5 coisas que você nunca deve fazer com seu bebê

· 30 de novembro de 2018
Quando um filho nasce, não chega às nossas vidas apenas a maternidade. Com ela, vem uma enxurrada de conselhos. Não importa se você os pediu ou não, e se eles realmente te interessam. Nem se são apropriados ou são simples mitos.

Há uma série de coisas que você nunca deve fazer com seu bebê. Conheça cinco delas neste artigo!

Os conselhos são dicas antigas, mantidas ao longo do tempo. Aquelas muito enraizadas nas avós geralmente.

Embora sejam dadas com a melhor intenção do mundo, essas sugestões, longe de ajudar, complicam a maternidade. Além disso, elas também colocam em jogo o vínculo sagrado entre mãe e filho, entre outros.

Por mais que muitos digam o contrário, siga sempre seu instinto e as indicações dos profissionais da saúde. Você verá que ser mãe é uma experiência maravilhosa, bonita e gratificante.

As complicações, os medos, as dúvidas e o cansaço serão apenas uma lembrança quando você sentir a gratificação de ter dado o melhor de si.

Por isso, neste artigo de Sou Mamãe, nós lhe diremos aquelas coisas que por nenhum motivo você deve fazer com seu bebê. Tome nota dos seguintes conselhos que é melhor não ignorar.

Desde já, deixe passar tudo aquilo o que não for indicado pelos seus médicos de confiança.

fazer com seu bebê

5 coisas que você nunca deve fazer com seu bebê

Claro, ninguém nasce sabendo como ser uma boa mãe. É um verdadeiro desafio. Contexto propício para estimular um bombardeio de segredos de antigamente.

Sim, isso pode ser realmente devastador. Então, minha amiga, com o melhor sorriso, encare tudo isso como o que são: opiniões. E continue com o seu trabalho, o qual você é perfeita para fazer.

Não deixa faltar carinho

Sim, seu corpo sempre foi o melhor refúgio. Nove meses protegido, quente e seguro em sua barriga. Seus braços são a continuidade dessa sensação no mundo exterior.

É por isso que, pelo menos até os 18 meses, é essencial que a criança sinta o afeto. Como conseguir isso? Simplesmente mediante o contato pele a pele, o que fortalece o vínculo entre mãe e filho.

Nunca ignore seu bebê

Os bebês não choram por raiva, nem têm o poder de manipular. Seu choro é o único meio de comunicação, e ele varia de acordo com a necessidade que manifesta.

O recém-nascido que é ignorado experimenta uma grande angústia que expressará chorando. Deve ainda ser enfatizado que este é um ser humano pequeno e indefeso, completamente dependente de seus pais.

fazer com seu bebê

Nunca deixe seu bebê sozinho

Esta é outra das coisas que você nunca deve fazer com o seu bebê. Muitos dizem que cometer esse grave erro é benéfico para ensinar a ser independente.

No entanto, o resultado desta prática é contraproducente. Nessas condições, a criança acaba se tornando uma pessoa carente de afeto, com marcas emocionais severas.

Além disso, também é provável que sinta insegurança e baixa autoestima por toda a sua vida.

Não bata no bebê

A violência nunca será uma solução ou um modo de ensino e disciplina. Ainda menos quando se trata de bebês. Como adultos, temos a enorme responsabilidade de orientar, proteger e ensinar a criança de maneira carinhosa.

Logicamente, sem perder de vista que, para esta criança, este mundo é novo e surpreendente. Simplesmente, explique com uma voz firme para que ela entenda. Com a violência, a única aprendizagem é a obediência por medo de possíveis represálias.

Não dê atenção aos vários mitos do sono

“Não o faça dormir no colo” ou “Deixe-o dormir sem ajuda”, são frases repetidas com uma insistência feroz.

No entanto, é bom tranquilizar os bebês antes de colocá-los para dormir. Geralmente, quando o pequeno acorda, ele se sente desprotegido. Isso motiva o choro que expressa angústia e medo.

Então, uma canção de ninar, balançá-lo ou falar em tom doce e relaxado são as melhores escolhas.

Ademais, outra coisa que você nunca deve fazer com seu bebê é deixá-lo chorar até que ele adormeça. Com isso, ele não irá aprender a lidar com suas emoções. Ele simplesmente não vai conseguir desenvolver o senso de confiança no mundo, nas relações e em si mesmo.