A musicoterapia com crianças autistas

· 7 de maio de 2019
A música, quando usada como terapia para crianças autistas, produz excelentes resultados. Ambos os hemisférios do cérebro processam o som, o que ajuda a controlar o comportamento de isolamento e o temperamento explosivo nesse transtorno.

As virtudes terapêuticas da musicoterapia com crianças autistas se estendem em ambos os hemisférios cerebrais. A razão é que ambos intervêm no seu processamento, o que ajuda a relaxar e reduzir as tensões.

O poder que a musicoterapia possui é incrível. Por exemplo, ela pode diminuir as respostas fisiológicas ao estresse, além de aumentar a produção de endorfinas, que são analgésicos produzidos pelo próprio corpo.

Atualmente, a musicoterapia oferece resultados concretos em três áreas fundamentais da medicina:

  • Dor, ansiedade e depressão.
  • Impedimentos mentais, emocionais e físicos.
  • Distúrbios neurológicos.

Esta última área se destaca entre as demais porque a base neurológica das respostas aos estímulos musicais é sólida. É por isso que a musicoterapia com crianças autistas é um dos métodos educacionais mais utilizados e é eficaz.

Uma em cada dez crianças autistas mostra habilidades excepcionais para a pintura, a matemática, a memorização e a música, dependendo do tipo de autismo.

Em algumas delas, são observados grandes talentos nessas habilidades. No entanto, elas também podem mostrar facilidade para outras habilidades, como por exemplo: expressar-se fluentemente, demonstrar agilidade mental, falar em voz alta e conversar eloquentemente sobre os seus interesses.

Tendo em vista os múltiplos problemas sofridos pelas crianças com esse transtorno neurológico, a música é usada como terapia com o objetivo de reduzir os sintomas associados ao comportamento e aos movimentos rotineiros ou repetitivos.

Benefícios da musicoterapia com crianças autistas

A musicoterapia tem as seguintes vantagens para essas crianças:

  • Melhoria no processo de comunicação.
  • Desenvolvimento da criatividade em qualquer um dos seus campos.
  • Compreensão da leitura e escrita.
  • Redução de comportamentos de agressividade e raiva.
  • Aumento significativo da atenção.
  • Relacionamento afetivo com as pessoas ao seu redor.
  • Diminuição eficiente dos estados de ansiedade.
Benefícios da musicoterapia com crianças autistas

As crianças com autismo não percebem sentimentos refletidos em expressões faciais ou tons de voz como as outras crianças fazem; estes são os casos nos quais a musicoterapia incentiva e estimula a comunicação através de gestos ou expressões.

Além do prazer que a musicoterapia produz nas crianças com esse transtorno, ela também pode ajudar na vida cotidiana do pai ou da mãe. Por isso, seria benéfico aplicar esse método.

No entanto, é importante ressaltar que nem todos os casos são iguais. Algumas crianças podem ter destrezas e habilidades mais desenvolvidas do que outras com tipos diferentes de autismo.

O autismo que se caracteriza pela incapacidade de a criança falar e se relacionar faz com que ela não participe de brincadeiras de dramatização, não empreste os seus brinquedos ou que resista a mudanças de hábitos, uma vez que ela é metódica nas suas atividades.

Atenção de um especialista

Uma avaliação exaustiva pelo especialista é imprescindível, já que ele indicará, de acordo com as necessidades da criança, se as terapias musicais são necessárias. Deve-se levar em consideração que, aquilo que é benéfico para uma criança, pode não ser benéfico para outra; portanto, a avaliação médica é necessária.

Uma vez que a musicoterapia com crianças autistas seja diagnosticada como um tratamento viável, as funções básicas e vitais da criança começarão a ser promovidas e restauradas.

Desse modo, será possível satisfazer necessidades de natureza cognitiva e afetiva, bem como físicas e sociais, entre outras. Assim, uma integração adequada da criança a qualquer grupo social será alcançada.

“Nas crianças com autismo, a música é usada como terapia com o objetivo de reduzir os sintomas associados ao comportamento e aos movimentos rotineiros ou repetitivos.”

Outras dimensões da musicoterapia para crianças com autismo

Com a ajuda da musicoterapia, a criança será capaz de melhorar o desenvolvimento da linguagem, de tal forma que a sua comunicação vai melhorar notavelmente.

Após a implementação da musicoterapia como tratamento, as crianças se sentem motivadas emocionalmente. Elas podem, então, estar em contato com todas as pessoas ao seu redor que, em geral, tendem a rejeitar.

Outras dimensões da musicoterapia com crianças autistas

Outro aspecto positivo que a musicoterapia oferece é que, através do uso de instrumentos musicais variados, o conhecimento e a percepção do seu corpo aumentam. Isso significa que a criança aprende a conhecer e usar partes do seu corpo, tais como boca, mãos, dedos e braços, por exemplo.

Com isso, a criança se torna consciente dos mecanismos que produzem o funcionamento do corpo humano. Além disso, processos neurológicos, tais como compreensão, simbolização e aprendizado de padrões são estimulados.

As pessoas com autismo não são tão poucas quanto se costuma pensar. Esse transtorno neurológico é observado em todos os estratos sociais e afeta 1 em cada 300 pessoas.

Não é considerada uma doença rara, mas sim, ao contrário, um problema premente de saúde pública. No entanto, graças a métodos educacionais como a musicoterapia, é possível ajudar aqueles que sofrem com a doença a participar de grupos sociais.