4 técnicas de respiração no parto

· 7 de dezembro de 2017

Desde que o momento do parto se inicia, a respiração é fundamental para aguentar o processo todo até o nascimento do bebê. As técnicas de respiração no parto não só ajudam a mãe no trabalho, mas também beneficiam a oxigenação do bebê.

Dentre seus benefícios, a respiração no parto ativa o sistema circulatório. Além disso, mantém os músculos firmes durante sua execução, aumenta a atividade cardiorrespiratória e ajuda a mãe a controlar a dor e recarrega as energias.

A forma de respirar no parto

Alguns especialistas sustentam que a respiração é um processo espontâneo que a mãe adquire durante o parto. Porém, existem quatro técnicas básicas que são transmitidas nos cursos de maternidade.

Para a sua efetividade, as técnicas de respiração no parto devem manter um padrão respiratório. Por isso que o pai ou os assistentes devem acompanhar a mãe em seus processos de respiração. A melhor forma de seguir o padrão de respiração é olhar para a pessoa enquanto aplica a técnica. Desta maneira, seguir o padrão junto a outra pessoa ajuda a mãe a não se desconcentrar.

Pelo contrário, a perda do controle da respiração durante o processo de parto gera estresse e ansiedade na mãe. O descontrole leva assim à respiração de pânicoRespirações muito curtas e descontroladas que podem causar hiperventilação e desmaios.

Técnicas de respiração no parto

As técnicas de respiração no parto ajudam a marcar um padrão durante este momento tão importante. Além disso, também ajudam a conter a energia necessária para o momento do nascimento.

Respiração lenta ou abdominal

Quando as contrações começam, aplica-se a respiração lenta ou abdominal. Ela consiste em realizar expirações profundas pelo nariz enquanto se incha o abdômen. Logo deve-se expulsar o ar pela boca. A exalação deve ser mais longa do que a inalação e deve-se fazer uma pausa de vários segundos entre uma respiração e outra.

Seu objetivo é manter o ritmo da contração e controlar a dor.

Respiração acelerada leve

À medida que as contrações avançam, é normal que a respiração fique acelerada. Alguns especialistas chamam isso de respiração acelerada leve. São inalações um pouco mais curtas mas que mantêm o padrão nariz – boca.

Inspire uma pequena quantidade de ar pelo nariz no momento de iniciar a contração e depois expulse o ar pela boca ao finalizar a mesma. Pode-se exalar em um só tempo ou em quatro doses. Se as contrações aumentam, as respirações são feitas a um nível tórax ou peito. São respirações mais curtas que aumentam o nível de oxigênio do bebê e além disso ajudam a controlar a dor.

A respiração variável

Aplica-se enquanto se espera o grau de dilatação necessário e ajuda a aliviar a sensação de pressão.

Consiste em respirações muito curtas pelo nariz e pela boca. Inspire o ar pelo nariz ao iniciar a contração e faça duas exalações curtas pronunciando a sílaba “Ji” em cada uma, seguidas de uma exalação longa, prolongado a sílaba “Ju”.

Esta técnica deve ser aplicada em uma posição confortável para a mãe, para evitar a hiperventilação. Também deve-se manter o queixo elevado, assoprando para frente, para evitar a pressão.

A respiração de expulsão ou de empurrão

É a última das técnicas de respiração no parto. Ao chegar neste ponto, a mãe está pronta para dar a luz ao seu bebê.

Deve-se inspirar uma grande quantidade de ar até chegar aos pulmões. No momento de sentir a necessidade de empurrar, deve-se inclinar o queixo em direção ao peito. Posteriormente as pernas devem se levantar e então deve-se empurrar, deixando o ar sair pouco a pouco. Por último, se inala e se exala de forma natural para recuperar o ar. Isso pode ser repetido até 3 vezes para recarregar energias para o empurrão seguinte.

Durante o empurrão, a mãe deve relaxar a pelve. Isso ajudará na expulsão do bebê. É importante evitar conter a respiração no momento de empurrar, porque pode causar danos no assoalho pélvico e inibir o oxigênio ao bebê que está nascendo.

O processo de empurrar deve durar de 5 a 6 segundos. A contagem deve ser feita pelo acompanhante da mãe ou pelo médico.

É recomendável praticar as técnicas de respiração no parto previamente à data de nascimento. Da mesma forma, é aconselhável aplicar padrões respiratórios de relaxamento durante a gravidez. Praticar essas técnicas em frente ao espelho vai ajudar você a manter a concentração, prestar atenção ao padrão e ser consciente da respiração que realiza.