e, principalmente, curtir o seu filho. É exatamente isso que se explica, por exemplo, no interessante livro “Continuum concept” (“O conceito do continuum”, em tradução livre) de Jean Liedloff.

Quando um novo bebê chega ao mundo, há muitos pais que têm seu próprio esquema preestabelecido sobre o que é criar um filho. No entanto, no processo de criação não há esquemas.

Aquelas regras que nossos pais, irmãos ou amigos nos sugeriram nem sempre servem para nossos próprios filhos.

A criação, na verdade, tem a ver somente com viver o dia a dia e cada momento especial com o bebê e saber responder da melhor maneira usando nosso instinto.

Do mesmo modo, nunca é demais lembrar que nesses primeiros anos de vida do nosso filho, o que ocorre de fato é um “continuum”, como a doutora Liedloff nos explica.

Uma continuidade entre o corpo da mamãe e do seu bebê, na qual as únicas coisas que importam são a proximidade, o contato, a pele, os carinhos, os olhares, etc.

E sim, pode ser cansativo, muito cansativo, mas também é extremamente satisfatório.

Sorrio porque sei que estou agindo certo

sorrio mais

Às vezes, sorrio ao ver esse rosto que se reflete no espelho e que mal reconheço… Sou eu? Essa mulher sou eu mesmo? Essas olheiras imensas são minhas? Faz quanto tempo que eu não me penteio? Desde quando comecei a me descuidar tanto da minha aparência física?

Depois de pensar essas coisas todas as vezes em que você se depara com a sua imagem quando vai ao banheiro, você deixa escapar um longo suspiro, colocando de novo atrás da orelha aquela mecha de cabelo que estava caída no seu rosto.

E que diferença isso faz? – você se pergunta – Que diferença faz a minha aparência se meu bebê está bem, se eu realmente estou fazendo tudo certo?

A mãe orgulhosa do seu bebê não está consciente do profundo cansaço que acumula

Às vezes isso acontece. A chegada de um filho desperta mecanismos de alerta no cérebro da mãe, quem frequentemente não está nem sequer consciente das suas próprias necessidades físicas.

  • É um mecanismo natural com o qual garantir a devida atenção e os cuidados necessários ao bebê. No entanto, não é conveniente nos descuidar de nós mesmas. Não devemos nos deixar chegar no limite das nossas forças.
  • Quando o corpo e a mente acumulam muitas horas de vigília e atenção prolongadas, às vezes, podemos entrar em um estado de estresse significativo que pode afetar seriamente a nossa saúde.
  • É necessário, portanto, dividir as tarefas. O pai também cria, o pai pode realizar exatamente as mesmas tarefas que a mãe, exceto, é claro, amamentar.
  • Ao dividir as responsabilidades e também os momentos exaustivos, desfrutamos ao máximo da paternidade. Vamos deixar que as orelhas apareçam por igual e permitir que se combinem horas de sono com momentos de felicidade. Preocupações com sorrisos.

Portanto, lembre-se de que você está lidando perfeitamente bem com seu bebê, não há dúvidas. Isso é motivo para alegria, nunca para se descuidar de si mesma.

sorrio mais

Desde que você chegou, as emoções positivas me acompanham

Ser mãe ou ser pai transforma determinadas estruturas do nosso cérebro, nós sabemos disso. Essa dose extra de oxitocina nos deixa muito mais protetores e sensíveis às necessidades da criança.

Além disso, melhora os aspectos que nos fazem ser pessoas melhores, como, por exemplo, a empatia, a capacidade de realização, a resiliência, a esperança e, principalmente, a necessidade de cultivar determinados valores que fazem este mundo ser um pouco melhor.

“Nunca se esqueça de sorrir porque o dia em que você não o fizer será um dia perdido”

-Charles Chaplin-

Por outro lado, desde o momento em que você pegou seu bebê no colo pela primeira vez, você transformou suas fraquezas em seus pontos fortes.

Basta segurá-lo no colo para que, quase automaticamente, apareça um sorriso no seu rosto. Do mesmo modo, não se esqueça disso porque esse sorriso não é apenas reflexo do seu bem-estar interior. É também o farol que guia seu filho.

É um gesto emocional carregado de significados com o qual guiar seu pequeno em direção à sociabilidade, à comunicação, ao carinho com os seus para construir um vínculo que nasce do amor e do reconhecimento estampado no seu lindo sorriso.