6 grandes mitos da maternidade

· 19 de novembro de 2016

A enorme felicidade que uma mãe pode experimentar quando seu filho está a caminho pode ser ofuscada por uma enorme quantidade de dúvidas e pensamentos que invadem sua mente, ainda mais porque culturalmente o tema “maternidade” está cheio de mitos.

Os mitos são uma série de crenças sociais que se propagam na comunidade por falta de conhecimento e credenciais acerca de algum tema. Quando o assunto é maternidade existem inúmeras crenças que passaram de geração em geração e geralmente carecem de base ou sentido.

Estas crenças contribuem na tensão, preocupação e medo causados pela inexperiência que uma mãe pode ter nos cuidados de seu pequeno, pondo em dúvida se sua bela responsabilidade como mãe está sendo bem encarada.

Entretanto, os mitos sobre a maternidade não devem se converter em motivos para se preocupar. Pelo contrário: se a mãe não tem o conhecimento de alguma circunstância ou tema que a preocupe deve investigar e informar-se para realizar ações com algum sentido.

Nem tudo que nos dizem sobre a maternidade é certo. É importante saber que cada gravidez é diferente e cada bebê se desenvolve de uma maneira distinta em relação aos outros. E com o conhecimento adequado desses cuidados dá para fazer um excelente trabalho

Os mitos sobre a maternidade

poslerodovaya-depressiya-1

À seguir apresentamos uma série de mitos e verdades sobre a maternidade para que seus pensamentos se afastem dessas crenças e você tenha tranquilidade e confiança como mãe com base em boa informação:

1. Todas as mães têm naturalmente o instinto maternal

Muito pelo contrário. Ser mãe traz grandes responsabilidades que nem todas as mulheres estão dispostas a enfrentar, transformando a decisão de ser mãe em algo ainda mais importante.

2. Ser mãe é uma felicidade infinita

Apesar de que ser mãe traz uma grande alegria e satisfação ao ver nossos tesouros crescerem também existem momentos tristes, de preocupação e tensão que não são alegres e impõem desafios.

3. Ser mãe é perder sua liberdade

Não, se você planejar seu dia com cuidado para entre as atividades constar também seu direito de se divertir, sair para comprar, ir ao cinema, ao parque, etc…

4. Amamentar nossos filhos nos transforma em mães melhores

É correto afirmar que amamentar ajuda no crescimento saudável da criança e a fortalecer o vínculo dela com a mãe, mas existem outras formas de alimentação igualmente nutritivas, e que não tiram o mérito de não podermos amamentar nossa criança por alguma razão médica ou orgânica

5. Todas as mulheres desde pequenas sonham em ser mães

É claro que ser mãe traz felicidade e satisfação, mas não é um requisito indispensável para nos sentirmos mulheres.

6. A depressão pós-parto é produto da falta de amor em relação ao bebê

Os sentimentos depressivos que a mãe sente logo depois do parto são causados pela grande atividade hormonal que ela experimenta logo depois de dar a luz e não por falta de amor em relação à criança.

Conselhos para uma maternidade livre de mitos

guagua

Apesar da veracidade sobre alguns dos mitos sobre a maternidade é importante ter em conta as seguintes dicas para que você amplie muito mais seus conhecimentos para minimizar essas crenças erradas:

  • Consulte revistas ou artigos relacionados com a maternidade com o propósito de ampliar seu conhecimento sobre vários temas, como por exemplo o desmame, o medo de crianças, como ser mãe e esposa ao mesmo tempo, entre outros.
  • Não prestar muita atenção a comentários e conselhos de terceiros. É importante buscar ajuda profissional seja de um médico ou psicólogo.
  • Apoiar-se no seu companheiro, pois cuidar de um bebê e entender o processo não é fácil e as mães sempre precisarão de alguém que as entendam e ajudem.
  • As mães devem ter confiança no que estão fazendo e precisam por em prática seus conhecimentos. Não importa que saibam pouco, já que por si só são mulheres valiosas e muito valentes que sempre tentam fazer o melhor possível.

É importante ter em conta que nem todas as mães são perfeitas e sabem tudo sobre seus filhos, assim como valorizá-las  como pessoas valentes que enfrentam o dia-a-dia com numerosos desafios. E algo que facilitará e muito esses desafios é ter acesso a informação adequada e de boa origem sobre sua maternidade.