Amamentação e trabalho: como conciliar?

· 12 de julho de 2018
Você está de volta à sua rotina de trabalho após alguns meses de dedicação exclusiva à sua recuperação da gravidez e do parto e de seu bebê. Mas não quer parar de amamentar. A grande pergunta desse período é: amamentação e trabalho, como conciliar?

Acredita-se erroneamente que, ao voltar a trabalhar, a mãe deve deixar de alimentar seu bebê com o leite materno e substituir esse alimento por fórmulas ou comida sólida. De maneira alguma! Descubra como conciliar amamentação e trabalho!

Se você deseja continuar amamentando seu bebê, assim como recomendam os pediatras em todo o mundo e a Organização Mundial de Saúde (OMS), o que você deve fazer primeiro é se informar. 

Você deve estar ciente de quais são as regulamentações e normas que protegem a mãe e seu bebê nos primeiros meses, as licenças pós-natal e de amamentação que existem em seu país e todas as regulamentações sobre o tema. Assim, você poderá defender os seus direitos e os do seu filho.

Amamentação e trabalho, como conciliar?

O leite materno é o alimento mais completo que você pode oferecer ao seu bebê e seu consumo é exclusivo nos primeiros seis meses de vida. Além disso, é um alimento inofensivo, sempre à disposição e gratuito.

amamentação e trabalho

Organização

Algumas semanas antes, estabeleça um plano em relação aos horários de volta ao trabalho, quem e onde cuidarão do seu bebê no tempo que você estiver fora de casa. Prepare uma descrição da dieta e rotina diária que irá compartilhar com os cuidadores.

Em outras palavras, tente controlar a maior quantidade de pontos possíveis para que na sua volta ao trabalho esteja tudo certo.

Equilíbrio

A maternidade, a família, a saúde e o sucesso na vida tem a ver com equilíbrio. Evite entrar de cabeça na jornada de trabalho totalmente nos primeiros dias. Vá de passo em passo. Se no seu caso for possível, comece com meia jornada e vá aumentando as horas.

Banco de leite materno

Organizações mundiais pró-amamentação materna recomendam criar um banco de leite materno em casa. O leite materno pode permanecer até três meses congelado sem que sua composição se altere e até 48 horas sem refrigeração. 

O banco de leite é muito sensível. Você irá precisar de vasilhas de vidro, plástico ou sacos herméticos, especiais para conservação de alimentos. Neles, você deverá colocar o leite que extraiu e o conservará em uma geladeira. Recomenda-se manter um banco de leite de até 15 dias de conservação. 

amamentação e trabalho

Introdução à cuidadora

Alguns dias antes do seu retorno ao trabalho, encontre-se com a cuidadora para verificar os pontos-chave do cuidado com o bebê

Por exemplo, se o horário de chegada dela coincide com a hora de amamentação do bebê, peça que lhe espere. Assim, você poderá amamentar tranquilamente. Da mesma forma, faça com que os horários de amamentação coincidam com o momento antes de sair do trabalho.

Se você deixou seu filho aos cuidados de algum membro da família em casa e esta está perto do seu trabalho, ambos podem combinar de se encontrar para que você o amamente nas suas horas de folga. Outra opção é que você vá à creche ou escolinha para amamentá-lo.

Extração do leite

Para manter a produção de leite e evitar que suas mamas sejam afetadas por não poder amamentar o bebê nas horas correspondentes, faça a extração do leite. Converse com seu chefe, principalmente para que você tenha as condições necessárias. Se você tem colegas em situação semelhante, compartilhe com elas as suas dúvidas.

Extraia o leite de forma segura e confortável. Apenas cinco minutos por seio são mais que suficientes. Conserve o leite em uma vasilha de vidro esterilizado hermético e fechado e o mantenha na geladeira do trabalho. Leve-o para casa em uma bolsa térmica, com gelo ou em uma caixa de isopor.

Decida sem culpas

Equilibrar amamentação e trabalho não é fácil. Amamentar é uma decisão que requer compromisso e causa certo cansaço. Mas você deve fazer pelo seu filho e sua saúde. É um gesto de amor que você verá que vale a pena mais tarde, quando seu bebê tiver crescido saudável e feliz.

Além disso, considere que apenas a alimentação com leite materno trará menos riscos e doenças. Em outras palavras, o tempo que você dedica agora para continuar com a amamentação, mais tarde será uma grande economia para preocupações, tristezas e ausências no trabalho.

No entanto, se no processo você notar estresse, irritação, sentir dor, fadiga ou começar a evitar a extração, é o momento de reconsiderar sua decisão, sem culpas. Seu bem-estar está intrinsecamente vinculado ao do seu filho. Não se sinta mal se você for decidir ou não puder continuar amamentando.