A empatia do professor é fundamental para o desenvolvimento acadêmico das crianças

· 29 de maio de 2018
Um bom educador pode fazer a diferença entre uma criança que é apaixonada por aprender e outra que odeia ir à escola.

A empatia do professor é uma das questões pendentes de muitos docentes. Alguns educadores estão interessados apenas em fazer o básico: resumir duas ou três lições, passar a lição de casa e depois mandar as crianças para casa. E eles não sabem o dano que causam com essa atitude!

Eles pouco se interessam pelos sonhos, sentimentos e medos das crianças. Sua única motivação para ir trabalhar é receber o salário no final do mês. Um salário pago com o esforço e o desejo de superação de outras pessoas, muitas delas, pais dos filhos que esses professores ignoram.

A empatia do professor é fundamental para o desenvolvimento acadêmico das crianças. Muitos dos grandes gênios da história hoje agradecem a muitos de seus tutores por seus triunfos.

Com muito pouco, eles fizeram crianças incríveis se tornarem adultos excepcionais. E para isso não precisaram de varinhas mágicas ou escolas especiais: a paixão é necessária na profissão.

Por que a empatia do professor com as crianças é tão importante?

Assim como acontece com os pais, as crianças também veem modelos de referência nos professores da escola. Elas admiram seus professores: fazem desenhos para eles, não param de falar sobre eles, dão a eles qualquer coisa e, claro, os adoram muito.

Um bom professor faz com que cada criança se sinta especial

O professor deve corresponder com dedicação, respeito e gentileza, porque depende dele o desenvolvimento das crianças que tanto o reverenciam.

“O professor se liga à eternidade. Ele nunca sabe quando cessa a sua influência”

–Henry Adams–

Melhora a autoestima

Um bom professor faz com que cada criança se sinta especial. Ele as ouve e nunca as ridiculariza nem faz com que sintam que valem menos do que os outros. Ele sabe muito bem que cada um de seus alunos é diferente, e se preocupa em promover seus pontos fortes e minimizar os fracos.

Um mau professor, pelo contrário, pode acabar causando verdadeiros traumas na criança. Educar através do medo, ameaças e ridicularização não é educar: é maltratar.

Facilita a aprendizagem

Se uma criança se sentir motivada, ela aprenderá mais e melhor. É muito fácil conseguir isso se usarmos um pouquinho de imaginação: podemos fazer brincadeiras, inventar histórias ou fazer uma peça de teatro com os tópicos que estejam sendo ensinados em sala de aula.

Quanto mais feliz e animada a criança estiver, mais fácil será para que preste atenção. Da mesma forma, podemos usar esses truques quando estudamos em casa. Ela vai se divertir muito!

Evita a exclusão social

Atualmente, o bullying é uma realidade tangível. Um professor empático pode fornecer refúgio a uma vítima desse tipo de assédio, mesmo que isso não seja a solução em longo prazo. A rápida atuação dos professores em casos dessa natureza já salvou mais de uma vida.

Além disso, em casos menos graves, o professor pode incentivar a integração da criança conversando com os outros alunos ou a introduzindo em um novo grupo, onde possa fazer com que se sinta mais confortável.

um bom professor escuta seus alunos

Ensina a criar objetivos de vida

“Quando eu crescer quero ser como meu professor” ou “Eu tenho a melhor professora do mundo” são frases que são muito ouvidas pelos pais. Um bom professor ensina seus alunos a estabelecer metas e lutar para alcançá-las. Pode ser que tropecem no caminho, mas isso os ensinará a se levantar.

Um fracasso não é uma tragédia, é apenas um erro que será resolvido mais tarde. A empatia do professor nesses casos é essencial para que a criança não sinta que falhou. Com um sorriso e algumas dicas sobre técnicas de estudo, ela saberá que não desapontou ninguém, mas que precisa estudar mais.

Nestas situações, a atitude dos pais também é importante. Grande parte da educação dos filhos tem que vir de dentro da casa, e parece que alguns pais se esquecem disso. Não é bom exagerar em relação às notas acadêmicas: há coisas muito mais importantes.

É necessário que haja uma boa comunicação entre os professores e os pais. Uma reunião a cada 15 dias será suficiente, mas tem que ser levada a sério. A única maneira de uma criança crescer saudável e feliz é através da harmonia e do apoio emocional.