Como ajudar seu filho a lidar com os pensamentos negativos

· 27 de julho de 2017

Em grande medida, a forma em que as crianças pensam influencia a maneira como se sentem e se comportam. Os pensamentos negativos podem prejudicar a autoestima das crianças, interferir nas suas relações, e fazer com que se sintam derrotadas antes de alcançarem seus objetivos. 

As vezes, o pensamento negativo se converte numa profecia autocumprida. Por exemplo, uma criança que pensa coisas como “as outras crianças me odeiam. Devo ser um idiota”, pode terminar evitando todo contato com as outras crianças. Ao final, isso poderá levar o seu filho a se tornar uma criança solitária.

Por quê é importante ajudar o seu filho a lidar com o pensamento negativo?

Parece irreal que alguns pontos de vista negativos levem a problemas de comportamento desnecessários. Os acessos de raiva, o gênio forte, e a rivalidade entre irmãos são apenas alguns dos problemas que normalmente são derivados dos pensamentos negativos. 

Como ajudar seu filho a lidar com os pensamentos negativos

No entanto, com um pouco de prática, as crianças podem aprender a reconhecer e a mudar o seus hábitos negativos. Você apenas deve lembrá-las, que devido ao seu comportamento estão afastando as pessoas.

Exemplos de pensamentos negativos

Existem vários tipos de hábitos negativos. Enquanto algumas crianças ficam tristes, outras se preocupam e fazem coisas erradas.

A seguir mostraremos alguns exemplos dos principais tipos de pensamentos negativos,e como influenciam no comportamento do seu filho:

  • Generalizar uma situação específica: uma criança vê como é permitido o seu irmão sair para brincar. A criança pensa: “ele sempre consegue tudo o que quer e eu nunca consigo nada”.
  • Subestimam suas capacidades: quando dizem que a sua resposta é errada, ele arranca o papel e pensa: “Não posso fazer nada direito. Sempre erro todas as respostas”.
  • Exagera a realidade da situação: uma criança que erra 2 em cada 10 respostas no seu exame de matemática conclui: “Sou horrível em matemática”, e se nega a fazer a tarefa de matemática da tarde.

Ajude a colocar um ponto final na negatividade

Se você escuta o seu filho dizendo coisas extremamente negativas em voz alta ou se observa algum comportamento que sugere que provavelmente ele está pensando de maneira negativa, é importante tratar do assunto.

Legitime os sentimentos do seu filho. Ao invés de dizer: “Fique bem” quando o seu filho chora, trate de legitimar os seus sentimentos. Mostre empatia e deixe claro que você está tentando de entender como ele se sente, inclusive se suas emoções parecem dramáticas. 

Uma vez que as crianças se sentem legitimadas, podem começar a buscar maneiras saudáveis de lidar com as emoções incômodas e com o pensamento negativo.

Explique que seus pensamentos podem estar errados

Para ajudar o seu filho a chegar às suas próprias conclusões, faça perguntas que o ajudem a ver que seus pensamentos talvez não estejam corretos. Ajude-o a identificar algumas exceções à regra para que possa ver que seu pensamento não é completamente certo. 

Seu filho precisa ver o tema desde uma perspectiva diferente. Às vezes, a melhor maneira de separar a emoção do pensamento negativo é perguntar. O que você diria para um amigo que tem esse pensamento?

Você também pode pedir que ele se transforme no seu personagem de desenho favorito e perguntar o que ele faria. Vendo o problema a partir de um ângulo diferente, o seu filho pode mudar a sua forma de pensar.

Troque os pensamentos negativos por outros mais realistas

Como ajudar seu filho a lidar com os pensamentos negativos

Ajude o seu filho a criar uma perspectiva mais realista. Ao invés de dizer a si mesmo: “Eu não posso fazer nada direito”, será melhor se ele disser: “As vezes cometo erros, mas tudo bem”.

Ensine-o a tratar de si mesmo com a mesma amabilidade e respeito que espera de outras pessoas. Ajude seu filho a reconhecer e lidar com o pensamento negativo para que possa se converter em ação positiva. Pouco a pouco, o seu filho começará a mudar esse pensamento negativo e a tomar outras atitudes com respeito no seu dia a dia.