As 6 virtudes pessoais que você deve trabalhar com o seu filho

25 de março de 2020
Trabalhar as virtudes pessoais desde a infância ajudará as crianças a apreciarem o lado positivo da vida e enfrentarem melhor as adversidades.

Em geral, a psicologia esteve focada em identificar e tratar patologias e problemas de comportamento. No entanto, felizmente, nas últimas décadas ela está começando a tratar dos aspectos mais positivos e funcionais da personalidade, ou seja, aqueles traços e características que podem nos proporcionar uma vida plena e satisfatória. Assim, hoje, vamos compartilhar as 6 virtudes pessoais a serem trabalhadas com as crianças para aproximá-las da felicidade.

O conceito de felicidade é subjetivo e, como já foi demonstrado, não depende tanto do que acontece, mas sim da capacidade que a pessoa tem para lidar com isso. Por isso, é importante ajudar os nossos filhos a desenvolverem habilidades que lhes permitam apreciar o lado positivo e enfrentem o lado negativo de uma forma adequada.

As 6 virtudes pessoais

1. Sabedoria e conhecimento, a primeira das virtudes

Essa virtude fala do interesse natural e genuíno por aprender, descobrir e experimentar. Em outras palavras, é a curiosidade e o desejo de saber um pouco mais sobre o mundo a cada dia e a satisfação de adquirir conhecimentos. Essa virtude é própria de pessoas com uma mente ativa e criativa, capaz, portanto, de encontrar soluções inovadoras e de gerar ideias surpreendentes.

Crianças felizes, crianças que aprenderam virtudes pessoais

Além disso, também inclui a virtude de ter um julgamento crítico e de criar uma opinião pessoal, o exercício de assumir uma perspectiva, analisar e compreender. Assim, as pessoas com essa virtude se entusiasmam quando expandem os seus horizontes de conhecimento.

Para potencializar essas qualidades nas crianças, é importante lhes proporcionar acesso a informações sobre diferentes aspectos, apoiar e compartilhar os seus interesses e elogiar o seu conhecimento e a sua vontade de aprender.

2. Coragem

Aqui incluímos o sentimento de paixão, energia e alegria de viver. A coragem inclui a disposição de assumir riscos, de aceitar as possíveis consequências e, ainda assim, tentar, ou seja, ir atrás dos sonhos e metas pessoais e perseverar neles, sem se deixar abater pelos contratempos.

Igualmente, essa virtude encoraja a pessoa a se conhecerem profundamente e a defenderem sem medo a integridade e os próprios valores.

Aqueles que têm coragem percebem a vida como uma excepcional aventura, e não têm medo de vivê-la, mostrando-se da forma como são. Para favorecer a coragem nas crianças, devemos ensiná-las que o erro é parte do caminho, que elas sempre podem voltar a se levantar e, finalmente, que elas têm que confiar em você.

3. Humanidade

As pessoas com essa virtude consideram valiosas as relações profundas e gostam de se vincular emocionalmente com outras pessoas. Dessa forma, elas percebem os demais como dignos de atenção e respeito, e são capazes de compreender tanto os seus próprios sentimentos quanto os alheios.

Para favorecer essa qualidade nos nossos filhos, devemos ser o seu maior modelo e, portanto, tratá-los com amor, compreensão e respeito.

4. Justiça

Falamos aqui de qualidades como a solidariedade, a empatia e a proteção dos outros, a lealdade, a capacidade de cooperar e trabalhar em equipe, e de se mostrar compreensivo e compassivo com os demais. Em outras palavras, quem tem essa virtude é um bom amigo, uma boa pessoa e um bom líder.

Devemos ensinar as crianças a se colocarem no lugar de outras pessoas, a entenderem as situações e as emoções delas. Além disso, devemos motivá-las a acolher, a ser tolerantes e sensíveis com os outros.

Filho feliz, filho que aprendeu a importância das virtudes pessoais

5. Tolerância

Essa virtude fala sobre a capacidade de ter um pensamento flexível, de interpretar as circunstâncias e as atitudes de outros com benevolência, sem necessidade de vingança.

Inclui a capacidade de reconhecer os méritos e as conquistas próprias, mas compreendendo que todo mundo tem algo para contribuir. Além disso, ressalta a capacidade de controlar os impulsos e de agir da forma que seja mais benéfica a longo prazo.

Para desenvolver a tolerância nas crianças, devemos ensiná-las não a reagir, mas a agir com calma, levando em consideração as consequências dos atos e analisando antes de se comportar de certa forma.

6. Transcendência

Por último, encontramos o valor de sentir paz e gratidão por tudo de bom que nos rodeia, ou seja, a habilidade de identificar o lado positivo e apreciar e se alegrar com isso. Igualmente, encontramos o senso de humor, a capacidade de relativizar o negativo e a esperança de que o futuro será agradável e bem-sucedido.

Para incentivar a transcendência, devemos fomentar nas crianças o costume de detectar os acontecimentos positivos da vida e potencializar o otimismo.

Virtudes e felicidade

Certamente, dedicar um esforço para desenvolver essas virtudes pessoais nas crianças não vai nos livrar de passar por experiências desagradáveis. No entanto, isso vai proporcionar a elas uma personalidade capaz de apreciar o positivo, aprender com as adversidades e, por fim, olhar para a vida sempre com otimismo e confiança.