A inteligência é herdada da mãe?

8 de julho de 2018
Você ainda não consegue acreditar o tanto que seu filho é inteligente? Você sabe a que se deve? Nada mais, nada menos que você! O que a ciência diz sobre a inteligência das crianças?

“Tal pai, tal filho” diz o velho ditado popular. Mas deveriam reconsiderar em mudar por “tal mãe, tal inteligência”. A ciência criou uma grande polêmica ao demonstrar que as crianças herdam a inteligência de suas mães.

Queridos papais leitores do Sou Mamãe, nos desculpem. Embora seus filhos sejam uma réplica de suas características faciais, a inteligência é geralmente um mérito exclusivo da mãe. Sim, mais outro mérito para aquelas mulheres que realizam nada mais, nada menos do que o milagre da vida!

Os pesquisadores descobriram que as mulheres transmitem os genes relacionados à inteligência através dos chamados “genes condicionados”. Aparentemente eles têm uma etiqueta bioquímica que traça a sua origem e, caso sejam provenientes dos genes da mãe, funcionam. Se, pelo contrário, são originários do pai, se silenciam.

A inteligência do seu filho, um legado materno

Sempre soubemos que a inteligência tem um claro componente hereditário. No entanto, outras pesquisas recentes mostraram que as crianças herdam a inteligência da mãe pois estes genes estão no cromossomo X, fornecido por mulheres.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Cambridge, genes maternos contribuem para o desenvolvimento dos centros de pensamento do cérebro. Além disso, se argumenta que as meninas são mais propensas a herdar a inteligência da mãe pois herdam dois cromossomos X, enquanto os meninos herdam apenas um.

As células de genes paternos se acumulam nas regiões do cérebro emocional que fazem parte do sistema límbico, responsável por garantir a sobrevivência apelando a funções como o sexo, a alimentação e a agressividade.

No entanto, não há nenhuma célula dos pais no córtex cerebral, lugar onde as mais avançadas funções cognitivas são desenvolvidas. São funções como a inteligência, o pensamento, a linguagem e o planejamento. Contrariamente, neste mesmo espaço, foram encontradas somente células femininas.

Novos estudos sobre a inteligência infantil

Recentemente, pesquisadores da Universidade de Ulm (Alemanha) estudaram os genes envolvidos em danos cerebrais e descobriram que aqueles que estão relacionados com as habilidades cognitivas se encontravam no cromossomo X.

No entanto, o resultado mais interessante sobre essa questão foi obtido nos Estados Unidos. Lá foi realizado um estudo no qual foram entrevistados cerca de doze mil jovens entre 14 e 22 anos, considerando a cor da pele, a educação e até o nível socioeconômico.

inteligência das crianças

Com esta investigação minuciosa, eles chegaram à conclusão de que o melhor indicador de inteligência era o QI da mãe. Para ser mais preciso, esses cientistas foram capazes de verificar que o QI dos jovens tinha apenas uma diferença de 15 pontos em média em relação ao da mãe.

Explicações além da genética

Outro grupo de estudos revela que a mãe desempenha um papel importante no desenvolvimento intelectual dos seus filhos. Como? Nada menos do que através do contato equilibrado tanto físico quanto emocional. Inclusive, algumas pesquisas relacionaram diretamente o apego com a inteligência.

Assim, os pesquisadores da Universidade de Minnesota descobriram que as crianças criadas com um apego seguro desenvolvem um pensamento simbólico mais complexo em idade precoce. Também foi demonstrado que são crianças mais perseverantes e mostram menos frustração na resolução de problemas.

Essa ideia é apoiada na segurança que o apego proporciona às crianças na hora de explorar e na confiança para resolver problemas sem se desanimar. Além disso, essas mães costumam proporcionar ajuda de diferentes níveis aos seus filhos quando eles se encontram diante de obstáculos, ajudando a estimular o seu potencial.

Por outro lado, a Universidade de Washington comprovou a importância da relação afetiva para o desenvolvimento do cérebro. O amor e o apego materno são fundamentais para o crescimento de algumas partes do cérebro.

inteligência das crianças

O estudo mostra que quando a mãe apoia emocionalmente seu filho e satisfaz adequadamente suas necessidades intelectuais e emocionais, o hipocampo desses pequenos é 10% maior do que crianças com mães emocionalmente distantes.

A inteligência deve ser trabalhada

Vale ressaltar que a inteligência não só se herda, mas também se trabalha, o que requer certo estímulo. E aqui está outro mérito maternal. Pois são as mães que geralmente estimulam os seus bebês e crianças a desenvolvê-la.

Um pilar da inteligência encontra-se na alimentação. Desde o momento em que a mãe amamenta seu bebê, ela começa a nutri-lo e fortalecer um vínculo único. Por isso, há teorias que sustentam que crianças que foram amamentadas por mais tempo são mais inteligentes e bem-sucedidas.

A mãe também tem uma enorme influência sobre o desenvolvimento da inteligência desde o momento da gravidez. Nessa fase, o bebê é estimulado através de diferentes tipos de música ou ingerindo nutrientes importantes para o desenvolvimento.

Agora que você sabe esses fatos reveladores, já sabe que deve agradecer a sua mãe por ser tão inteligente e não deve estranhar o quão esperto é o seu pequeno. Afinal de contas, a criatura que tem a quem puxar.

Recomendados para você