4 tipos de mães problemáticas

3 de julho de 2018
Que tipo de mãe você é? Falaremos neste artigo sobre um tema que pode levantar certas dúvidas, mas é muito real: as mães problemáticas. Você é uma delas? Sabe como identificá-las? O que fazer se você conhece alguma ou se é uma delas?

As mães problemáticas podem ser de muitos tipos e você pode encontrá-las em qualquer lugar. Leia as dicas a seguir para aprender a identificá-las e como agir com elas.

1.A mãe hiper competitiva

Claro que, como mãe, você quer criar os melhores hábitos em seus filhos e fazer deles as melhores pessoas possíveis. Não há problema nisso e, de fato, nós lhe parabenizamos. Nosso primeiro tipo de mãe problemática leva isso ao limite e você a reconhecerá porque quer que todos façam tudo melhor que os outros, mais rápido e antes mesmo de se pedir.

A melhor forma de lidar com essa mãe é evitar cair em seu jogo. Filtre apenas o que for construtivo de seus comentários e assegure-se de que seus filhos saibam que está tudo bem. Se ela fizer algum comentário negativo diretamente a você, tenha paciência e responda com algo de bom.

Evite entrar em discussões porque ela não aceitará opiniões contrárias, e você apenas perderá tempo discutindo com ela.

2. A mãe que se se auto define especialista

mães problemáticas

Ela dá opiniões que você não pediu. Diz que o que você faz não está certo e o porquê. E somente ela sabe fazer as coisa de forma correta. Estamos falando do segundo tipo de mães problemáticas: as mães que se auto definem especialistas. Normalmente, elas têm mais de um filho e, por isso, têm muita experiência como mãe.

Em algum ponto, seus conselhos podem ser de grande ajuda e você os recebe animada. Mas você logo verá que ela não vai parar e que independente do que você fizer, estará sempre errada.

A melhor forma de lidar com ela é escutando o que diz e dando sua opinião. No início ela vai retrucar, mas logo se dará por vencida. Melhor ainda se você der sua opinião sustentada no que disse o pediatra ou um verdadeiro especialista, já que assim ela terá menos armas para revidar.

3. A mãe má influência

Você levou tempo para conseguir que sua filha por fim entendesse que para fazer a tarefa de casa é necessário desligar a televisão. Então, um dia sua filha pede permissão para passar a tarde com uma amiga da escola. Mais tarde, quando você a vê de volta, ela lhe diz que a amiga pode comer guloseimas o dia inteiro e pode ver televisão enquanto faz a tarefa.

Ao investigar um pouco mais, você descobre que essa mãe é muito liberal ao educar e basicamente deixa que seus filhos façam o que quiserem. Estamos falando das mães problemáticas que são uma má influência.

Você tem duas opções: falar com essa mãe e explicar as regras da sua casa ou limitar o contato da sua filha com essa mãe. Após conversar e pedir que quando sua filha estiver com ela as regras possam ser seguidas, se nada der certo, a melhor opção é limitar a convivência.

Sim, não se trata de falar mal dessa mãe ou sua filha, apenas limitar a convivência.

4. A mãe que não age

mães problemáticas

O último tipo de mãe problemática é mais passiva. Enquanto a mãe hiper competitiva espera somente o melhor, essa não faz nada para conseguir avanços. Você a reconhecerá porque ela deixa seus filhos fazerem o que quiserem. 

Se está no parque e vê seu filho brigando com outra criança, ela não irá fazer nada ou dizer nada a ele. Nem mesmo ficará observando. Por isso, não é incomum que seus filhos não tenham disciplina e educação. Ela pretende ser a melhor amiga dos seus filhos e não quer causar nenhum tipo de conflito emocional. 

Suas intenções são as melhores, mas seu método não. Às vezes, pode se tratar de uma pessoa muito insegura que não sabe agir em situações complicadas.

A melhor estratégia para lidar com ela é conversar diretamente sobre sua falta de controle e os problemas que sua passividade causa. Na maioria das vezes, essas mães receberão seus comentários de forma positiva e quem sabe pedirão ajuda se precisarem.

Você é uma dessas mães problemáticas?

Essas quatro mães problemáticas são extremos do que é uma maternidade saudável. Seja honesta e se pergunte se você está seguindo algum desses padrões de comportamento.

Recomendados para você