4 implicações de sofrer de insuficiência istmo-cervical

· 8 de maio de 2018
O colo do útero ou cérvix, é um órgão colocado à prova durante a gravidez. Para garantir a implantação do embrião e que o fato possa passar por todo o processo em segurança, é necessário uma grande eficiência do colo do útero. No entanto, algumas mulheres pode sofrer de insuficiência istmo-cervical (IIC).

A insuficiência istmo-cervical é uma condição de fragilidade desse órgão. Essa situação pode produzir graves consequências para a gestação, já que à medida que avança torna-se mais difícil carregar o peso. A pressão e o peso que o bebê exerce sobre o colo do útero aumentam consideravelmente. Consequentemente isso pode levar a uma abertura prematura do cérvix.

O que causa a insuficiência istmo-cervical (IIC)?

Como ter uma gravidez saudável

Essa condição pode acontecer naturalmente em qualquer mulher. No entanto, na maioria dos casos o enfraquecimento do colo uterino é produzido como decorrência de algum procedimento. As mulheres que apresentam um cérvix debilitado podem ter sido afetadas por alguns dos seguintes processos:

  • Procedimento cirúrgico no colo uterino anterior à gravidez.
  • Dano causado por um parto complicado.
  • Malformação de nascimento do cérvix.
  • Trauma produzido pela dilatação ou curetagem em caso de aborto espontâneo ou pela sua indução.
  • Exposição a elementos como o dietilestilbestrol (DES), que é o hormônio estrogênio em forma sintética.

Quais são as implicações da insuficiência no cérvix?

Insuficiência istmo-cervical e como diagnosticá-la

Considerando que são diversas as causas dessa condição, apenas 1 em cada 100 gestações são afetadas pela insuficiência no cérvix. Ainda assim, é um problema que pode gerar sérias implicações na gestação.

À medida que o bebê cresce dentro do útero, ele se torna mais pesado. Consequentemente, todo esse peso gera uma pressão sobre o colo uterino, que começa a ceder quando o momento do parto se aproxima.

Ou seja, um cérvix debilitado pode ser perigoso para a gravidez porque não resiste à tanta pressão da forma que deveria resistir.

Sofrer de insuficiência istmo-cervical (IIC) acarreta os seguintes riscos:

  • Pode produzir a abertura do colo do útero muito antes de o bebê estar preparado para nascer.
  • Causa parto prematuro quando acontece a partir do segundo trimestre.
  • Está relacionado com alguns casos de aborto espontâneo. Pelo menos 25% dos abortos que acontecem depois do primeiro trimestre ocorrem por conta do colo uterino estar fragilizado.
  • Possíveis complicações durante ou depois do procedimento para tratar a insuficiência por meio de cerclagem. A cerclagem é um tratamento para o cérvix debilitado, que pode trazer diversas consequências. Por exemplo, pode ocorrer a ruptura prematura das membranas ou do útero, além de hemorragia na mãe, rompimento cervical ou da bexiga.

Apesar das terríveis complicações oriundas dessa condição, ela é pouco comum. Por sua parte, no caso de cerclagem, os especialistas afirmam que é um procedimento seguro, que em poucas ocasiões gera complicações. Eles também garantem que esse tratamento pode salvar muitas vidas, portanto preferem enfrentar os possíveis riscos.

Como a insuficiência istmo-cervical (IIC) pode ser diagnosticada

A insuficiência cervical não é detectada por meio de exames de rotina. Geralmente sua existência é conhecida quando já aconteceu o aborto no segundo ou terceiro trimestre. No entanto, desde cedo é possível considerar um exame mais preciso, como os descritos anteriormente, quando existem antecedentes.

Se a mulher foi afetada por fatores relacionados com a origem do problema, ela pode ser submetida a ultrassonografias visando o seu diagnóstico. Também pode ser detectado por meio de um exame pélvico. Por exemplo, o ultrassom é capaz de medir a longitude do colo uterino e sua abertura.

Uma vez que se diagnostica que a mulher sofre de insuficiência istmo-cervical, o tratamento é a cerclagem. A cerclagem consiste em colocar uma sutura que suporta a pressão da gravidez. A sutura é retirada antes do parto, para evitar complicações, entre a 36ª e a 38ª semana. No entanto, não é aplicável quando a mulher já possui aproximadamente 4 cm de dilatação ou se membranas tiverem se rompido.

O sucesso da gravidez depende de diversos fatores. No caso da função do colo uterino, ele é capaz de suportar todo o peso e a pressão do feto até chegar o momento do parto. Acredita-se que é um órgão com muitas qualidades, já que é capaz de manter a gravidez a salvo, ao mesmo tempo em que deve se abrir no momento certo.

Ter insuficiência istmo-cervical (IIC) pode ser algo complexo. Mas também é pouco comum e pode ser corrigido. Antes de mais nada, seguir uma rotina de consultas com seu obstetra pode salvar a sua vida e a do seu bebê.