6 tipos de contrações

· 19 de dezembro de 2017

Nossa mente associa a palavra contração com o processo de parto. Basicamente, a ideia que se costuma ter sobre as contrações é muito generalizada. No entanto, é bom saber que existem vários tipos de contrações.

Sim. Existem diferentes tipos de contrações e elas acompanham a mãe durante toda a gravidez. Todas envolvem o mesmo músculo: o útero, que conta com a quantidade de força suficiente para expulsar o bebê de dentro de você.

Seu trabalho começa muito antes do início do trabalho de parto. Dada a importância do seu papel, o útero precisa se exercitar durante os 9 meses de gravidez.

Conheça os diferentes tipos de contrações

O objetivo das contrações é facilitar a circulação de sangue pela placenta e pelo útero, ao mesmo tempo em que o mantém em forma. Mas por que tudo isso acontece? Porque o útero, dentre outras funções, ajuda a deixar o bebê no canal adequado para sair da barriga da mãe.

Assim, repetimos que desde o começo da gravidez as mulheres sentem diferentes tipos de contrações. Elas são identificadas através de diferentes nomes:

1.- Contrações de A:

As primeiras contrações aparecem na fase inicial até a semana 28. Essas contrações são conhecidas como contrações de A ou de Álvarez. Suas características principais são a baixa intensidade e a baixa frequência, tanto que costumam passar despercebidas pela mãe.

2.- Contrações focais:

Ocorrem geralmente como reação a um movimento do bebê. São contrações de baixa intensidade e, segundo Mario Romero explica em um artigo, se devem ao estímulo de apenas uma área do útero.

tipos de contrações

3.- Contrações generalizadas:

São muito parecidas com as focais: no entanto, elas se diferenciam porque apesar de começarem em um ponto específico, logo se espalham para o resto do útero.

Podem ser produzidas por movimentos do bebê ou por esforços físicos da mãe. Também pode ocorrer devido a mudanças de posição da grávida ou como sinal de que a bexiga está cheia.

“Contração é o nome que se dá ao endurecimento do abdômen como consequência da atividade do músculo uterino”
– Mario Romeo, especialista do Sanátorio Modelo de Caseros-

4.- Contrações de Braxton Hicks:

Esse tipo de contração se diferencia do resto porque a barriga se contrai, mas não há dor. Sua duração se prolonga entre 30 e 60 segundos.

Além disso, sua frequência tem uma média de 1 hora e vai aumentando à medida que a gravidez avança. Algumas mães chegaram a sentir essas contrações a partir da 13 semana de gravidez.

Geralmente, essas contrações aparecem quando chegamos na segunda metade da gravidez.

5.- Contrações pré-parto:

Elas tem um pouco mais de intensidade do que as de Braxton Hicks. Aparecem nas 2 últimas semanas de gravidez e, como o nome indica, anunciam que o trabalho de parto vai começar em breve.

Essas contrações desempenham a função de preparar o colo do útero para o trabalho de partoSua frequência é bastante regular.

6.- Contrações de parto:

Essas contrações, sim, são as definitivas e precedem o momento do parto. Sua presença é bastante regular, constante e enérgica. Elas se manifestam em períodos de 3 a 5 contrações a cada 10 minutos. À medida que o trabalho de parto vai avançando, sua duração vai aumentando. Duram aproximadamente entre 60 e 90 segundos.

A dor e a intensidade que essas contrações produzem também aumentam à medida que o momento de expulsar o bebê se aproxima.

Quem já passou pelo trabalho de parto afirmam que, apesar de intensas, essas contrações também são satisfatórias, pois o esforço de suportá-las traz a maior das recompensas: ver o filho pela primeira vez.

tipos de contrações

Conselhos para reduzir o número de contrações

Recomendamos que você tente evitar os seguintes fatores a fim de minimizar a frequência dos diferentes tipos de contrações:

  • Emoções negativas. Discussões, situações de estresse por causa do trabalho, da casa ou de doença de algum familiar próximo se transformam em emoções que são difíceis de lidar para qualquer pessoa, ainda mais para uma mulher grávida.
  • Tudo o que gera excesso de preocupação pode desencadear mais contrações do que as provocadas pela atividade física.
  • Esforços físicos. Evite correr, caminhar rápido, ficar sentada e se colocar em pé bruscamente ou carregar peso durante longos períodos de tempo.

Lembre-se de que todos os excessos são nocivos para a sua saúde, especialmente se você estiver grávida. Por isso, o recomendável é cuidar muito de si mesma e se informar muito bem para reconhecer os diferentes tipos de contrações e saber como agir quando elas aparecerem. É claro, nunca hesite em consultar seu médico caso você sentir algum tipo de contração ou algum movimento estranho na sua barriga.