5ª semana de gravidez

· 28 de dezembro de 2017

A 5ª semana de gravidez equivale à 3ª semana de gestação. O embrião já está implantado no útero e se alimenta graças ao saco amniótico enquanto a placenta ainda está em desenvolvimento. Nesse período, é provável que a grávida comece a sentir náuseas, inchaço e outros sintomas associados.

Após ter realizado um teste de gravidez e verificar que o resultado foi positivo, devemos consultar um médico. Ele, além de confirmar o resultado de maneira mais confiável, vai nos colocar a par de todos os exames aos quais deveremos nos submeter.

Os exames de sangue e de urina (além das ultrassonografias) vão servir para acompanhar o desenvolvimento do feto. Se a mulher tiver mais de 35 anos, provavelmente será necessário realizar alguns exames mais específicos, como a amniocentese.

Esse tipo de exame não está livre de riscos, mas é completamente facultativo. Se uma grávida não quiser se submeter a esse tipo de exame, ela não precisa. Apesar disso, são exames recomendáveis para podem identificar algumas anomalias, como, por exemplo, a Síndrome de Down.

O que acontece na 5ª semana de gravidez?

Na 5ª semana de gravidez já podemos afirmar com total segurança que vamos ter um bebê. O embrião mede entre 1,5 e 2,5 milímetros e seu formato começa a lembrar a letra “C”. Com o passar das semanas, o corpo do feto começa a se definir e as mudanças podem ser observadas nas ultrassonografias.

Essa fase recebe o nome de período trilaminar. Esse nome se deve ao processo de gastrulação, no qual se formam as camadas germinativas. Essas camadas recebem o nome de ectoderma, endoderma e mesoderma. Cada uma tem uma função fundamental e específica.

A ectoderma será responsável por formar o sistema nervoso central. A endoderma vai formar o pâncreas, o fígado, os intestinos e as glândulas tireóideas. Por fim, a mesoderma vai formar os ossos, os músculos e o sistema sanguíneo.

5ª semana de gravidez

Na 5ª semana de gravidez são estabelecidas as bases do desenvolvimento fetal. Com o fim da gastrulação, algumas células mesodérmicas vão se encarregar de criar os vasos sanguíneos que vão formar as vilosidades coriônicas terciárias.

Esses vasos sanguíneos vão criar uma conexão com o embrião por meio das veias umbilicais. Por fim, é estabelecida uma comunicação entre o feto e a placenta, provocando o funcionamento final do sistema cardiovascular.

Tomar a decisão de ter um bebê é extremamente importante: significa decidir que a partir desse momento seu coração vai começar a bater fora do seu corpo também

-Elisabeth Stone-

Primeiros indícios do coração

Por sua vez, o tecido embrionário começa a mostrar uma pequena protuberância: o coração. O bebê está situado entre duas membranas protetoras que formam o saco vitelino. De suas estruturas vão surgir as células sanguíneas.

Ao mesmo tempo, o tubo neural começa a se expandir para criar a parte frontal do encéfalo. Surgem aos lados blocos de tecidos que vão dar origem aos músculos. Ao mesmo tempo, da crista neural vão surgir as meninges e as glândulas suprarrenais.

Quando devo começar a mudar meus hábitos?

Se seus hábitos são prejudiciais para a sua saúde e a do bebê, você deve eliminá-los já da sua rotina. O álcool, o tabaco e as bebidas com cafeína são terminantemente proibidas no processo de gestação. Tente substituir por sucos caseiros, infusões ou, simplesmente, água.

5ª semana de gravidez

É recomendável continuar praticando esportes e se mantendo em boa forma. Lembre-se de que a gravidez não é uma doença e não vai acontecer nada com o bebê se você for cuidadosa. Evite os exercícios excessivamente cansativos ou que exijam movimentos bruscos. O yoga pré-natal e a natação são esportes benéficos para os músculos e a coluna vertebral, além de melhorar a nossa capacidade respiratória. Da mesma maneira, passear e caminhar rapidamente são ótimos exercícios para relaxar.

Também é preciso se lembrar da importância de realizar as consultas ginecológicas programadas. Somente assim você poderá ter certeza de que o bebê está se desenvolvendo corretamente e de que não existe nenhum problema. Não tenha medo de perguntar ao seu médico qualquer dúvida que você tiver em relação à gravidez e ao parto.

Muitas mães de primeira viagem têm medo do momento de dar à luz. Não sinta vergonha de fazer perguntas, por mais simples que elas possam parecer, com certeza são importantes. Esse é um processo natural pelo qual a maioria das mulheres passa ou já passou, assim não pense que ninguém vai entender você. Quando você estiver com seu bebê no colo, você vai perceber que tudo valeu a pena.