13 frases para acalmar uma criança ansiosa

· 27 de dezembro de 2018
Grande parte das crianças sentem ansiedade durante o seu desenvolvimento.

Uma criança ansiosa pode ficar paralisada diante de mudanças no seu entorno familiar ou na sua rotina, mas também sente medos irracionais criados por sua mente fantasiosa.

O ideal é acalmar a criança ansiosa para evitar que com o tempo ela se torne uma pessoa medrosa e apreensiva.

No entanto, você deve contar com uma estratégia capaz de combater sua ansiedade, que não consiste em minimizá-la ou negá-la, mas em validá-la, ensinando a criança a administrar suas emoções.

Por isso, nesse artigo de Sou Mamãe, compartilharemos frases da psicologia positiva que servem para acalmar uma criança ansiosa.

Com elas, o seu filho poderá identificar, aceitar e trabalhar sua ansiedade, essa sensação tão desagradável e limitadora.

criança ansiosa

Ajuda para a criança ansiosa

Existem vários sinais de ansiedade que podem se manifestar: preocupação constante, rejeição a certas atividades, dores físicas, aumento ou perda de apetite, busca exagerada por cuidado ou roer as unhas são apenas algumas delas.

Não importa a razão que gera esse sentimento ou a forma de expressá-lo, é possível fazer muitas coisas para ajudar essas crianças ansiosas. Mas o pontapé inicial para canalizar essas emoções é o diálogo.

Precisamente através da palavra você pode acalmar o seu filho. Por isso, as frases podem ser de grande utilidade.

Frases para acalmar e acompanhar

  • “Estou aqui, você está a salvo”. Assim que você notar os primeiros sinais de ansiedade do seu filho, abrace-o e transmita segurança através dessa frase. Dessa maneira o seu cérebro se tranquilizará e conseguirá diluir essa ansiedade que o afeta.
    • Você pode inclusive ficar um tempo ao seu lado para que ele se beneficie da sua presença e companhia.
  • “Eu também já passei por isso”. Não é nada demais confessar para o seu filho que você já sentiu essa ansiedade agoniante que nos deixa saturados pelos nossos próprios pensamentos.
    • Dessa maneira, seu filho compreenderá que não está sozinho e que não é anormal o que ele está sentindo, além de concentrar a sua atenção para que esqueça por um momento da sua preocupação.
  • “Formamos uma equipe inseparável”. Se a criança ansiosa esconde um certo medo de abandono ou sofre “ansiedade por separação”, é indispensável que você use esse frase para lembrá-lo de que ele sempre poderá contar com você, visto que você será o seu refúgio seguro.
  • “Deixa eu te abraçar”. Seja um abraço frontal ou pelas costas, ou inclusive permanecer sentado no seu colo, será de grande ajuda para a criança ansiosa, pois o contato físico constitui uma oportunidade para que o seu filho relaxe e se sinta seguro.
  • “As preocupações às vezes podem ser boas”. As crianças que sofrem de ansiedade geralmente se sentem mal por não aceitar essa sensação nova, já que os seus pais a julgam como negativa ou inadequada. Ainda que não seja uma emoção agradável, não deve ser reprimida nem minimizada.
    • Valide os sentimentos do seu filho, explicando que as preocupações em algumas ocasiões podem ser boas ou excessivas outras vezes. Mas o ideal é estabelecer um plano de ação para encontrar uma solução.
criança ansiosa

Perguntas para distrair

  • “Se o que você sente fosse um monstro, qual aparência teria?”. O fato de caracterizar a ansiedade implica transformar um sentimento confuso em algo concreto e palpável para poder, dessa maneira, falar dele.
  • “O que é o pior que pode acontecer?”. Como a ansiedade é um estado de expectativa negativa, a criança tem a sensação de algo ruim, mas não consegue enfatizar realmente o que acontecerá.
    • Então, o melhor é que a criança identifique seus piores medos e pesadelos para desfazer esse estado quando entender que se trata de uma sensação infundada.
  • “Quais estratégias você pode usar para ficar mais calmo?” A ideia de elaborar juntos uma lista de estratégias capazes de acalmar a criança não é ruim.
    • Apelar para a arte, praticar alguma atividade física, beber água, brincar ou simplesmente conversar podem distrair a criança. Por isso, se ela se sente ansiosa, incentive a prática da estratégia escolhida.
  • “Você se lembra quando…?”.  A ansiedade infantil geralmente apaga um pouco a memória, já que a concentração está no momento desagradável atual. No entanto, provavelmente a criança já superou momentos difíceis no passado, por isso é bom lembrar desses momentos.
    • Uma ida ao dentista, o primeiro dia do colégio ou outro desafio superado permitirão que a criança recupere o controle e a confiança em si mesma.

Argumentos que motivam atividades para acalmar o seu filho

  • “Desenhe como você se sente” ou “Desenhe seu medo”. Desenhar, colorir ou rabiscar tem um surpreendente afeito calmante, que o seu filho ansioso pode aproveitar para expressar as suas emoções.
    • Diante da “obra terminada”, ajude o seu filho a entender sua própria representação. “Que traços fortes”, “você usou muito preto” ou “por que essa criança está com esse rosto?”.
  • “Respire fundo”. Com a ansiedade, o pulso da criança acelera e sua respiração fica entrecortada, o que é notado pelo cérebro como uma situação de perigo. Por isso mesmo, uma boa opção é ensinar técnicas de respiração para o seu filho.
  • “Vamos contar até…”. Quando a criança tem consciência da sua ansiedade, ela aumenta. Então o melhor é desviar a atenção da criança ansiosa. Para isso, você pode pedir que ela conte (pessoas, carros, crianças, animais, etc.).
    • Outra opção é a frase “Me avisa quando passarem dois minutos”. Assim, desviamos sua atenção para que ela se concentre no movimento dos ponteiros do relógio durante certo tempo, relaxando sua mente.
  • “Vamos apertar essa bola de tensão juntos”. Se a criança dirige sua ansiedade para uma bola de tensão, experimentará um alívio emocional. Com uma bola ou massinha de modelar, você conseguirá o mesmo resultado.

Como você pode perceber, muitas frases podem orientar o diálogo com o seu filho. Mas lembre-se de procurar palavras e estratégias que estão mais de acordo com ele.

Também não se esqueça de incluir sempre uma alta dose de amor e ternura, sem cair na superproteção. E você, o que faz para ajudar o seu filho a acalmar sua ansiedade? Qual a sua opinião sobre essas técnicas?