Yoga durante a gravidez

26 de junho de 2018
O yoga durante a gravidez pode ser uma prática muito útil. É vital para o desenvolvimento do bebê que a mãe mantenha um estilo de vida tranquilo.

Frequentar lugares abertos, ventilados e ambientes agradáveis para tomar ar ajuda a oxigenar o bebê por meio do cordão umbilical. Além disso, traz inúmeros benefícios para a mãe e para o filho. Descubra neste artigo algumas relações entre yoga e gravidez.

Praticar exercícios, manter uma dieta saudável e tomar os medicamentos pré-natais fazem parte do desenvolvimento correto, da boa saúde e do bem-estar integral durante a gravidez. Além disso, são hábitos que propiciam o controle adequado das emoções durante o momento de dar à luz.

O bom humor durante a gravidez também servirá de defesa contra doenças ou outras infecções a que a futura mãe está exposta.

Por que praticar yoga durante a gravidez?

O yoga é uma prática que tem como objetivo alcançar o equilíbrio entre a mente, o corpo e a respiração. Seu fundamento é unir os elementos e harmonizá-los. Então, não está errado afirmar que traz inúmeros benefícios. Contudo, para conseguir bons resultados, é preciso seguir as instruções dos especialistas e nos adaptar ao nosso estado.

Yoga durante a gravidez

Para as gestantes, recomenda-se o Yoga Hasha, que ensina as posturas básicas e é ideal para principiantes. Para complementar a prática, é preciso incluir Pranayamas, que são exercícios de respiração profunda semelhantes aos que se ensinam nos cursos pré-natais. Por essa razão, são indispensáveis quando se pratica yoga na gravidez.

Um elemento chave dessa atividade durante o período da gestação é a prática do relaxamento. Permite que tenhamos consciência da importância do processo e possamos aprender a administrar cada etapa com calma. Ao mesmo tempo, criamos um espaço para meditar e enviar mensagens positivas ao nosso sistema.

Para muitas grávidas, fazer aulas de yoga ajuda a canalizar as emoções, diminuir as preocupações e encontrar soluções de forma rápida e espontânea. Esses pontos-chave do yoga também podem reduzir os incômodos próprios do primeiro trimestre de gravidez, ao mesmo tempo em que nos ajuda a controlar a dor no terceiro trimestre devido ao peso na coluna.

A aula de yoga

Uma boa aula de yoga é muito útil para uma mulher grávida porque essa prática inclui muitos aspectos benéficos para o momento que ela está passando. Seja um dia ao ar livre ou num espaço fechado, mas ventilado, a experiência geralmente é relaxante e proveitosa em todos os casos.

Para todo exercício que requer um mínimo de esforço, é imprescindível o uso de roupas confortáveis e largas, além de constante hidratação. Também é preciso estar atenta ao consumo de frutas frescas que sejam absorvidas pelo organismo e gerem bem-estar.

Geralmente, são sessões de aproximadamente uma hora. Os principais benefícios para o dia a dia podem ser medidos, mais ou menos, dessa maneira.

  • Estimulação de braços, pernas e espinha dorsal mediante o processo de aquecimento e alongamento. Permite aumentar a força e a resistência. Além disso ajuda as gestantes a estimular o aparelho intestinal. Muito útil para mulheres que sofrem de prisão de ventre.
  • Fortalece a coluna e inicia a preparação para um parto menos doloroso.
  • Favorece a circulação, os músculos e a flexibilidade. Isso é muito importante, visto que durante o terceiro trimestre os pés costumam inchar pela retenção de líquidos.
  • Estimula o descanso e o sono.
  • Controla o excesso de peso. Um elemento de grande importância para muitas mulheres grávidas, quando o peso determina um fator de risco.
  • Ajuda a neutralizar o volume hormonal que é produzido durante a gestação. Isso gera um clima de harmonia e estabilidade emocional para a gestante.
  • Melhora os episódios de ansiedade.

Posturas perigosas durante a gravidez

Yoga durante a gravidez

Ciente dos benefícios que sabemos que a prática do yoga pode gerar durante a gravidez, não devemos deixar de levar em conta a opinião do nosso obstetra. Em todo caso, recomenda-se consultar o especialista sobre quais são as indicações de acordo com a condição da nossa gravidez. Nessa prática existem posturas que não são recomendadas para gestantes, entre elas temos:

  • As que aconselham deitar de barriga para cima depois da 16ª semana. Ao mudar de posição é importante fazê-lo com calma por conta do seu peso e do peso da barriga, sobretudo no terceiro trimestre.
  • Alongamentos ou posições difíceis que precisam de força. Se você não consegue realizar alguns exercícios, não faça nenhum tipo de força que possa vir a causar algum acidente, uma queda ou algum desgaste.
  • Qualquer posição em que é preciso se apoiar sobre o abdômen. Está constatado que isso pode provocar perda ou sangramento durante a gravidez.
  • Com a cabeça para baixo. Esse tipo de exercício não permite que o sangue flua de maneira correta o que pode ocasionar tonturas, quedas ou outros inconvenientes desse tipo.