5 valores de toda família feliz

· 7 de setembro de 2018
Receber uma educação saudável não significa apenas ter boas notas. Existem valores que os pais devem transmitir aos filhos. Veja alguns deles aqui!

Os valores são crenças que nos permitem moderar a conduta para viver em harmonia com os demais. Aqui te apresentamos os 5 que não podem faltar na sua casa.

A família é um pequeno grupo de pessoas que devem conviver juntas mesmo com os problemas sempre do dia a dia. Isso ocorre porque cada membro tem seus próprios interesses, virtudes e defeitos. Portanto, ser feliz é uma jornada.

No entanto, alcançar uma convivência saudável não é impossível. Vai depender da autoridade, da educação e da negociação. A ideia é utilizar esses três elementos para construir um ambiente agradável para todos os que fazem parte do conjunto familiar.

Obviamente, você irá se perguntar: e como eu posso conseguir isso? A resposta é simples: valores.

5 valores de toda família feliz

Primeiro: o amor

família feliz

A primeira coisa que deve nos unir à nossa família não é o sangue, mas sim o amor. Os gestos afetuosos são uma forma de comunicação que existe entre um casal de pais e seus filhos.

Através do calor compartilhado, nos identificamos com o grupo ao qual pertencemos. Esse sentimento é algo que se sente, mas que também se cultiva. Por isso, nós, pais, devemos acostumar nossos pequenos a ter uma relação estreita, amorosa e aberta dentro de casa.

O amor puro não é suficiente. Uma vez que os outros valores são necessários para facilitar as relações dentro desse núcleo, educar em outros aspectos também é garantir que o afeto e a consideração mútua sejam lei em casa.

Segundo: a obediência

Diferentemente do que algumas pessoas pensam, a obediência não se trata de submeter os pequenos ao mandato dos mais velhos. Falamos mais de um respeito pelas autoridades da casa, fazendo com que as crianças entendam o porquê de cada ordem ou regra.

Nesse sentido, é a lógica que deverá reger a relação entre adultos e crianças. Para isso, é necessário ensinar a razão de existir de cada norma. Por exemplo, para que uma criança tome banho regularmente, é essencial explicar a importância da limpeza.

Com a orientação, também vem a disciplina. Se quisermos que nossos filhos tenham bons costumes, devemos dar o exemplo e exigir. Estabelecer horários é o ideal para que a criança automaticamente faça o que é certo. Monitorar, recompensar ou castigar.

Terceiro: a tolerância

Uma parte importante de viver em grupo é aceitar quem somos e também o que os outros são. Para conseguir isso, devemos incutir a tolerância. Ser tolerantes é entender a existência do outro, a partir de sua realidade. Você se lembra das virtudes e dos defeitos? É disso que estamos falando.

Esse valor passa a inculcar uma série de ideias-chave: o fato de que não somos seres perfeitos, a realidade de que somos diferentes e a possibilidade da compaixão. Este último é dar o braço a torcer e ajudar mesmo quando o outro tiver cometido um erro.

O segredo é identificar os momentos nos quais devemos pedir e aqueles de deixar passar ou perdoar. Lembre-se de que, às vezes, agimos sob pressão e que isso sempre deve ser avaliado. Se seu pequeno aprender isso, você terá proporcionado uma ótima ferramenta para a vida.

Quarto: o respeito

família feliz

Mas nem tudo pode se deixar passar. A tolerância é positiva na medida em que é praticada igualmente entre os membros da família. Se alguns forem tolerantes e outros não, abriremos espaço para o egoísmo e, assim, para as brigas. Para evitar isso, o remédio é o respeito.

Respeitar é evitar fazer mal aos outros

O respeito se baseia na ideia de que todos temos um limite, o qual jamais deve ser violado pelos demais. Está correto assumir que “cada um é como é”, desde que a ação de um não prejudique os outros.

Normalmente, quando não respeitamos, nos impomos aos demais e, portanto, não os deixamos ser como são! Portanto, a regra máxima é “não faça aos outros o que você não gosta que façam com você”.

Quinto: a responsabilidade

Ser respeitoso é ser responsável também com outros familiares. Quando falamos de responsabilidade, nos referimos a tudo aquilo que temos que fazer por nós e por nossos entes queridos.

A convivência requer um trabalho integral

Ser responsável é pensar que há um mundo que nos rodeia e ao qual devemos não só pedir, mas também servir. Para as crianças, devemos lhes explicar que, assim como recebem, também precisam dar.

Esses valores são desenvolvidos quando a criança se comunica com facilidade. Devemos nos lembrar de que esse processo começa a ocorrer inclusive antes de que se inicie a vida escolar.