6 razões para não usar o Papai Noel para chantagear as crianças

É um erro chantagear as crianças dizendo que o Papai Noel não trará presentes se elas se comportarem mal. Neste artigo, você verá porque isso deve ser evitado.
6 razões para não usar o Papai Noel para chantagear as crianças

Última atualização: 05 janeiro, 2022

Certamente, muitos de nós já usamos o Papai Noel ou os Três Reis Magos para chantagear as crianças e pedir que se comportassem.

Às vezes, os pais se sentem frustrados porque os filhos têm comportamentos inadequados e, nesses momentos, usam frases infelizes. Por exemplo: “se você não se comportar bem, o Papai Noel não trará presentes” ou “enquanto você continuar a se comportar assim, os Três Reis Magos vão te trazer carvão”.

Quem nunca ouviu essas frases quando criança ou as repete agora para os filhos? Geralmente, este é um recurso muito simples e comum ao qual muitos de nós recorremos, mas há razões importantes para que isso não seja feito. Você quer saber quais são elas? Não pare de ler.

Por que você não deve usar o Papai Noel para chantagear crianças

Usar o Papai Noel ou os Reis Magos para fazer as crianças se comportarem é um erro. Essa técnica destrói muitas coisas boas na mente da criança, pois essas figuras fazem parte do pensamento mágico e da ilusão. Por meio delas, os pequenos recebem presentes, carinho e gentileza de uma forma um pouco difícil de explicar.

Esse tipo de pensamento dura poucos anos e a magia e o mistério acabam desaparecendo com o tempo. Por isso, não devemos destruir a ilusão antes do tempo, porque ela ajuda a criança a crescer e a se desenvolver.

A seguir, apresentaremos todos os motivos pelos quais usar o Papai Noel ou os Reis Magos para chantagear é uma má ideia. Tome nota!

1. Condicionamos o amor da criança ao seu comportamento

Criança abraçando sua mãe.

Se dissermos às crianças que elas não receberão presentes do Papai Noel ou dos Reis Magos se não se comportarem bem, o que faremos é condicionar o amor ao seu comportamento. Negaremos o seu valor real, que independe de suas ações.

Em última análise, os pais são os seres representados por essas figuras mágicas e por meio dessas ameaças transmitimos que o nosso amor não é incondicional, mas sim depende da maneira como se comportarem.

2. Prejudicamos a autoestima da criança

Mesmo que as ameaças não sejam cumpridas, elas ainda assim prejudicam a autoestima das crianças. Elas fazem com que as crianças pensem que não merecem os presentes, que “elas não têm tanto valor assim”. Mas não há nada mais longe da realidade.

3. Incentivamos a criança a se comportar com base em recompensas ou punições

Essas frases ameaçadoras orientam a criança a agir com base na obtenção de recompensas ou para evitar o castigo. Não devemos nos esquecer de que esse tipo de aprendizagem resolve a situação momentaneamente, mas não se mantém ao longo do tempo.

4. Fazemos as crianças obedecerem por medo de ficar sem presentes

Se ameaçarmos em nome dessas figuras mágicas, as crianças obedecerão apenas por medo de ficar sem presentes. Isso limita a compreensão dos pequenos e a forma de agir segundo os próprios critérios, o que também inibe a sua confiança em si mesmos e nos pais.

5. Estabelecemos rótulos generalizados de “bom-mau” para categorizar as pessoas

Quando rotulamos a criança como boa ou má (“você foi mau e não vai ganhar presentes”), ensinamos que há pessoas que merecem esse benefício e outras que não. Desta forma, presume-se que as crianças que receberam mais presentes são melhores do que as outras.

Essa conclusão é bastante cruel, pois nem todos os pais têm as mesmas condições financeiras para poder comprar os mesmos presentes para os filhos. E, sem perceber, passamos às crianças a mensagem de que quem tem mais é superior a quem tem menos, em termos materiais.

6. Mentimos e perdemos credibilidade

Já temos os presentes comprados e escondidos à espera da véspera de Natal. Então, por meio das falsas ameaças de que não receberão presentes caso se comportem mal, perderemos a credibilidade diante delas. Além disso, faremos com que pensem que, mesmo que façam o que não devem, receberão o que pedem.

É muito importante que sejamos consistentes com o que dizemos e cumpramos o que pregamos. Caso contrário, a nossa credibilidade desaparecerá perante os seus olhos.

Menina triste porque é afetada pelas críticas excessivas do pai.

Usar o Papai Noel para chantagear as crianças não é uma boa ideia

Como você viu neste artigo, chantagear as crianças dizendo que o Papai Noel não trará presentes se elas não se comportarem bem não é benéfico de forma alguma. Aqui, explicamos algumas das razões pelas quais você deve evitar esse tipo de atitude.

No Natal ou em qualquer outra época do ano, não devemos tentar fazer com que as crianças se comportem bem por meio de chantagens ou ameaças. Dessa forma, além de prejudicá-las, não mostraremos os reais motivos pelos quais o seu comportamento deve ser modificado.

Pode interessar a você...
Segundo a disciplina positiva, as crianças agem bem quando se sentem bem
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Segundo a disciplina positiva, as crianças agem bem quando se sentem bem

A disciplina positiva é um método interessante para educar seus filhos baseado na comunicação entre pais e filhos e a ausência de castigos físicos