O adolescente busca seu carinho, não sua razão

02 Agosto, 2020
A adolescência é uma fase na qual os sentimentos predominam e, às vezes, os pais querem se impor através da razão, mas não conseguem nada dessa forma. O adolescente busca o afeto, o carinho. A partir disso, poderemos ter uma comunicação saudável com eles.

A adolescência se caracteriza por ser uma fase dominada pelos sentimentos. Então, por que tentamos resolver os problemas com os adolescentes através da razão? O adolescente busca seu carinho, não sua razão.

Nesse período, os pais devem mudar. Na infância, eles mandavam e dominavam, mas agora o adolescente precisa ser dirigido, como se fosse uma peça de teatro.

Devemos estar atentos a tudo, mas é ele quem terá seu próprio funcionamento e responsabilidade. Os sentimentos são armas poderosas para que consigamos nos entender com eles. Por que não tentar?

Por que o adolescente busca o seu carinho e não a razão?

Se tentarmos fazer uso da razão e impor nossos critérios para o nosso filho adolescente, sem levar os sentimentos em consideração, ele vai se fechar e será impossível nos comunicar com ele. Então, o que devemos fazer para promover o afeto?

Guiar o adolescente

Precisamos fazer com que ele entenda que respeitamos sua vida, mas que é necessário trabalhar juntos para que ela não seja desperdiçada. O adolescente busca, acima de tudo, seu afeto. Como pais, devemos demonstrar esse carinho e usá-lo para poder conversar e discutir sobre tudo. Sem essa base afetiva, estaremos perdidos.

O adolescente busca o seu carinho, não a sua razão

O diálogo como base para a proximidade e a confiança

Os adolescentes e os pais não precisam pensar da mesma forma. Há duas gerações diferentes, portanto, há maneiras diferentes de ver o mundo, o amor, o dinheiro, etc. Por esse motivo, é necessário falar sobre elas, mas sem romper os vínculos afetivos. Os adolescentes buscam seu afeto. Eles são inseguros, e essa segurança não pode ser tocada com a razão.

Por que os adolescentes às vezes respondem com agressividade?

Quando um adolescente responde a mãe ou o pai com agressividade, há uma razão para isso. Quanto “melhor” tiver sido a relação com os pais durante a infância, maior será essa agressividade. Uma criança mostra agressividade porque ela tem dificuldade para se separar de você e, se não fizer esse esforço, ela será sempre uma criança.

Para um adolescente, é muito difícil embarcar rumo ao mundo dos adultos, que ele antes via sem interesse. Ele precisa decidir por conta própria, sem ter os pais sempre dizendo o que se deve fazer.

Como podemos resolver essa agressividade?

Quando entendemos o sentido dessa agressividade e suas motivações, essa violência diminui. Se seu filho disser “eu te odeio” e você souber por que ele está dizendo isso, mesmo que você não fique feliz, você vai entender e não vai fazer um drama. Se você deixar de dar tanta importância a isso, será mais fácil lidar com essa questão.

O adolescente busca seu afeto: o que você nunca deve fazer?

Dizer “Se você não quer fizer o que estou dizendo, a porta da rua é serventia da casa”

Devemos explicar que o que ele está fazendo é errado e que não aprovamos ou aceitamos, mas que vamos estar ao seu lado para o que ele precisar, porque o amamos. Isso vai dar a ele a segurança de que ele precisa, que é o que um adolescente deseja.

O adolescente busca o seu carinho, não a sua razão

Tentar ser uma mãe ou pai perfeito

Se tentarmos ser perfeitos, nosso filho se sentirá distante de nós. Pelo contrário, se você for imperfeito, poderá conversar com ele. Pense que ele se sente inseguro diante dos outros, por isso, a imagem de uma mãe ou um pai perfeito e forte vai intimidá-lo e você não vai conseguir falar com ele.

Nesse sentido, você deve mostrar sua vulnerabilidade e ensinar que você também tem defeitos e comete erros para que, dessa forma, ele se sinta mais próximo de você.

Prestar mais atenção à televisão do que ao adolescente que está buscando seu afeto

Às vezes, estamos tão concentrados em nosso programa ou série favorita que não conversamos com nossos filhos. Às vezes, mesmo que eles falem conosco, pedimos que fiquem em silêncio porque estamos vendo outra coisa. Depois, ficamos surpresos e os repreendemos quando descobrimos o problema que eles tentaram nos explicar naquele momento.

Se você não conversar e não entender as mudanças do adolescente, dificilmente vai descobrir o que está acontecendo com ele. É verdade que os pais chegam em casa cansados ​​do trabalho e não sentem vontade de enfrentar os filhos adolescentes. E, quando fazemos isso, é para discutir e impor as nossas razões. Mas o adolescente busca seu afeto, não sua razão. Você precisa falar através dos sentimentos, da afetividade e do carinho.

Não duvide nem por um segundo de que ele precisa do seu tempo e da sua paciência. Somos pais e ninguém disse que isso seria fácil. Mas temos que estar do lado dos nossos filhos adolescentes se quisermos que eles não tenham problemas durante essa fase.

“O verdadeiro ensino vai de coração para coração, e não de cabeça para cabeça.”

-Howard Hendricks-