Artrite idiopática juvenil

24 de junho de 2019
A artrite idiopática juvenil afeta jovens até os 16 anos e é caracterizada por inflamação, dor e falta de mobilidade nas articulações. Existem diferentes tipos, e um ou vários membros podem ser afetados.

Talvez você pense que a artrite seja uma doença que afeta somente as pessoas mais velhas. No entanto, ela também pode aparecer na adolescência. Neste artigo, falaremos sobre a artrite idiopática juvenil, os seus sintomas e tratamentos.

O que saber sobre a artrite idiopática juvenil?

Existe uma falsa crença de que a artrite é uma doença inflamatória e reumática que afeta apenas os idosos. Porém, essas doenças do sistema musculoesquelético também podem ocorrer em idade precoce. Neste caso, antes dos 16 anos.

A artrite idiopática juvenil não é uma, mas várias doenças inflamatórias de origem desconhecida até agora. Ela pode começar na infância ou na adolescência e persistir durante toda a vida.

Essa doença pode ser classificada em: artrite sistêmica, oligoartrite, poliartrite (negativa ou positiva), artrite psoriática, artrite indiferenciada e entesite.

“A artrite afeta o tecido conjuntivo, ou seja, o principal componente do sistema locomotor, composto por músculos, articulações e tendões”.

Para poder diagnosticar a artrite idiopática juvenil, os médicos devem fazer diferentes estudos e analisar os sintomas. Assim, a consulta com um reumatologista é fundamental nesses casos. Se identificada precocemente, a artrite pode ser curada não afetando o futuro.

Quais são os sintomas da artrite idiopática juvenil?

Dependendo do tipo de artrite que o jovem apresenta, determinados sintomas ou sinais serão mais evidentes. Alguns tipos, no entanto, não são facilmente detectados.

Por exemplo, a artrite sistêmica generalizada apresenta dor, inflamação nas articulações, febre e erupções cutâneas. Na artrite poliarticular, a doença afeta pelo menos cinco articulações ao mesmo tempo. Na pauciarticular, por sua vez, compromete os joelhos e os punhos.

A artrite idiopática juvenil pode ser tratada.

Alguns dos sintomas típicos da artrite idiopática juvenil são os seguintes:

  • Articulações inflamadas, avermelhadas e quentes.
  • Febre alta repentina
  • Rigidez e dor nas articulações.
  • Movimento limitado, problemas ao usar as extremidades.
  • Erupção cutânea
  • Pele pálida, aparência doente, gânglios linfáticos inchados.
  • Dor na lombar
  • Olhos vermelhos, dor nos olhos, fotofobia, alterações na visão.

Se o seu filho apresenta pelo menos um desses sintomas, leve-o imediatamente a um especialista para que ele seja examinado e o problema identificado.

Para detectar a artrite juvenil idiopática são realizados vários exames, incluindo exame de sangue de fator reumatoide, anticorpos antinucleares, hemograma completo, taxa de sedimentação eritrocitária e HLA-B27.

“Outros exames também podem ser realizados. Estes incluem: radiografias das articulações comprometidas, ECG, cintilografia óssea e exames oftalmológicos”.

Existe tratamento e cura para a artrite idiopática juvenil?

Se apenas uma ou duas articulações são afetadas e os sintomas forem leves, o médico pode prescrever anti-inflamatórios não esteroides (AINE) tal como o ibuprofeno, o que pode ser suficiente para reduzir os sintomas. Em pacientes com dor mais forte, talvez sejam indicados corticoides.

Quando as articulações afetadas são mais de três ou quatro e o jovem apresenta febre, inflamação nos gânglios linfáticos ou erupções cutâneas, geralmente o médico prescreve medicamentos antirreumáticos para reduzir os sintomas. Entre eles estão o Metotrexato, o Enbrel e o Remicade.

Para ajudar no tratamento, recomenda-se que os jovens pratiquem atividade física de forma leve e moderada. É recomendável que não fiquem em repouso, porque isso prejudica ainda mais as articulações afetadas.

“Por esta razão, os pais são aconselhados a encorajar os filhos com artrite idiopática juvenil a andar de bicicleta, caminhar, nadar ou praticar esportes.”

A fisioterapia pode ser usada para reduzir a dor e para ampliar os movimentos de certas articulações. Da mesma forma, também é possível aplicar compressas frias na área afetada para reduzir a inflamação.

Além disso, é positivo que as crianças contem com a ajuda dos pais, amigos e familiares, bem como assistência psicológica, caso a situação as deprima ou as deixe impacientes. Muitas crianças perdem a vontade de sair de casa ou brincar com os amigos por causa da dor que sentem ou por vergonha.

Artrite idiopática juvenil pode ser tratada.

Em conclusão…

É possível que os pacientes diagnosticados durante os primeiros estágios da doença possam continuar com sua vida normal, desde que cumpram com o procedimento dos tratamentos indicados. Na maioria dos casos, a artrite fica estagnada e causa pouca dor nas articulações.

A gravidade da doença é caracterizada pelo número de articulações afetadas e o estado de cada uma. Vale a pena destacar que essas crianças serão mais propensas à dor crônica ou à artrite reumatoide no futuro.