5 problemas ortopédicos em crianças

16 de abril de 2019
Se você notar que o seu filho apresenta algum desvio ou má postura, seja ao andar ou mesmo quando simplesmente estiver em pé, fique atenta. Especialmente se esse problema persistir após os 3 anos de idade.

Os problemas ortopédicos estão relacionados às deformações que podem ocorrer no corpo humano. Eles podem aparecer desde a infância e é possível tratá-los com a ajuda de aparelhos e técnicas específicas. A seguir contamos os detalhes dos cinco problemas ortopédicos mais frequentes em crianças.


Embora existam certas referências que determinem o crescimento esperado na infância, a verdade é que geralmente esse processo não segue totalmente as expectativas. Durante o processo de crescimento, pode haver certas circunstâncias que exigem cuidados especiais, apesar de não serem sérias para a saúde.

Nessa categoria podemos incluir algumas condições respiratórias, alergias, problemas na vista ou audição, para citar apenas alguns casos. Da mesma forma, não podemos esquecer os problemas ortopédicos em crianças, que tendem a ocorrer com bastante frequência.

5 problemas ortopédicos em crianças

Em seguida, falaremos sobre cinco más-formações que podem ser congênitas ou não. Além disso, daremos uma breve visão dos tratamentos comuns para cada problema específico.

1. Pé chato

Todo mundo tem o pé chato quando nasce. No entanto, com o passar do tempo, a sola do pé vai adquirindo uma forma arqueada no lado interno, o que é considerado normal.

Um dos problemas ortopédicos mais comuns em crianças é, precisamente, quando essa curvatura não ocorre. O primeiro sintoma que essa condição apresenta é fraqueza dos tornozelos, que se movem para dentro quando caminham.

Caso esse problema cause dor à criança, um especialista pode indicar o uso de palmilhas ortopédicas ou algum suporte especial para o calçado. Apesar de tudo, o pé chato não representa um problema sério. Aliás, não é um impedimento para nenhuma atividade, incluindo a prática esportiva.

Os problemas ortopédicos em crianças são bastante comuns.

2. Pernas arqueadas

É um distúrbio conhecido como Genu Varo. A criança é caracterizada por ter um desvio nos joelhos, o que faz com que eles se separem e apontem para fora.

Essa condição pode ser herdada e ocorre frequentemente em bebês. Na verdade, costuma ser corrigida naturalmente com o passar do tempo.

Desde que não se trate de uma doença mais grave, como o raquitismo ou a doença de Blount, esse distúrbio geralmente não requer tratamento. Um sinal dessa condição pode ser dor na tíbia e nas articulações do joelho.

3. Pernas em X

Também conhecido como Genu Valgo, esse problema é o oposto do anterior. Nesse caso, os joelhos se encontram no centro enquanto as coxas e pernas ficam desviadas.

Diferente do Genu Varo, geralmente ocorre em crianças entre 3 e 6 anos de idade. Nesse período, as pernas passam por mudanças que também afetam seu alinhamento.

Em ambos os casos, o principal aspecto que deve ser levado em consideração não é o estético, mas o funcional. Se a curvatura não produzir dor ou afetar as atividades da criança, não será necessário tratamento.

“Todos nós nascemos com os pés chatos. No entanto, com o passar do tempo, a sola do pé adquire uma forma arqueada no seu lado interno.”

4. Pé cavo

O pé cavo é precisamente o oposto do pé chato. Nas crianças com pé cavo, o arco dos pés é muito alto. Apesar de alguns sapatos serem desconfortáveis, esse tipo de má-formação não costuma apresentar grandes complicações.

Como nos casos anteriores, a presença de dor é um indicador de que a situação realmente precisa de atenção médica. Da mesma forma, é preciso observar se a criança consegue caminhar normalmente ou se apresenta uma deformação muito proeminente.

5. Andar na ponta dos pés

Quando aprende a andar, a maioria das crianças andam na ponta dos pés. No entanto, esse comportamento deve desaparecer quando a criança completar 3 anos de idade.

Se isso não acontecer, pode ser devido à fraqueza muscular ou a outras condições mais complexas, como as relacionadas ao cérebro ou ao sistema nervoso. Nesse caso, é necessário fazer uma consulta imediata com um médico para descartar essas complicações e corrigir o problema.

Como identificar problemas ortopédicos em crianças?

Para reconhecer se uma criança apresenta algum problema na estrutura do corpo, os pais devem aguçar a observação. Os profissionais afirmam que é normal que as crianças tenham alguma curvatura nas pernas nos primeiros 18 meses de vida.

problemas ortopédicos

Tenha em mente que o período em que a criança aprende a andar representa um grande esforço da parte inferior do seu corpo, ainda em desenvolvimento.

Por volta dos 2 anos, ela pode apresentar os joelhos direitos e, um ano mais tarde, os joelhos podem se mostrar juntos quando a criança estiver em pé. Sendo assim, as características da criança vão se ajustando aos poucos durante o processo de crescimento.

Se os pais observarem alguma anormalidade, podem sempre procurar o médico para fazer uma avaliação melhor. Da mesma forma, é preciso procurar assistência médica se a criança apresentar dor. O exame físico e outros exames, como a radiografia, serão fundamentais para o diagnóstico adequado.

  • Neves, M. C., & Campagnolo, J. L. (2019). Desvios axiais dos membros inferiores. Revista Portuguesa de Clínica Geral. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v25i4.10652
  • Sant´Anna, F., & Neves, M. C. (2019). Deformidades do pé – Conceitos básicos e orientações para o médico de família. Revista Portuguesa de Clínica Geral. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v25i4.10651