Dicas para ajudar a lidar com o medo do parto

· 20 de novembro de 2017

Em muitos casos, o medo do parto produz um nível tão alto de ansiedade que pode trazer consequências negativas para as mulheres. Simplesmente ter consciência deste fato nem sempre pode impedir que aconteça. Muitas mulheres não podem evitar, principalmente quando se trata de mamães de primeira viagem.

À medida que a data do parto se aproxima, é normal sentir um certo nível de angústia. Ter medo do desconhecido é normal. O problema aparece quando esta situação atinge um tamanho desproporcional e a mulher sente um verdadeiro pavor.

Externalizar essa sensação de angústia conversando com alguém é uma das soluções para enfrentar o medo do parto. Também é importante estar devidamente informada sobre o que acontece durante o parto. Dessa forma se evita ideias equivocadas ou preconcebidas que podem causar ainda mais dificuldades.

O alarme falso 

Um dos medos mais comuns para muitas mulheres a medida que o parto se aproxima é o dos alarmes falsos. O que acontece se você for ao hospital e for um alarme falso? Bom, não acontece nada. Nenhum profissional de saúde vai recriminar uma mulher grávida por achar que chegou a hora do parto. Na verdade, pelo contrário. Quando a mulher apresenta sintomas e desconfortos que poderiam indicar o início do trabalho de parto, o que ela deve fazer é exatamente ir ao hospital.

Mulher dando à luz, enfrentando o medo do parto

O conhecimento e confiança

Os especialistas aconselham que a gestante e o seu parceiro visitem as instalações da maternidade do hospital que escolheram. Lá eles poderão ver como é área de emergência, as salas de parto, a área de pediatria, etc. Além disso, eles também poderão conhecer a equipe responsável pelo parto. Com isso é possível diminuir a ansiedade e ganhar mais confiança.

Se o medo do parto for muito intenso, pode afetar seriamente o corpo da mulher. Provoca tensões musculares e outras reações fisiológicas como palpitações, suor, etc. Para evitar esses sintomas, a mulher pode procurar remédios naturais e fazer meditação.

À medida que o medo do parto diminui, o corpo fica melhor preparado, o útero voltará a funcionar normalmente e a dor diminuirá de maneira significativa.

Dicas para superar o medo do parto

Como vimos, é essencial estar bem informada principalmente sobre o que for relacionado ao momento do nascimento. Não hesite em perguntar ao médico todas as dúvidas que surgirem.

  • Desde o começo da gravidez é muito importante frequentar cursos de preparação para o parto. Esse tipo de curso traz muitos benefícios, entre eles ajudar a entender que a gravidez e o parto são processos naturais. Por isso não há o que temer. A mulher aprenderá a relaxar e a respirar adequadamente, diminuindo assim, o medo do parto.
  • Existem diferentes técnicas de relaxamento que ajudam a aliviar o estado de ansiedade. Além disso, essas técnicas também são úteis para controlar as emoções negativas.
  • Ouvir a experiência de outras mulheres pode ajudá-la a enfrentar o medo do parto. Mas não esqueça que cada pessoa é diferente, assim como todas as gravidezes. O que você deve evitar é ouvir histórias de nascimento com experiências ruins. Isso não vai trazer nenhum benefício.
  • O apoio do parceiro também é essencial. O pai tem um papel fundamental durante a gravidez. Compartilhar os medos com ele irá ajudar a desabafar e ver as coisas de uma perspectiva diferente.

O medo do parto pode ser resolvido com uma boa comunicação do casal.

  • Quando o medo do parto é tão intenso que afeta o seu descanso ou as suas atividades diárias, é recomendável conversar com o seu médico. É possível que ele indique outros serviços de saúde que fornecem uma ajuda mais específica, como um psicólogo.
mulher grávida com o parceiro é mais fácil de enfrentar o medo do parto

Preparação física e mental

Não há motivos para ser pessimista. Os exames, as ecografias e o diagnóstico pré-natal são feitos exatamente para garantir que tudo esteja bem. Não se esqueça de que os problemas que ocorrem durante o parto são muito raros, não chegam a 3% dos casos.

As mulheres com um pensamento negativo podem ter um parto mais doloroso. Pensando positivo o corpo libera mais oxitocina, um hormônio que ajuda a aliviar a dor.

Além disso, é claro, é importante  também que você se prepare fisicamente para dar à luz. A preparação física inclui o trabalho com os músculos das pernas e dos glúteos.

O parto prematuro

Mesmo no caso do parto estar adiantado, não há o que temer. É preciso ter total confiança nos profissionais que estão atendendo você. Esse tipo de situação exige calma e serenidade especialmente por parte da mãe.

Caso você tenha um parto prematuro, é aconselhável tentar não se angustiar e evitar se desesperar. O médico fará tudo o que estiver ao alcance dele para proporcionar o melhor para a mãe e para o bebê. Existem várias opções como administrar oxitocina para produzir contrações, realizar uma cesariana, etc.

Assim que o bebê nascer, é importante que ele receba os melhores cuidados. Ele precisará ficar um tempo na incubadora para evitar correr riscos. Embora não seja fácil deixar o bebê no hospital, os pais e a família devem entender que a criança estará no melhor lugar e nas melhores mãos.