A dieta vegana influencia o leite materno?

17 de abril de 2019
A dieta vegana geralmente é saudável e nutritiva o suficiente para os bebês, mas é fundamental que seja complementada com um suplemento de vitamina B12.

Conforme os anos passam e surgem novas formas de alimentação, algumas mulheres optam por seguir uma dieta vegana. As dietas vegetarianas bem planejadas geralmente são muito saudáveis. No entanto, em caso de gravidez, uma atenção especial deve ser dada à alimentação para saber se a mãe está recebendo os nutrientes de que o bebê precisa.

A Academia Americana de Nutrição e Dietética afirma que a dieta vegana deve ser supervisionada e planejada por um especialista. Uma dieta não planejada pode causar problemas de saúde, tanto para a mãe quanto para a criança.

Dieta vegana e leite materno

Da mesma forma que os outros bebês, aqueles que crescem em famílias veganas precisam de leite materno para o seu desenvolvimento adequado.

Entretanto, nesses casos, esse leite deve ser complementado com a vitamina B12 para que a criança receba os nutrientes necessários. Dependendo do tipo de alimentação que a família tiver, o bebê também deverá consumir iodo.

Dieta vegana e leite materno

Se a mãe vegana não quiser, não puder amamentar ou se uma complementação for necessária, existem fórmulas à base de soja ou arroz hidrolisado para alimentar o bebê. Outra opção que encontramos são as fórmulas feitas a partir de leite de vaca ou de cabra de pecuária orgânica.

De acordo com as diretrizes da União Europeia sobre fórmulas infantis, elas atendem aos parâmetros necessários para uma nutrição adequada. Por isso, muitas famílias vegetarianas ou veganas optam por elas.

Como deve ser a alimentação complementar?

A Academia Americana de Alergia, Asma e Imunologia enfatiza que não é necessário retardar a introdução de amendoim, nozes, soja e outras oleaginosas. A criança pode começar a consumir esses alimentos a partir dos 6 ou 7 meses de idade.

Além disso, é importante ressaltar que alguns alimentos podem funcionar como substitutos. Mas quais são esses alimentos?

Leguminosas

As leguminosas funcionam como o principal substituto da carne e do peixe na dieta vegana ou vegetariana. Elas têm alto teor de proteína, ferro e zinco. Isso faz com que sejam um dos primeiros alimentos que devem ser introduzidos na dieta do bebê vegetariano. Normalmente, são acompanhadas por legumes.

Entre as melhores opções de leguminosas, podemos destacar:

  • A melhor leguminosa para introduzir esse tipo de alimento são as lentilhas vermelhas descascadas. Elas têm pouca fibra e são de fácil digestão.
  • Mais tarde, é possível incluir grão-de-bico cozido e ervilhas, bem como outras variedades de lentilhas, também sem descascar.

Sólidos

Se o bebê tiver idade suficiente para consumi-los, ele pode comer alimentos mais sólidos, tais como homus de grão -de-bico, tofu cozido, ervilhas amassadas e ensopado de lentilhas.

Também podemos dar manteiga de amendoim sem açúcar espalhada em pedaços de banana ou de pão. E, ocasionalmente, para os ovolactovegetarianos, uma omelete francesa.

Cereais

Quanto aos cereais, recomenda-se que sejam integrais. Geralmente, as preparações de cereais são feitas com cereais dextrinados. Neles, as cadeias de carboidratos complexos são parcialmente hidrolisadas. E, em 20% ou 30% desses produtos, eles estão na sua forma simples, como glicose.

Dado o seu alto teor de açúcar, não são recomendados nem para os bebês que consomem carne nem para os veganos.

Como deve ser a alimentação complementar

Glúten

De acordo com a Associação Espanhola de Pediatria, o glúten deve ser introduzido a partir dos 6 meses de idade, quando se introduz a alimentação complementar. A maneira ideal de fazer isso é na forma de pão integral com fermentação natural, que já está parcialmente digerido e geralmente é bem tolerado.

Uma dieta vegetariana ou vegana na infância pode ser perfeitamente adequada e fornecer benefícios importantes para a saúde a médio e longo prazo.

O que os especialistas dizem sobre a dieta vegana?

Segundo a Academia de Nutrição e Dietética, a dieta vegana pode ser notavelmente saudável, mas somente se for bem planejada e supervisionada por especialistas. De fato, esse tipo de dieta é apropriado para todos os ciclos da vida, incluindo a gravidez, a amamentação e a infância.

Porém, segundo estudos, as mulheres vegetarianas precisam de fontes regulares e adequadas de vitamina B12 durante a gravidez e a amamentação. Isso ocorre porque as mães veganas geralmente têm níveis mais baixos de ácido docosa-hexaenóico (DHA).

Em resumo, a dieta vegana geralmente é saudável, mas é essencial que seja supervisionada por um especialista. O bom desenvolvimento do bebê vai depender disso.

  • Biarge, M. M. (2018). Niños vegetarianos, ¿niños sanos? En: AEPap (ed.). Curso de Actualización Pediatría 2017. Madrid: Lúa Ediciones 3.0.
  • Moreno Díez, A. I. (2003). Manual de supervivencia para “veganos” novatos: por un mundo lleno de amor. Madrid: Mandala.
  • Vilaplana, E., y Román, D. (2003). La dieta ética: ética y dietética del “veganismo”. Alicante: Román Molto.