7 sinais de afeto de seu filho

· 9 de julho de 2017

O amor que você sente pelo seu bebê é uma verdade indiscutível desde o mesmo momento em que  ficou sabendo de sua chegada ao mundo. Como mostra de um sentimento profundo por uma pessoinha que você ainda não conhece, mas sabe que existe, se entrega na gestação para dar-lhes vida. Mas, como você sabe que eles te amam?

Nascer é uma fase transcendental no ser humano, porque ele aparece em um universo totalmente desconhecido que pouco a pouco irá descobrindo. Entre as primeiras coisas que ele irá compreender é que você é uma presença que sempre está quando ele mais precisa, ou seja, associará sua figura com alguém que o cuida em todo o momento.

Os bebês reconhecem sua mãe como uma fonte inesgotável de amor e proteção

No começo você perceberá que a maternidade se concentra em um ato desinteressado de entregar o que você tem, sem receber nada em troca, exceto a tranquilidade de saber que está bem. Mas, na medida que ele for crescendo você começará a notar certas mudanças na forma de interagir com você e o entorno, que lhe surpreenderão.

De repente você percebe como ele lhe olha fixamente aos olhos ou em um movimento rápido tentam segurar o seu dedo. Assim começa essa etapa bonita na qual você se deleitará com o crescimento, até que chegue o belo dia que ele lhe chama com firmeza: “mamãe”. Você saberá que essa entrega valeu a pena e lhe dará mais força para seguir em frente.

7 sinais para demonstrar seu afeto a você 

  1. Desde que saem de sua barriguinha eles conseguem lhe reconhecer como essa fonte de proteção que lhes deu a vida

Esse laço não se romperá jamais e poderá se fortalecer com o presente mais belo que pode oferecer uma mãe: seu afeto incondicional

Por sua vez, eles irão amadurecendo com os dias e irão demonstrando o quanto lhe adoram da seguinte maneira:

  1. Os recém-nascidos tentam fixar o olhar nos olhos da mãe

Isto revela essa busca contínua para memorizar seu rosto. Ainda que não se entenda nada do que acontece ao seu redor, ele já sabe que você é alguém fundamental para ele.

  1. Entre os 8 e 12 meses, eles começam a pensar em você, inclusive, quando não está perto.

Você já verá como ele franze a testa para tentar localizar você no espaço e lhe buscará por todos os lados. Assim que você aparecer, a carinha dele se iluminará com um sorriso.

  1. Ao chegar dos 12 e 24 meses as birras não tardarão em aparecer se você se for, ou não lhe der o que deseja.

Não pense que eles deixaram de lhe amar, pelo contrário, se sentem seguros de mostrar-se desconfortáveis, sem que isso afete o que você sente por ele.

  1. Dos 24 aos 36 correrão desesperados para seus braços se caírem ou se estão tristes.

Ainda não compreendem o significado de uma frase tão especial como “te amo”, mas com sua forma de agir lhe demonstram.

Na escola, distinguem a importância dos detalhes dedicados à você, desde uma flor que viram caída no jardim, até uma lembrancinha feita com materiais recicláveis. Aí sem dúvida estarão demonstrando o seu afeto.

  1. Precisam de sua contínua aprovação

Querem chamar sua atenção e procuram ajudar no que você estiver fazendo.

  1. Em seguida, se sentirão capazes de contar-lhe segredos grandiosos

Como algo que lhes aconteceu na escola ou o primeiro amor. Você será uma confidente especial.

As crianças também mostram seu afeto ao pai

Os pais desempenham um papel importante na evolução das crianças. Embora não tenham passado por um parto ou uma cesárea, o pai é a outra figura que deve transmitir sentimentos positivos para as crianças.

O amor de pai complementa a base para tornar-se um adulto feliz

Entre o papai e o bebê nunca haverá obstáculos para que cresça um amor verdadeiro. Lógico, é fundamental que se aproxime a ele, lhe fale sobre seus sonhos ao estar no ventre da mamãe, o carregue ao nascer, o cuide e o acompanhe nos momentos difíceis. Essa companhia é tão valiosa como a da mãe e o ajudará a ser uma pessoa com um todo com todo esse afeto.

A criação é um trabalho em equipe, pelo qual estar em sintonia é a chave do sucesso. Ambos devem respeitar a maneira em que estabelecem o vínculo com a criança e reforçam os espaços para que a proximidade entre todos seja estreita.