31 coisas que só uma mãe pensa

23 Junho, 2018
As mamães, às vezes, tendem a ser um pouco criativas. Se não temos informações suficientes, nos preocupamos e podemos imaginar as coisas mais incomuns possíveis.

Às vezes, chegamos ao ponto de pegar o telefone para perguntar ao pediatra tudo o que passa em nossa cabeça nesses momentos de muitos questionamentos. Neste post vamos listar 31 coisas que só uma mãe pensa.

Ser mãe e estar preocupada com tudo que pode acontecer com o filho parecem ser sinônimos. A partir do momento que nos dão a notícia da confirmação de que estamos grávidas, começam a circular um monte de coisas na nossa cabeça. Coisas que só acontecem conosco, mamães.

No entanto, a grande notícia é que isso nunca termina. Ser mãe não tem prazo de validade e as nossas preocupações estarão presentes até o dia em que já não nos encontremos no plano físico.

Mãe é o melhor doutor
em nossas noites de febre
mãe é o exímio ourives
reparando nosso erro
É mãe o nato escultor moldando com as mãos,
filhos úteis e saudáveis para um futuro melhor.

-Eliseo León Pretell-

 

Neste post compilamos as 31 coisas mais populares e comuns que nós, mamães, pensamos a partir do momento em que engravidamos até quando nosso filho chega na idade da pré-escola.

Durante a gravidez

 

  1. Eu não vou dizer aos meus amigos até chegar ao terceiro mês para que não venha ninguém com uma energia ruim e crie problemas na minha gravidez
  2. Será que o bebê está se formando bem? Quando eu fizer o primeiro ultrassom o obstetra terá que reservar para mim pelo menos 4 horas até que ele veja muito bem da cabeça aos dedos dos pés. É bom que ele tenha muita paciência.
  3. Está inteirinho, que bom! Agora eu tenho mais algumas dúvidas: será que ele poderá ver e ouvir bem?
  4. Espero que ele não se pareça com… (nome de um parente do marido). Deus me ajude!
  5. E se ele não chorar quando nascer? O que eu faço?
coisas que só uma mãe pensa

Depois do nascimento

  1. Será que os médicos checaram bem? Contaram os dedos das mãos e dos pés? Está completinho?
  2. Está tudo bem? Falou com o médico? Não estão me escondendo alguma coisa?
  3. Está respirando bem? Posso levar para casa?
  4. Realmente eu posso sair daqui com o meu bebê sem ninguém me perguntar nada? E se eu estivesse roubando?

Ao levar o bebê para casa

 

  1. Será que vou ser capaz de cuidar bem do meu bebê?
  2. Essa é uma grande responsabilidade e é muito cansativa, eu achei que seria mais divertido.
  3. Será que meu leite é de boa qualidade para alimentar meu bebê corretamente?
  4. Por que quando meu bebê está dormindo profundamente parece que para de respirar? Acho melhor ficar de olho.
  5. Será que está tudo completo por dentro? Será que tem alguma malformação interna que não foi detectada? Melhor ligar para o pediatra.
  6. Será que vai estar bem hidratado apenas com a amamentação? É melhor eu dar água. Não, melhor não!
  7. Nossa, dois dias sem evacuar… Será que eu preparei a mamadeira de forma errada, fiz algo errado?
  8. Por que está chorando tanto? Será que eu não sei interpretar o que ele está sentindo ou cuidar bem?
  9. Eu estou exausta e deprimida, por acaso sou uma péssima mãe?
  10. Eu não pude nem trocar de roupa e já troquei a do bebê 5 vezes só hoje.
  11. Isso não é como eu sonhei, tenho vontade de chorar também.
  12. Por que ainda não começou a nascer o primeiro dente? Será que tem alguma coisa errada?
  13. Por que ele não consegue sentar sozinho? O que será que está acontecendo?
coisas que só uma mãe pensa

Quando você começa a trabalhar ou tem que deixar o bebê no berçário

  1. Me sinto livre por algumas horas, eu acho que estou feliz.
  2. Me sinto muito culpada por deixá-lo aos cuidados de outra pessoa. E se eu cuidar dele de dia e trabalhar de noite… Não, isso é loucura!
  3. Sinto que eu estou fugindo, mas eu preciso. Meus sentimentos estão desencontrados! Ah, me sinto uma mãe desnaturada.
  4. Será que eles estão alimentando corretamente? Acho que não estão fazendo como eu…. Meu filho não deve estar muito à vontade….
  5. E se maltratarem meu bebê? Se eu descobrir algo parecido, eles vão saber realmente quem eu sou.
  6. O que eu faço se ainda precisar de fraldas quando meu filho completar 3 anos?
  7. Quando a gente for no pediatra com certeza vai se infectar com os vírus das outras crianças que estão doentes. Que agonia! Deveriam dividir o consultório em dois lugares separados: crianças saudáveis e crianças com vírus.
  8. Os avós dão muita comida, logo vai estar acima do peso.
  9. Quando fica a cuidado dos avós, ele chega em casa diferente e mais malcriado. Na minha criação meus pais eram mais rígidos. O bebê faz o que quer com eles, eu não entendo. Mas é melhor eu ficar quieta, não quero causar mais estresse.

E não para por aí…

Quando seu filho estiver um pouco maior, vamos ter novas ansiedades e pensamentos quando ele não estiver perto de nós: “Eu tenho medo que o sequestrem”, e “por que ele não se comunica comigo? ”, “Será que ele sofreu um acidente? “.

É por isso que podemos concluir que o amor e a preocupação de uma mãe nunca acabam.