A superproteção impede que as crianças cresçam

3 de julho de 2018
Superproteger é cortar as asas de um pássaro que ainda não sabe voar.

Superproteger é impedir que a criança descubra e conquiste o mundo por si só. 

Seja de propósito ou sem nenhuma intenção, superproteger é roubar a oportunidade de experimentar e aprender de acordo com os interesses ou as necessidades de cada criança.

Mãe, nesse artigo pretendemos expor os motivos pelos quais você não deve superproteger o seu filho.

A superproteção é a mania ruim que alguns pais têm de privar outro indivíduo da liberdade, seja uma criança, um adolescente, um jovem ou um adulto.

A superproteção entra em cena quando não se confia nas capacidades e nas habilidades que o indivíduo tem ou que pode desenvolver. 

No caso das mães, se for superprotetora sempre irá em auxílio do seu filho sem pensar e até sem se importar se ele precisa ou não de ajuda.

Superproteção: uma ameaça ao crescimento pessoal durante a infância

a superproteção

É por isso que se diz que quando se superprotege o filho, se educa uma criança com um caráter fraco, baixa autoestima e medo de tudo e de todos. 

Contudo, se você ama o seu filho e deseja que ele cresça e se transforme numa pessoa forte, livre e feliz:

  • Deixe-o fracassar e cometer erros para que aprenda com eles. Assim, aprenderá a se levantar.
  • Permita-o ver, escutar, tocar e analisar as coisas por si só.
  • Incentive-o a se relacionar com outras crianças da mesma idade, fazer amigos e ser sociável.
  • Desenvolva sua inteligência emocional. Eduque uma criança forte que possa ter um melhor controle de suas emoções.
  • Faça-o perceber que você confia nele e que por isso ele tem a independência de que precisa.
  • Expresse que mesmo ainda sendo criança, se ele quiser, pode alcançar os seus objetivos porque a força de que precisa para isso está no seu interior.
  • Dê a oportunidade para ele refletir e tomar as próprias decisões que ele acha que são melhores para ele.
  • Não o acostume a que seja você quem tem a última palavra. As crianças superprotegidas pelos pais chegam a se acostumar e até necessitar realmente da ajuda deles. Evite chegar a esse extremo.
  • Mostre que existe um mundo inteiro para ser conquistado, que será dele se ele for suficientemente corajoso.
  • Não o assuste, nem cultive o medo nele. Para o bem ou para mal, vivemos numa sociedade em convulsão e o perigo nos espera em todo lugar. Se desde criança o seu filho conhece a “selva” e aprende a sobreviver nela, jamais será presa das “feras”.
a superproteção

Superproteger os filhos é impedir que eles cresçam

Mãe, se você cuida do seu filho dessa forma, está bloqueando o seu crescimento emocional e psicológico. 

É importante que você saiba que superprotegê-lo não é amá-lo. Amar seu filho é dar liberdade para que ele aja por si só e não seja, por exemplo, motivo de chacota das outras crianças.

Não é um fato, mas muitas vezes as crianças superprotegidas são submissas, tímidas e se transformam em motivo de chacota por parte de seus companheiros e até se tornam vítimas de maus tratos físicos e psicológicos.

Para terminar, temos outros conselhos para dar:

  • Não queira se colocar acima dos deveres e das responsabilidades que são das crianças. Lembre-se de que no esforço diário nasce o amor para as coisas materiais e os sucessos de cada pessoa.
  • O lar onde a criança é criada deve ser seguro e cheio de amor. No entanto, o seu filho também deve encontrar obstáculos que o faça experimentar e se desviar para tomar novos caminhos.
  • Não crie uma criança dependente da família, com medo da sociedade com que terá que se relacionar. Afinal, ela será um homem ou uma mulher que terá que enfrentar a vida seja como for. Algum dia ela será responsável por levar adiante uma família e educar os próprios filhos. Prepare-o para isso.
  • Uma das maiores riquezas que uma pessoa possui é sua liberdade, sua autonomia de pensar e fazer por si mesma. Não tire isso do seu filho! Lembre-se de que errar, sofrer, chorar, se arrepender, se machucar… tudo isso faz parte da vida.