O que é a aprendizagem sem erro?

31 Outubro, 2020
Qualquer criança saudável é capaz de aprender a partir de seus erros. No entanto, em certas circunstâncias, é preferível evitar o fracasso e focar em uma aprendizagem precisa.

Atualmente, o sistema educacional, tanto formal quanto informal, baseia-se no método de tentativa e erro. Tanto na escola quanto em casa, as crianças são incentivadas a experimentar, tentar e aprender através dos seus fracassos. No entanto, existe um método que defende uma aquisição mais precisa dos conhecimentos desde o início. É a chamada aprendizagem sem erro.

Essa metodologia costuma ser usada com adultos que sofreram lesões cerebrais, pois foi demonstrado que cometer erros pode dificultar e atrapalhar a aprendizagem. No entanto, isso também poderia se apresentar como uma alternativa válida para a educação dos pequenos.

Por que o método de tentativa e erro pode ser inadequado?

Devemos ter em mente que cada vez que realizamos uma ação, certas conexões neurais são estabelecidas. Assim, sempre que ela é repetida, essas associações são fortalecidas e se tornam mais acessíveis para nós.

Por exemplo: toda vez que uma criança aponta para um círculo e diz “círculo”, ela está reafirmando a associação mental entre o objeto e a palavra. Dessa forma, torna-se cada vez mais fácil identificar e definir essa forma geométrica. Mas o que acontece quando a criança comete um erro? O que acontece se ela se confundir e, ao apontar para o círculo, disser “quadrado”?

a aprendizagem sem erro

A princípio, seria estabelecida uma conexão neural incorreta que, se não for repetida, perde força e não se torna importante. No entanto, se o mesmo erro for cometido com frequência, essa associação incorreta se tornará mais forte, fazendo com que seja cada vez mais provável que ela apareça novamente.

Além disso, o método de tentativa e erro pode ter um impacto emocional negativo na criança. Falhar várias vezes no mesmo exercício ou tarefa pode afetar sua autoestima e sua percepção de autoeficácia. Também é possível que a criança acabe rejeitando essa atividade específica ou desenvolvendo emoções negativas associadas ao professor ou à aula.

Por exemplo, uma criança que não aprendeu a resolver um problema matemático corretamente desde o início pode persistir em repetir os erros iniciais, especialmente se tiver tentado resolvê-lo várias vezes anteriormente por meio do método incorreto. Isso só aumentará sua frustração e diminuirá sua motivação em relação à matéria.

O que é a aprendizagem sem erro?

A aprendizagem sem erro, por outro lado, defende a instalação da aprendizagem correta desde o início. Dessa forma, apenas a conexão neural apropriada é estabelecida e fortalecida. Assim, evitamos que o erro se repita e que a criança acabe frustrada ou se sentindo incapaz. Para obter um desempenho preciso desde o início, é necessário seguir certas diretrizes.

Como implementar a aprendizagem sem erro?

  • Evitar fazer perguntas abertas que possam levar a erros. Por exemplo, não seria apropriado mostrar três tintas e pedir que a criança aponte para a amarela. Também não devemos perguntar o nome de um determinado objeto. No mínimo, não devemos fazer essas perguntas até que o seu conhecimento tenha sido totalmente estabelecido.
    a aprendizagem sem erro
  • Em vez disso, é preferível ensinar desde o princípio apenas as respostas corretas e as sequências de ação apropriadas. Assim, devemos mostrar apenas a tinta amarela e repetir “amarela” até o pequeno reforçar a associação. Sem dúvida, não há espaço para erros, pois o método se concentra em estabelecer a associação válida.
  • O mesmo acontece se quisermos ensinar algo mais complexo, como, por exemplo, uma sequência de ações. Temos que nos concentrar em mostrá-la de forma clara e pausada desde o início. Por exemplo, para resolver um problema matemático, teremos que nos sentar ao lado da criança e orientá-la, passo a passo, durante todo o processo, sem dar espaço para os erros. Por meio da repetição da sequência correta, ocorrerá a aprendizagem desejada.
  • É importante prevenir o erro tanto quanto possível, mas, se ele acontecer, teremos que ignorá-lo e focar no procedimento correto. Trata-se principalmente de reforçar as abordagens adequadas à aprendizagem.
  • Por fim, é vital garantir que as tarefas sejam adequadas às habilidades da criança. Também é aconselhável ensinar de forma personalizada, promovendo a motivação e o reforço positivo.

Uma alternativa educativa

Em suma, qualquer criança saudável possui as habilidades cognitivas necessárias para detectar os próprios erros e aprender por meio deles. No entanto, essa alternativa é muito eficaz para as crianças que apresentam o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e, em geral, sempre que quisermos evitar a frustração e a desmotivação da criança.

  • Melo, R. M. D., Hanna, E. S., & Carmo, J. D. S. (2014). Aprendizaje sin error y la discriminación aprendizaje. Temas em Psicologia22(1), 207-222.
  • Briceño, M. T. (2009). El uso del error en los ambientes de aprendizaje: una visión transdisciplinaria. Revista de teoría y didáctica de las ciencias sociales, (14), 9-28.