4 dicas para que as crianças percam o medo da água

17 de maio de 2019
O medo da água pode ou não ter uma origem específica. No entanto, a boa notícia é que existem maneiras de ajudar as crianças a superá-lo.

Você quer que as crianças percam o medo da água da banheira, da piscina ou do mar? Nesse caso, a primeira técnica é tentar abordar o seu filho de uma maneira sutil e amigável nessas circunstâncias e, acima de tudo, não forçar. Podemos ajudar as crianças muito mais com pequenos passos do que confrontando-as de maneira brusca.

Contudo, vale a pena destacar que, desde que não se trate de hidrofobia, é possível ajudar os nossos filhos a superar esse medo sem a ajuda de um psicólogo.

Por outro lado, caso seja uma fobia, o tratamento deve ser estruturado e orientado por um profissional. A seguir, vamos falar sobre como agir quando há apenas um leve medo da água.

4 sugestões para que as crianças percam o medo da água

O fato de que uma criança supere o seu medo de ambientes aquáticos não significa que ela se tornará alguém imprudente, sem qualquer respeito pelo perigo. Pelo contrário, ela saberá como se comportar adequadamente tanto no mar quanto em piscinas. Para conseguir isso, coloque as seguintes medidas em prática.

  1. Forneça segurança. Para superar o medo, é essencial que a criança tenha confiança no ambiente aquático. Por essa razão, é vital que os seus primeiros contatos com a água sejam com um adulto de confiança.
  2. Adaptação progressiva. Você deve aproximá-la pouco a pouco da água na piscina ou na praia, primeiramente como se fosse uma brincadeira. Então, se ela aceitar, você pode fazer com que ela toque a água para que, dessa forma, tenha as primeiras sensações.
  3. Proporcione ferramentas de segurança. A criança pode, por exemplo, contar com boias que a ajudem a aumentar a sua confiança na água. Você deve se certificar de que elas se adaptem à idade da criança e sejam seguras.
  4. A água é uma brincadeira divertida. As brincadeiras são um meio eficaz para que as crianças percam o medo da água. Na piscina, é possível brincar na beirada ou nos degraus, usando objetos ou brinquedos da sua preferência.

Faça com que o banho seja divertido. Você pode tocar música, cantar e brincar com a criança. Permita que ela fique com alguns brinquedos dentro da banheira quando já conseguir segurá-los.

Dicas para que as crianças percam o medo da água

Dicas para que as crianças percam o medo da água

Na banheira

A criança tem medo de água? O banho é um momento agitado e pouco agradável? Se esse for o caso, a primeira coisa que devemos fazer nessa situação é não repreender nem forçar a criança a gostar da água. Você deve ter paciência e tentar distraí-la enquanto a mergulha na água com cuidado.

Embora pareça um detalhe insignificante, o fato de ter água limpa e com uma temperatura agradável ajudará a criança a experimentar uma sensação agradável nesse meio. Uma vez submersa, não a deixe sozinha. Brinque com ela e lembre-a de que a água não é uma ameaça nesse momento.

Se a desconfiança e o medo persistirem, tente tomar banho junto com ela. Assim, você poderá dar o exemplo, distraí-la e ajudá-la a lidar com a situação de uma maneira melhor.

Na piscina

Para que as crianças percam o medo da água da piscina, você deve respeitar o seu ritmo e deixar que ela se adapte ao ambiente da piscina. Para conseguir fazer isso, você pode segurá-la pela mão e levá-la para caminhar ao redor da piscina, de tal forma que ela possa observar como as outras crianças gostam de se divertir na água.

Dicas para que as crianças percam o medo da água

Sua paciência é fundamental nesse processo. No entanto, você deve esperar que seja a criança quem decida se molhar ou brincar com a água para, posteriormente, entrar na piscina.

Na praia

Muitas crianças têm pavor da água da praia, principalmente por causa das ondas e do barulho. No entanto, esse medo pode ser superado com a sua ajuda.

Você pode propor uma brincadeira na beirada da praia como, por exemplo, levar a criança pela mão e correr para a água quando a onda estiver indo embora e, em seguida, correr para a areia quando a onda estiver chegando. Dessa forma, a criança vai se divertir até perceber que a água não faz mal a ela.

Outra opção é brincar com a areia da praia usando brinquedos, tais como baldes e pás para guardar a areia. Estar entretida nessa atividade permite que ela esqueça os seus medos, o que a leva a querer entrar na água.

Como fazer para que ela aproveite a água?

Você deve encher a banheira com um nível de água adequado ao seu tamanho (e idade). Também não deixe a criança sozinha na água para que, caso ela escorregue, você possa ajudá-la imediatamente.

Se for um bebê pequeno, não o deixe brincar com a barra de sabão ou o frasco de xampu. O mesmo vale para os frascos de talco ou de perfume, pois ele pode abri-los e inalá-los.

Não deixe a criança ficar nua por muito tempo depois do banho. Você deve vesti-la imediatamente, pois sentir muito frio pode fazer com que o banho seja muito desagradável para ela.

Se você fizer do banho do bebê um momento agradável, ele pode se adaptar à água sem muita dificuldade. Com essas dicas, você pode fazer com que as crianças percam o medo da água, possam aprender a nadar e a aproveitem esse momento tranquilamente.

  • André, C. (2005). Psicologia Del Miedo/The Psychology of the Fear: Temores, Angustias Y Fobias/Fright, Anguish and Phobias. Editorial Kairós.
  • del Agua, A. M. P. (1994). La importancia de los tratamientos en la reducción de los miedos y las fobias infantiles. Revista de psicología general y aplicada: Revista de la Federación Española de Asociaciones de Psicología, 47(3), 321-323. https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/2164704.pdf
  • Jones, M. C. (1924). Elimination of children’s fears. Journal of Experimental Psychology, 7, 382-390.
  • Zumbrunnen, R., & Fouace, J. (2006). Cómo vencer el miedo al agua y aprender a nadar. Editorial Paidotribo.