Dicas para educar crianças felizes com inteligência emocional

· 23 de maio de 2017

Ao longo da minha vida, li centenas de experiências de pessoas que largaram vícios como o álcool, as drogas ou o cigarro. Mas elas garantem que, no caminho para se tornarem pessoas melhores, o mais difícil de mudar foram as características da personalidade e o controle das emoções.

A questão é que controlar as emoções é uma das coisas mais difíceis que existe na vida. E todos nós concordamos que não é agradável ficar perto de alguém que não sabe controlar as próprias emoções. Queremos que nossos filhos sejam seres maravilhosos, que todo mundo os adore, e que  sejam pessoas que deixam marcas na vida dos outros. Assim, vamos falar sobre como você pode educar seus filhos com inteligência emocional.

O que é a inteligência emocional?

A inteligência emocional é a capacidade de perceber, assimilar, e controlar nossas próprias emoções ou as dos outros, desenvolvendo nosso intelecto e nosso estado emocional. Assim, usando as informações que recebemos podemos utilizá-las para orientar nosso comportamento na direção do caminho adequado.

inteligência emocional

O que é preciso para ter inteligência emocional?

Conhecer as próprias emoções

É vital que saibamos reconhecer nossas emoções. Desse modo podemos saber o que sentimos e como enfrentar as situações. Isso vai nos ajudar a tomar boas decisões.

Lidar com as emoções

Todos nós sentimos raiva, amor, frustração e outras emoções. Sejam consideradas positivas ou negativas, todas as emoções possuem ambos os lados da moeda.

Por exemplo: o amor é uma qualidade boa, mas mal administrado pode nos levar à obsessão e a romper boas relações com os outros.

Para controlar as emoções, ou eliminar os aspectos negativos delas é vital ficar tranquilo e calmo e pensar antes de falar ou agir. É nesse momento que a inteligência emocional entra em jogo.

Autocontrole e satisfação

É indispensável controlar os impulsos e saber esperar por aquilo que ganhamos com nossos esforços. Caso a recompensa seja menor do que pensávamos, saber se conformar é um bom sinal de inteligência emocional.

A empatia

A empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro. Isso implica conseguir perceber os sentimentos e as necessidades das outras pessoas e, assim, agir com o objetivo de ajudar.

inteligência emocional

Como educar filhos com inteligência emocional?

Como sempre falamos: “as palavras convencem, mas o exemplo arrasta”. Portanto, você deve dar o exemplo. Se você quer que seu filho tenha inteligência emocional, saiba controlar as emoções e seja um adulto de quem as pessoas gostem, respeitem e admirem, primeiro você deve aprender a controlar a si mesmo.

Lembre-se de que as crianças são como esponjas que absorvem tudo sem se importar se é bom ou mal, já que nem sequer possuem critérios para julgar. Portanto, se você se deixar levar pelas emoções e agir impulsivamente é muito provável que seus filhos copiem esse exemplo.

inteligência emocional

Mas há outras maneiras que você pode utilizar para ajudar seus filhos:

  • Faça com que ele entenda. Não importa que ele fique bravo, grite ou qualquer outra coisa. Quando tudo estiver mais calmo, sente-se com ele e tente fazê-lo compreender o que ele sentiu, o que o levou a esse sentimento e por que deixar se levar por esse sentimento é ruim. Em seguida, ajude-o a buscar uma solução para agir de maneira diferente da próxima vez em que ele se encontrar na mesma situação.
  • Ajude-o a se controlar. Proponha casos hipotéticos parecidos com situações reais que ele já viveu e deixe que ele mesmo chegue à conclusão das consequências das possíveis ações. Isso fará com que ele reflita e pense antes de agir de uma forma ou de outra.
  • Faça com que tenha metas. Ensine-o a ser disciplinado, perseverante e a assumir responsabilidades.
  • Ensine-o a se sensibilizar com as outras pessoas. Ajude-o a desenvolver a empatia tentando fazer com que entenda como ele mesmo se sentiria estando na mesma situação pela qual outra pessoa está passando. Ajude-o a aprender a sentir a dor dos outros no próprio coração.
  • É essencial desenvolver as habilidades sociais. Ele deve aprender a se relacionar com os outros por si mesmo. Além de aprender a perceber o que faz mal e resolver os próprios problemas. Se você sempre salvar a pele do seu filho, ele nunca vai aprender a enfrentar as consequências das próprias ações.

A inteligência emocional é vital para que nossos filhos sejam adultos bons. Mas, como tudo, esse tipo de ensinamento deve começar no lar, desde que as crianças são bem pequenininhas.