13 erros que cometemos ao disciplinar nossos filhos

15 de julho de 2018
Disciplinar nossos filhos é uma das ações que precisam de maior cuidado durante todo o processo da criação.

Encontrar os métodos certos de disciplinar pode levar algum tempo, mas te trará muitas satisfações e momentos agradáveis na vida familiar. A seguir estão alguns dos erros mais comuns que os pais cometem na hora de criar uma disciplina em casa.

13 erros comuns ao disciplinar as crianças

1. Não seguir as regras que você determinar

Se você diz ao seu filho que ele não pode assistir televisão sem ter terminado a tarefa e, em seguida, permite que ele assista, a regra vai perder completamente sua validade. Quando não se segue à risca as instruções que você dá no início, as crianças vão ter uma ideia confusa de autoridade; você estará lhes dando uma mensagem contraditória que é pouco consistente.

2. Desconsiderar a idade das crianças

Antes de disciplinar nossos filhos, devemos levar em conta as características da sua idade. Não se deve aplicar correções iguais em todas as idades. Use diferentes tons de voz, não deixe passar os comportamentos errados, e acima de tudo, sempre respeite as regras estabelecidas.

3. Gritar no momento de dar instruções

Uma tom de voz muito alto não é a melhor maneira para conseguir que seus filhos façam o que você espera. A resposta automática do corpo perante um grito é resistir a executar a ação indicada.

4. Usar em excesso os tempos para pensar

O tempo para pensar é muito eficaz para que seus filhos se acalmem e reflitam sobre o comportamento pouco aceitável. Mas usá-los com muita frequência ou por períodos prolongados de tempo reduz a sua eficácia. Lembre-se de que esse tempo deve ter uma duração de um minuto por cada ano de idade.

disciplinar

5. Não ser específicos

Quando você catalogar um comportamento como inadequado, deve ser claro com suas palavras e especificar exatamente o que não deve se repetir. Seja claro para que as crianças saibam exatamente o que incomoda a família.

6. Deixar de lado o valor educativo da chamada de atenção ou do castigo

O que se busca ao corrigir um comportamento é conseguir com que a criança compreenda por que o que ela fez não está certo. Se não há uma reflexão ao falar com seus filhos, qualquer ação que você tomar será menos significativa.

7. Esquecer o amor

É fundamental que antes de disciplinar uma criança você estabeleça uma conexão emocional. Os filhos devem saber que são amados incondicionalmente, inclusive quando tiverem feito algo que se deve melhorar. A repreensão não deve ter uma conotação que os distancie sentimentalmente.

8. Dar recompensas para obter um comportamento

Oferecer um doce ou um presente em troca de uma boa atitude, funcionará a curto prazo mas não terá efeitos reais sobre os valores da criança. A recompensa deve ser a satisfação de fazer as coisas corretamente.

9. Trazer para o presente erros do passado

Cada situação é diferente e independente; no momento de chamar a atenção dos seus filhos você deve se focar no que aconteceu naquele momento.

disciplinar

10. Tornar as coisas pessoais

As correções devem se centrar no comportamento e não na pessoa. Evite usar adjetivos que os definam como “ruim”, “desatento”, “confuso” e outros. As sugestões devem estar livres de críticas pessoais.

11. Não aplicar o que diz

Não é nada coerente que você ande gritando pela casa pedindo silêncio. Os pais são o modelo para as crianças seguirem. Portanto, as atitudes que elas têm em muitas ocasiões são resposta à imitação do que os pais fazem. Coloque em prática todos os valores e ações que você quer que seus filhos tenham.

12. Estabelecer castigos por algo que você não viu

Especialmente nas brigas de irmãos, há a tendência de emitir ordens e castigos sem conhecer toda a situação. Certifique-se de que você conhece bem a situação antes de decidir as medidas que vai tomar.

13. Não buscar a raiz do problema

Antes de repreender seus filhos por não fazerem algo que você pediu, certifique-se de que não há nenhuma razão fundamental que os impediu de fazê-lo. Avalie as circunstâncias, para tomar uma decisão ou escolher um corretivo indicado para cada caso.