A importância de ensinar as emoções em casa

· 29 de dezembro de 2017
Ensinar as emoções em casa desde cedo proporcionará aos nossos filhos as ferramentas para se desenvolver de maneira mais flexível.Na grande maioria das vezes, nós adultos não sabemos lidar com nossas próprias emoções, o que torna muito mais difícil nos encarregarmos das dos nossos filhos. Não é uma tarefa fácil, contudo também não é impossível.

Tal como ocorre com as doenças, muitas vezes é melhor prevenir do que remediar. Por esse motivo é fundamental ensinar as emoções em casa, antes que a incapacidade de comunicação e expressão das mesmas por parte de nossos filhos requeira algum tipo de tratamento ou terapia especializada. Assim, é importante que as crianças realizem atividades e trabalhos junto com seus pais, nos quais possam expressar suas emoções através do movimento, da pintura ou mesmo na cozinha.

A importância de definir nossas emoções

As emoções são nossas mais fiéis companheiras; de fato, muitas vezes nós as temos tão interiorizadas que em certas ocasiões é difícil nos darmos conta de classificá-las devidamente. Quando nos perguntam como nos sentimos, a resposta sempre vem a ser “bem” ou “muito bem”; entretanto, é assim que na realidade nos sentimos? Nosso vocabulário costuma ser pobre quando tratamos de nomear nossas emoções. Por esse motivo, normalmente, preferimos dar uma resposta vaga e positiva.

Começar por conhecer nossas próprias emoções e saber como nos sentimos nos ajudará a nos conhecer com profundidade, a dar um sentido a muitas de nossas atuações e a poder dirigir e administrar melhor nossas formas de reagir.

Emoções de acordo com as idades

Desde que nascemos, as emoções estão presentes em nós e todas elas são necessárias e adaptáveis. Contudo, existem algumas emoções que surgem com mais força em certas idades do que em outras. Apresentaremos alguns exemplos:

  • O medo do desconhecido se apresenta entre os nove meses e os dois anos de idade.
  • A frustração aparece ao redor dos dois e três anos.
  • O medo do escuro se manifesta aproximadamente aos cinco anos.
  • O orgulho aflora na primeira fase escolar, devido a necessidade de que as crianças façam as coisas por si mesmas.
  • A inveja nasce aos sete anos quando as crianças começam a se comparar com seus companheiros.
  • A culpa começa a se desenvolver durante a fase escolar.
  • A vergonha se torna mais óbvia durante a pré-adolescência.
  • A solidão se acentua no período da adolescência.

“Ensinar as emoções em casa não consiste só em saber identificá-las, mas também em ajudar aos nossos filhos a administrá-las e controlá-las nos momentos necessários”

A negação das emoções

Um grande problema que a nossa sociedade enfrenta é a permanente negação das emoções, que nos desagradam mas que também são essenciais na nossa vida diária. Assim, o aborrecimento, a raiva ou o medo são necessários na medida certa. O segredo é saber canalizá-las e empregá-las de maneira correta.

Por exemplo, a dificuldade em se expressar de maneira adequada quando estamos aborrecidos, radica em cair no exagero extremo ou na provocação.  Não obstante, muitas vezes é o mecanismo que temos para expressar que algo não nos agrada. Da mesma maneira, o medo nos faz ser prudentes ao agir. Porém, quando este é excessivo, pode chegar a bloquear nossa mente.

Ensinar as emoções em casa

Segundo os especialistas no tema, a educação com o passar dos anos tem evoluído. As emoções ganham notabilidade e tudo isso graças à visão de diversas publicações científicas que afirmam que o sucesso das pessoas depende fundamentalmente da inteligência emocional e social.

Nos últimos tempos se pode comprovar que os centros educativos que apostam em uma educação emocional de seus estudantes obtêm melhores resultados acadêmicos. Além disso, esses alunos tem uma maior capacidade de redução e resolução dos conflitos.

Los niños muchas veces tienen episodios de rabietas de forma involuntaria

Assim mesmo, as famílias pouco a pouco assumem um papel importante nesse espaço. Os pais e as mães frequentam escolas para pais, a fim de aprender a maneira correta de falar com seus filhos e saber atender suas emoções.

Os pais também devem aprender

A família é o primeiro lugar onde se constroem os primeiros vínculos, relações e emoções. Os pais são os modelos e guias a seguir para os filhos, por esse motivo que, antes de ensinar as emoções em casa, é fundamental que os pais sejam os primeiros a equilibrar e aprender a controlar as suas próprias emoções.

“Preparar e orientar as crianças para que encontrem o caminho correto para expressar suas emoções, favorece seu desenvolvimento individual e social”

O segredo para o correto desenvolvimento das crianças começa pela educação emocional em casa. Se desde a infância receberem uma boa educação emocional, quando chegarem à idade adulta serão capazes de enfrentar devidamente todos os problemas e dificuldades que se apresentarem.