A educação do segundo filho: igual a do primeiro?

4 de julho de 2019
A educação do segundo filho é definitivamente diferente daquela que o primeiro recebeu. A experiência anterior significa que os pais não repetirão os mesmos erros e que tomarão decisões mais assertivas com os filhos.

A educação do segundo filho, geralmente, é diferente em muitos aspectos daquela que o primeiro recebeu. Sem dúvida, a experiência vai permitir que os pais possam ter conhecimento prévio, produto da experimentação, tentativa e erro, e que possam melhorar e implementar conceitos que considerem os pilares de uma boa parentalidade.

A ação de criar um filho envolve orientá-lo para que ele possa se desenvolver emocional, social e intelectualmente. Assim, faça-o se tornar um indivíduo apto para a vida em sociedade.

No entanto, para atingir esse objetivo, os pais devem aplicar um modelo de parentalidade que atenda às necessidades da criança. A presença do irmão mais velho deve ser levada em conta.

Se você está se preparando para a chegada do seu segundo filho ou se pensa na melhor maneira de criá-lo em relação ao irmão dele, as considerações a seguir serão muito úteis para você.

O que significa criar um filho?

Para criar um filho, os pais geralmente escolhem métodos diferentes. Na maioria dos casos, podem se referir ao tipo de ensino que experimentaram quando crianças em seus lares.

Basicamente, existem três tipos de modelos parentais que contêm os padrões mais comuns: o estilo autoritário, a educação democrática e a parentalidade indulgente.

Parentalidade autoritária

A parentalidade autoritária é traduzida como aquela em que os pais impõem normas e o modo como as crianças devem se comportar. Menores devem obedecer sem a possibilidade de reprovação.

Para atingir esse objetivo, os pais sempre tendem a se mostrar como figuras de autoridade e recorrem a punições para que a criança aprenda as consequências do mau comportamento ou da desobediência da privação.

família feliz

Educação democrática

A educação democrática se concentra em educar a criança a partir de uma comunicação constante entre as partes. Punições e imposições geralmente não são usadas. Em vez disso, os pais procuram fazer com que a criança compreenda, dentro de seus meios, as diferenças entre o bom e o mau comportamento.

Parentalidade indulgente

A parentalidade indulgente ocorre quando um ou ambos os pais estão frequentemente ausentes na vida da criança. Dessa forma, eles tendem a permitir mais liberdades e tomar certas decisões no modo como ela se comporta. Em muitos casos, filhos de pais indulgentes tendem a ser desobedientes às regras.

“A ação de criar um filho implica orientá-lo para que ele possa se desenvolver emocional, social e intelectualmente.”

Que tipo de método parental devo escolher?

A escolha do método de criação dependerá exclusivamente da personalidade e do nível de compreensão que a criança possui. Além disso, também se ajustará a momentos e necessidades específicas.

É por isso que é muito mais fácil para os pais criarem o segundo filho. Porque eles terão uma riqueza de experiências como resultado da educação dada ao primeiro filho.

A criação do segundo filho é a mesma que a do primeiro?

A criação do segundo filho não é a mesma que a do primeiro, embora os pais apliquem o mesmo método. Basicamente, o que acontece é que existe uma depuração no tipo de regras e nas formas de ensinar. Isso graças a tentativa e erro.

Acontece também que a ansiedade dos pais desaparece e eles se permitem ser mais permissivos e baixar a guarda. É possível, então, identificar os dois tipos mais notórios de mudanças na educação do segundo filho.

1. As regras são mais leves

O aspecto mais distintivo na educação do segundo filho em relação ao primeiro é a flexibilização das normas. Isso pode ser visto em situações cotidianas.

Se com o primeiro filho os pais tendiam a impor, por exemplo, que a criança ficasse comportada à mesa, que se vestisse com roupas perfeitamente limpas, com o segundo filho baixam a guarda e começam a se concentrar mais em questões como saúde e segurança.

mãe sem autoridade

2. Divisão das tarefas de parentalidade

A segunda mudança mais perceptível durante a educação do segundo filho é que os pais necessariamente começam a dividir as responsabilidades de suas tarefas. 

A fim de cuidar adequadamente dos filhos, ainda mais se a diferença de idade for próxima, é imperativo que os pais assumam papéis e, assim, garantam a igualdade de cuidados entre as crianças.

Em conclusão, embora o tipo de parentalidade entre uma criança e outra varie, é importante saber se adequar à personalidade de cada uma. Ensinar com amor é, em última análise, o mais eficaz em qualquer situação.