Alterações na cor da pele do recém-nascido

Ao nascer, a pele do bebê pode sofrer diversas alterações. A coloração é uma delas que pode ser resolvida por conta própria. No entanto, existem quadros que requerem atenção médica.
Alterações na cor da pele do recém-nascido
Maria del Carmen Hernandez

Escrito e verificado por a dermatologista Maria del Carmen Hernandez.

Última atualização: 07 junho, 2023

A cor da pele do recém-nascido muda com o tempo. Na verdade, as alterações de cor que sofrem se devem a situações que ocorrem no corpo. Algumas podem até ser sinais de problemas. Pode levar vários meses para que a cor permanente da criança se desenvolva.

Por que ocorrem mudanças de cor na pele do recém-nascido?

Quando um bebê nasce, as mudanças na cor da pele estão intimamente relacionadas ao ambiente em que ele se encontra e à sua saúde. Estas são condições que podem ser normais, a menos que durem muito tempo.

Mãos e pés azuis

A acrocianose é a coloração azulada dos pés e das mãos do recém-nascido. Após o nascimento, essa condição é comum e observada nas primeiras horas de vida. Essa coloração é gerada porque o oxigênio e o sangue priorizam sua circulação por outras partes mais importantes do corpo, como pulmões, cérebro e rins, em vez de irrigar os pés e as mãos.

Com o passar do tempo, o corpo do bebê se acostuma com a dinâmica circulatória que terá no futuro. No entanto, pode acontecer temporariamente se, por exemplo, o pequeno sentir frio após o banho.

A cianose pode se manifestar em todo o corpo ou em determinadas áreas e dá ao bebê uma coloração azulada. Isso ocorre porque os glóbulos vermelhos não transportam oxigênio suficiente para os órgãos ou tecidos.

Lábios e unhas roxas

A síndrome do bebê azul é uma condição observada no momento do parto ou nos primeiros meses de vida. A principal característica é uma descoloração geral e arroxeada da pele, chamada cianose. As áreas mais visíveis dessa tonalidade são aquelas com a pele mais fina, como os lábios, as unhas e os lóbulos das orelhas. A cianose pode aparecer em todo o corpo ou ao redor do rosto ou da boca.

Pele amarelada

A icterícia é o amarelecimento da pele ou do branco dos olhos. Na maioria dos casos, a manifestação começa na face e depois se espalha para o tórax, abdome inferior e pernas. A coloração amarelada é gerada porque o organismo quebra os glóbulos vermelhos, que é um processo normal no recém-nascido.

O produto da decomposição é a bilirrubina, que é metabolizada pelo fígado e causa a cor amarela. Essa pigmentação tende a desaparecer por conta própria. No entanto, há momentos em que o fígado do recém-nascido não é capaz de metabolizar a bilirrubina com rapidez suficiente.

Pele rosada ou avermelhada

Os recém-nascidos geralmente parecem claros ou têm um tom de pele rosado. Essa coloração se deve aos vasos sanguíneos que são visualizados através da pele delicada e fina do bebê. Essa tonalidade não será a definitiva, mas será produzida uma maior quantidade de pigmento natural que lhe dará cor. Além disso, os recém-nascidos podem ter marcas de nascença coloridas, como manchas vinho do porto.

Cor muito pálida

Os bebês ao nascer têm um sistema de circulação sanguínea subdesenvolvido, por isso é comum que surjam tonalidades diferentes por causa disso. De fato, a microvasculatura continua evoluindo por cerca de 4 meses. Por sua vez, os bebês apresentam uma concentração menor de melanina em relação aos adultos na pele exposta à luz solar.

Recém-nascidos podem apresentar pele pálida, pois suas camadas ainda não estão totalmente desenvolvidas, o que não lhes confere quantidade suficiente de melanina para proporcionar maior coloração.

Quando devo ir ao médico?

Algumas alterações na cor da pele do recém-nascido podem indicar algum problema de saúde e requerem atenção médica. Caso a tonalidade arroxeada não desapareça após uma crise de choro, pode ser sinal de imaturidade do sistema circulatório ou problema respiratório, assim como se a criança apresentar cianose nos lábios, nas unhas e na pele.

Por sua vez, os defeitos cardíacos causam cianose em bebês porque os valores de oxigênio no sangue são mais baixos do que deveriam.

A pele do recém-nascido e sua imaturidade

O tom da pele do recém-nascido muda à medida que o bebê amadurece e a circulação sanguínea imatura do bebê muda. Além disso, sua pele é muito fina e eles são sensíveis a temperaturas extremas. Após um ano, a superfície da pele começa a adquirir maturidade e funcionalidade de forma completa, fica mais espessa e atua como um isolante natural.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Fluhr JW, Darlenski R, Taieb A, Hachem JP, Baudouin C, Msika P, De Belilovsky C, Berardesca E. Functional skin adaptation in infancy – almost complete but not fully competent. Exp Dermatol. 2010 Jun;19(6):483-92. doi: 10.1111/j.1600-0625.2009.01023.x. Epub 2010 Mar 23. PMID: 20353516.
  • Steinhorn RH. Evaluación y manejo del neonato cianótico. Clin Pediatr Emerg Med . 2008; 9 (3): 169-175. doi: 10.1016 / j.cpem.2008.06.006
  • Mitra S, Rennie J. Neonatal jaundice: aetiology, diagnosis and treatment. Br J Hosp Med (Lond). 2017 Dec 2;78(12):699-704. doi: 10.12968/hmed.2017.78.12.699. PMID: 29240507.
  • Piazza J, Douin C, Bodson L, Ghuysen A, D’Orio V. Le cas clinique du mois. Syndrome du bébé bleu: la vérité cachée au fond du puits [Blue baby syndrome: the source of the truth]. Rev Med Liege. 2014 Apr;69(4):175-9. French. PMID: 24923096.

Os conteúdos de Sou Mamãe servem apenas para fins educacionais e informativos. Em nenhum momento substituem o diagnóstico, o aconselhamento ou o tratamento de um profissional. Em caso de dúvida, é recomendável consultar um especialista de confiança.