5 regras de ouro para fazer com que os filhos obedeçam

· 5 de abril de 2017

Algumas vezes os pais levam as mãos à cabeça porque não sabem como fazer com que os filhos obedeçam. Isso sem dúvidas pode ser um grande motivo de frustração dos pais.

Os pais costumam buscar ajuda profissional para descobrir maneiras ou ouvir conselhos para fazer com que seus filhos obedeçam e prestem atenção às ordens que eles dão. Mas a verdade é que as crianças não precisam obedecer às ordens. Elas precisam somente entender e se sentir valorizadas.

A tarefa de administrar o comportamento dentro de casa pode ser frustrante e inclusive desagradável. Mas é um elemento crucial para a criação dos filhos. É a partir dos 18 até os 24 meses que as crianças começam a reconhecer, entender e respeitar a autoridade dos pais. Sempre e quando eles saibam como fazer isso sem que os pequenos se sintam mal em nenhum momento.

Fazer as crianças obedecerem se consegue com sabedoria, discernimento e criatividade. Você também deverá administrar o comportamento em uma atmosfera de amor e muito carinho. A chave está no fato de que é necessário que as crianças entendam que todos os comportamentos têm consequências, tanto negativas como positivas. Devem entender que os diferentes tipos de comportamento produzem diferentes resultados. Alguns são agradáveis e outros não são tão agradáveis assim.

comportamento2

Usar o cantinho do pensamento ficando ao lado dele

O cantinho do pensamento não consiste em deixar a criança sozinha em determinado lugar para pensar sem mais nem menos. Se você usar dessa maneira o cantinho do pensamento,  somente vai conseguir que seu filho se sinta abandonado e o fará pensar que seus pensamentos não são importantes. Quando seu filho não obedece você pode usar o cantinho do pensamento como consequência. Mas é preciso ficar por perto para mostrar qual foi o comportamento negativo, qual é o adequado e qual será a consequência. Além disso, você também deve ajudá-lo a se acalmar caso seja necessário.

Oriente seu comportamento

É muito importante que você ajude seu filho orientando o comportamento que você quer que ele aprenda. Se você quer que seu filho seja mais amável deve ser amável também. Se você quer que seu filho não seja agressivo com o irmão, é preciso que também não seja agressivo com eles, com as outras pessoas e nem com você mesmo.

Reconheça os bons comportamentos

Reconhecer os bons comportamentos é uma forma de dar importância à conduta correta. Assim, as crianças vão sentir que o que fazem corretamente é valorizado e provavelmente vão se comportar melhor em ocasiões futuras.

Não me refiro às recompensas (algo que estimula o egoísmo quando usado excessivamente). Mas uma boa maneira de reconhecer é recompensar a criança com experiências familiares positivas quando elas se comportarem bem algumas vezes. Você pode organizar um sistema de pontos, ou desafiar as crianças a encher um pote com bolinhas de gude, que serão os prêmios pelos bons comportamentos…quando estiver cheio elas poderão escolher uma atividade para fazer em família, como ir à praia ou ir ao parque tomar um sorvete.

comportamento3

Pense se algo não está bem

Se seu filho está muito desobediente é possível que alguma coisa não esteja bem e ele está tentando fazer com que você perceba isso de alguma forma. Talvez você precise analisar se a criança está bem alimentada, se descansa tempo suficiente, se tem horários muito estressantes, se há algo na família que está causando esse mal-estar emocional…assim você vai poder pensar no que está acontecendo e como solucionar um possível problema.  Também é preciso ver se os pequenos estão passando por algum conflito emocional que valha a pena resolver antes de tentar fazer com que eles obedeçam cegamente suas ordens. Quando as crianças estiverem bem emocionalmente, o comportamento delas vai melhorar drasticamente.

Diga o que você espera da criança

Muitas vezes os filhos são desobedientes (sem que eles saibam o que estão fazendo) simplesmente porque não sabem exatamente o que você espera deles. As crianças precisam de informações sobre o seu comportamento e sobre o que é certo, e o que não é.

Se houver alguma coisa que elas não estejam fazendo corretamente, você deve deixar claro qual é a atitude correta. Assim como quais serão as consequências negativas e positivas de cumprir ou descumprir o que foi dito. Muitas vezes, as consequências naturais também são uma boa forma de aprender o que é melhor para elas e de levá-las a obedecer na próxima vez.