Alguns alimentos podem alterar o movimento do feto?

· 30 de outubro de 2017

Muito se pensou e discutiu sobre se alguns alimentos alteram o movimento do feto ou não. O principal alimento geralmente associado ao movimento fetal é o chocolate. Acredita-se que os doces em geral podem provocar uma maior atividade do bebê no ventre materno.

A maioria das mães tentam interagir com o seu bebê no ventre. É comum que as mães e pais tentem se aproximar o suficiente para sentir seus movimentos. Também colocam música ou acendem uma luz com o propósito de observar alguma reação. No entanto, também é possível que os próprios médicos recomendem o consumo de alguns alimentos que provocam mais atividade fetal.

Apesar dessas “crenças” sabe-se que o bebê se move várias vezes todos os dias sem que receba nenhum estímulo. O movimento é um fato, já que ele está vivo e não é um ser imóvel. Um bebê no útero pode bocejar, flexionar suas extremidades, girar ou se espreguiçar.

O feto se move porque é saudável e se desenvolve normalmente. Sua respiração, deglutinação e sucção também geram certo movimento. Toda essa atividade nem sempre pode ser sentida no exterior do útero, mas é perfeitamente identificável por meio de ecografias.

Relação entre os alimentos e o movimento do feto

Como dissemos anteriormente, o bebê se move o tempo todo. No entanto para que a mãe possa sentir esse movimento ele precisa estar em contato com a parede uterina. Ou seja, a maior parte da sua atividade não é percebida. Em troca, por meio de uma ecografia realizada durante as oito semanas de gestação, é possível observar um bebê ativo.

O movimento fetal é percebido no exterior apenas depois da 16ª semana. No entanto, em alguns casos o movimento é tão repentino e brusco que exerce grande pressão no abdômen. Geralmente essa sensação está relacionada com a alimentação da mãe. Os médicos afirmam que tem a ver com a influência da glicose.

Mãe grávida ativando o movimento do feto comendo uma barra de chocolate

Em um período de apenas 24 horas a mãe pode sentir o feto se mover ao menos 10 vezes. É mais frequente sentir os movimentos entre 30 minutos e uma hora depois de a mãe se alimentar. Todos os alimentos que consumimos podem se transformar em glicose, que funciona como estimulante do feto. Essa substância chega ao bebê através do cordão  umbilical.

Na maioria das vezes seus movimentos acontecem devido á atividade materna, barulho, ou som por vibração no seu ventre; à noite e depois de ingerir alimentos. A glicose recém processada chega ao feto e ele fica ativo. -Álvaro Cano. Perinatólogo-

De tal forma, que podemos afirmar que os alimentos podem alterar o movimento do bebê. Ou seja, seu movimento suave e normal se torna pouco a pouco mais intenso depois que a mãe se alimenta. Por esse motivo é possível assegurar que os alimentos doces provocam mais atividade devido ao incremento da glicose, que incide no metabolismo. Por isso os especialistas afirmam que qualquer alimento pode estimular os bebês porque a atividade gástrica é ativada.

Outros estímulos podem provocar o movimento do feto

O obstetra Guillermo Obando afirma que a diminuição dos níveis de açúcar pode provocar uma menor atividade do bebê. Geralmente associa-se a alimentação da mãe com o movimento do bebê no útero. Mas quando a quantidade de glicose aumenta no sangue da mãe, o feto também receberá esse aumento.

Nesse sentido, outros elementos também estão relacionados; por exemplo, sabe-se que os alimentos frios também provocam o aumento da atividade. Além disso, a própria atividade da mãe reflete no aumento ou diminuição dos movimentos do bebê. Portanto, em algumas ocasiões é aconselhável despertar o bebê por meio de algum estímulo alimentar.

Outros estímulos relacionados ao movimento do feto são a luminosidade, o ruído, e a vibração. No final da gravidez a atividade do bebê é sentida com uma maior intensidade, ainda que também contará com menos espaço para se mover. Os médicos recomendam contar os chutes para nos assegurar de que tudo vai bem. A esse respeito, se não notarmos movimento suficiente, sempre podemos estimulá-lo por meio dos alimentos.

Recém-nascido deitado sobre o corpo da mãe

A comunicação do feto com o exterior não é muito limitada. Ele pode ouvir e sentir algumas emoções da mãe. Também é possível que se conecte por meio da vibração e de mudanças externas.

No entanto, a principal conexão é a que possui com as substâncias que se encontram dentro da mãe. É por isso que os alimentos são estimulantes, assim como a fumaça do tabaco ou a cafeína. Por esse motivo é muito importante ter controle sobre o que comemos e incorporamos ao nosso organismo quando estamos grávidas.